Imagem conceitual do Futuro Sistema Aéreo de Combate em desenvolvimento pela França e Alemanha. (Foto: Dassault)

A França e a Alemanha assinaram um acordo de exportação de armamentos em relação às armas desenvolvidas em conjunto, uma etapa necessária para o desenvolvimento do Future Air Combat System (FCAS) pela Dassault e Airbus.

Os dois governos aparentemente ouviram o chamado de fabricantes que pediram que resolvessem suas diferenças na cooperação militar durante a reunião do conselho ministerial franco-alemão em Toulouse, França, em 16 de outubro de 2019.

O novo acordo estabelecerá um sistema de reciprocidade em que um país aprovará automaticamente a venda de armas se sua participação no preço de venda for menor que uma determinada porcentagem (os rumores dizem que cerca de 20%). “O acordo de exportação de armas sela a confiança mútua entre a França e a Alemanha e é a condição para o sucesso de projetos conjuntos, como as aeronaves de reabastecimento e o futuro avião de caça”, destacaram os dois governos em sua declaração oficial.

Quanto ao contrato de demonstradores de tecnologia que a Dassault e a Airbus esperavam este ano, eles terão que esperar até janeiro de 2020. Ele é avaliado em € 150 milhões em dois anos, com o objetivo de ver um demonstrador de caça da próxima geração subir aos céus até 2026. Apesar do atraso, o CEO da Dassault, Eric Trappier, disse que esse novo passo foi bem-vindo. “Estamos ansiosos para janeiro começar o trabalho do demonstrador”, comentou Trappier.

Mas esse acordo no nível executivo poderá, mais uma vez, enfrentar problemas quando apresentado ao poder legislativo. Os membros do Bundestag, o parlamento alemão, podem ficar céticos em relação à divisão industrial do programa FCAS e bloquear o acordo, como já fizeram quando apresentados à estrutura industrial do subprograma de motores.

A cooperação no FCAS está entrelaçada com outros dois projetos: o principal programa de combate no solo (MGCS) para um tanque de guerra europeu e o Eurodrone (desenvolvimento de um drone europeu de média altitude e longa resistência).

Em Toulouse, Emmanuel Macron e Angela Merkel também visitaram a linha de montagem do Airbus A350 XWB. “Este A350 é a personificação da solidariedade europeia em tempos de crise comercial internacional”, declarou a presidência francesa. “Cinqüenta anos atrás, as decisões levaram ao desenvolvimento de uma cooperação estreita entre nossos dois países, e faremos tudo para garantir o sucesso desse empreendimento”, disse a chanceler alemã.

Anúncios