A Marinha Francesa deve operar com os aviões de patrulha marítima ATL2 até 2030 pelo menos. (Foto: Marinha Francesa)

A ministra das Forças Armadas Francesas, Florence Parly, anunciou na Euronaval, em 2018, que a aeronave de patrulha marítima Atlantique 2 será modernizada em profundidade, para ser mais operacional e mais numerosa.

A Direcção Geral do Armamento (DGA) acaba de encomendar a renovação de seis aviões de patrulha marítima Atlantique 2 da Marinha Francesa. No total, a frota de aeronaves de patrulha marítima recondicionadas será composta por dezoito aeronaves, todas entregues no período da Lei de Planejamento Militar de 2019-2025.

A DGA concedeu contratos para a Dassault Aviation e a Thales no dia 11 de outubro de 2018 para a atualização de seis aeronaves de patrulha marítima Atlantique 2 (ATL2). A atualização das primeiras doze aeronaves já foi contratada, portanto, este novo pedido trará para dezoito aeronaves atualizadas a frota de Atlantique 2 da Marinha Francesa, em vez das quinze originalmente planejadas.

Esse aumento na frota melhorada aumenta a capacidade da Marinha Francesa de combater a ameaça submarina que está aumentando em todo o mundo e, em particular, em áreas de interesse estratégico da França.

Sob o gerenciamento de projetos da DGA, o programa de atualização do Atlantique 2 entrega para essas aeronaves o desempenho necessário para suas missões operacionais até sua retirada do serviço após 2030.

A modernização da aeronave se concentra na substituição de determinados equipamentos por equipamentos digitais derivados das melhores tecnologias atualmente disponíveis: sistemas táticos de computador, inteligência optrônica e acústica e radares. Em particular, o novo radar – Searchmaster – se beneficia da tecnologia de antena com matriz ativa desenvolvida pela Thales para o Rafale.

Além dos dois co-empreiteiros Dassault Aviation e Thales, o projeto também envolve o Naval Group para o software de processamento de informação e o Serviço da Indústria Aeronáutica (SIAé) do Ministério das Forças Armadas para a evolução dos consoles de visualização, bem como outros modificações.

A entrega das duas primeiras ATL2 atualizadas está prevista para 2019. A Marinha terá todas as aeronaves recondicionadas disponíveis até 2025.

Além disso, o trabalho inicial no projeto Sistema de Guerra Aéreo Marítimo (MAWS) já está em andamento em uma estrutura franco-alemã para preparar a sucessão da ATL2.

Este projeto, a ser lançado em 2025, proporcionará uma capacidade de patrulhamento marítimo autônoma, eficiente e soberana na Europa até 2030.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Não, os franceses não são mãos de vaca (#fake)… 😀

    Eles só puseram na ponta da caneta que retrofitar esses ATL2 sairia mais barato do que mexer (bastante e agora) num ATR-72, franco-italiano, para deixá-lo conforme o que a Aeronavale precisa…

    Imaginem se os Alizés aguentassem uma boa guaribada — estariam embarcados (todos) até hoje…

  2. pelo visto a verba de invstimento para a marinha francesa comprar os Airbus o o A330 ASW não vai sair. Noruega e UK compraram o P-8. Holanda, Alemanha e Espanha ainda com o P-3 orion com a volta da frota russa submarina ao atlântico norte.
    espero que a Embraer faça para versão ASW com novos jatos em lugar dos cacarecos bandeirulha e P-3M.

Comments are closed.