Passagem baixa de um C-130H “Bisonte” da Força Aérea Portuguesa. (Foto: Filipe Barros / Cavok)

O projeto inicial de modernização das aeronaves de transporte da Força Aérea Portuguesa C-130 Hercules foi cancelado e a frota será antes alvo de modificações e manutenção até os KC-390, que os vão substituir, estarem operacionais, prevê um despacho do ministro da Defesa Nacional, publicado em ‘Diário da República’ nesta sexta-feira, dia 20 de abril.

O despacho cancela o projeto de modernização das aeronaves C-130 tal como tinha sido definido num despacho de 2016, que previa um investimento de 29 milhões de euros.

Face ao início das negociações para a aquisição de cinco aeronaves KC-390 para substituir os C-130, autorizadas em junho de 2017, o Governo optou por cancelar o projeto inicial e transferir as verbas para “garantir a sustentação” dos C-130 “até ser atingida a Capacidade Operacional Final do KC-390”.

O despacho prevê o aproveitamento do “cofinanciamento europeu” para a modificação dos sistemas internos dos C-130 e dos aviões Falcon 50 (três) que estão ao serviço da FAP para os adaptar com sistemas mais precisos face aos requisitos europeus criados devido ao aumento do tráfego aéreo na Europa.

A modificação dos C-130 deverá implicar um investimento no valor máximo de 19 milhões e 60 mil euros, prevê o despacho, que autoriza também 2,6 milhões de euros para a “sustentação da frota C-130” até ser atingida a Capacidade Operacional Final do KC-390.

A modificação dos sistemas dos aviões Falcon 50 custará no máximo 4,4 milhões de euros, indica o despacho.


Fonte: Reuters, via Diário de Lisboa

Anúncios

8 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom! Quero ver o KC-390 em exercicios da OTAN logo. Assim trazendo novos clientes

  2. Quem tem C-130 está modernizando, até a França que comprou os C-130J novos modernizou os seus C-130H.
    Mas os portugueses vão fazer uma modernização parcial do sistema de navegação para poder voar no espaço europeu sem restrições, como devem fazer na OGMA a Embraer pode ganhar dinheiro com os dois aviões.
    A modernização completa seria via FMS com a LM e Rockwell Collins nos EUA, eles já deveriam ter feito esta e daqui a uns 10 anos fazer uma concorrencia entre o C-130J e o KC-390.

  3. seria legal se Portugal compra-se uns 20 A-29 para treino e uns F-18 Super hornets.

  4. Agiram certo no meu ponto de vista, seria um desperdício de dinheiro. Se decidiram adotar um novo avião, que o grosso do dinheiro seja usado neste avião.

  5. Obrigado ao governo da pátria-mãe e pela Embraer ter investido no OGMA. Quando a FAP tiver o KC-390 vai ser um boa propaganda

  6. Volto de novo a falar aos amigos brasileiros para não continuarem com a ilusão, porque não vai haver nenhuma venda de KC-390. Portugal não consegue arranjar dinheiro para modernizar os C-130H há mais de uma década. Nem para instalar uma simples aviónica de navegação actualizada para poder voar nos corredores aéreos europeus. Teve que ir pedir um subsidio à UE. Em Portugal não há verba para combustivel das aeronaves e helicópteros. Nem para ter tripulações em nº suficiente etc. Quanto mais para adquirir aeronaves do tipo do KC-390. Nem para comprar Bandeirantes ou EMB-312 em 2ª mão.

    O motivo de não haver modernização dos C-130H não é a "vinda" do KC-390, é porque os políticos portugueses não querem investir mais na Defesa e principalmente por o Estado português estar na penúria total. Então inventaram a desculpa que Portugal ia adquirir o vosso novo avião e por isso já não valia a pena estar a investir na modernização dos C-130H. Tudo tretas de politico.

    Na última vez que comentei aqui no vosso site foi para vos alertar contra as falsas promessas dos politicos portugueses quanto a encomendar o KC-390. Mais uma vez digo-vos não vai haver nenhuma encomenda desta aeronave por parte de Portugal. Os politicos portugueses andam a "enrolar" a Embraer e o governo brasileiro criando-lhes a ilusão que Portugal lhes vai comprar o avião por causa dos investimentos da Embraer em Portugal.
    Quantas vezes é que sai na imprensa que Portugal vai comprar este avião? Quantas declarações de intenções? Há algum documento assinado? Há algum pedido oficial? É que aqui em Portugal pela lei, na aquisição deste tipo de equipamento com estes valores tem de haver obrigatóriamente um concurso internacional de aquisição. Já viram algum? Tem de haver autorização expressa do parlamento português. Aqui ainda não aconteceu nada. Etc. Etc. Mais depressa vendem os KC-390 a Angola ou ao Bangladesh que a Portugal. Desde há 10 anos, material de defesa só se for oferecido ou a preço de saldo. Portugal está falido e vive exclusivamente de contrair divida que é a 3ª maior do mundo.

    • Seu comentário é coerente e plausível.

      De fato não existe nenhum contrato formal para a compra dos KC-390 por parte de Portugal.

      E quanto aos políticos meu caro, saíba que os daí são como cá.

Comments are closed.