Com a mais recente entrega, a Força Aérea do Iraque agora consta com 12 jatos de treinamento/ataque T-50IQ. (Foto: Força Aérea Iraquiana)

Um novo lote de jatos de treinamento T-50IQ chegou na quarta-feira no Iraque, vindo da fabricante KAI da Coreia do Sul para ajudar na luta contra o Estado Islâmico (IS). Com esta entrega, 50% da frota de T-50IQ ja foi entregue para Força Aérea Iraquiana.

Em um breve comunicado, a Força Aérea Iraquiana disse: “um novo lote de seis jatos T-50IQ chegou ao Iraque”.

Frota de jatos T-50IQ na Base Aérea de al-Basra.

Os jatos T-50 são designados para a Ala de Treinamento de Voo, junto ao 204º Esquadrão de Treinamento na Base Aérea de al-Basra, em al-Shaibah.

No ano passado, o Iraque disse que receberia 24 jatos T-50 Golden Eagle da Coreia do Sul como parte de um acordo assinado em 2013.

O pedido, incluindo o treinamento, foi avaliado em US$ 1,1 bilhão, mas a fabricante da indústria aeronáutica Korea Aerospace Industries (KAI) disse que apoiar a aeronave por mais de 20 anos representa um total acima de US$ 2 bilhões.

De acordo com o site Iraqi News, a Força Aérea Iraquiana, auxiliadas por jatos de uma coalizão internacional liderada pelos EUA, têm bombardeado ativamente posições de militantes islâmicos em várias províncias iraquianas como parte de uma importante operação que busca eliminar completamente o grupo depois que o primeiro-ministro iraquiano Haidar al-Abadi anunciou em dezembro a plena libertação das terras iraquianas.

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá senhores a todo um bom dia!

    Tal como disse na madrugada de hj no post do L159, a EMB está dormindo no ponto no que diz respeito a voltar a prancheta no caso do AMX-T.
    Se voltar a "chover no molhado" com as mesmas colocações que fiz no referido post, o mercado diz que quer e precisa de aeronaves LIFT, quem pensa o contrário está também dormindo no ponto. Não é arrogância de minha parte, apenas uma observação randomizada do mercado e dos contratos firmados nos últimos 10 anos.

    CM

    • Com todo o respeito sou obrigado a discordar da sua posição quanto a retomada do projeto AMX-T.

      O programa AMX por mais que tenha tido um relativo sucesso com seus operadores acabou sendo um fracasso quanto a exportações e nesta conta podemos colocar vários fatores como políticos e econômicos e também o fim da guerra fria quando uma nova mentalidade foi estabelecida. Quanto a versão "T" que chegou a levar um pequeno contrato com a Venezuela e depois embargado hoje não vejo um mercado promissão para que a retomada de estudos quanto a uma possível produção aconteça.

      Temos expoentes de peso e que estão estabelecidos a anos no mercado e que receberam a adição de mais concorrentes, então acaba que vejo uma necessidade baixa de seguir em frente com um projeto que se retomado terá um custo alto para poucas e se conseguir um contrato com a FAB por exemplo.

      É apenas o meu ponto de vista.

    • Difícil voltar pela tecnologia usada na época com uso de metais, hoje se usam cada vez mais compósitos e métodos mais modernos de construção, o AMX já teve sua época.
      Por outro lado hoje quem quer gastar pode comprar um FA-50 ou M-346 e para quem tem menos recursos pode usar um BAe Hawk que apesar da idade do projeto ainda é oferecido em versão atualizada e barata, claro que é inferior ao FA-50 e M-346.