A Dassault recebeu um contrato para o estudo de definição da nova aeronave de vigilância marítima da Marinha Francesa, com base no jato executivo Falcon 2000 LXS e que substituirá os atuais Falcon 50M e Falcon 200 Gardians atualmente em serviço. (Foto: Dassault)

A DGA (Diretoria Geral de Armamentos) da França atribuiu à Dassault Aviation o estudo de definição detalhada das futuras aeronaves de vigilância e intervenção marítima do programa AVSIMAR (Maritime Surveillance and Response Plane).

Este contrato faz parte de um esforço global para agilizar a aquisição e o suporte de aeronaves militares especializadas, com base no projeto da aeronave executiva da série Falcon da Dassault Aviation.

Uma primeira fase do programa já identificou a melhor solução técnica, baseada na aeronave executiva Falcon 2000 LXS, que é mais rápida e mais durável do que a aeronave atualmente em serviço.

O estudo recentemente premiado, que tem uma duração de 12 meses, está preparando o contrato de aquisição previsto para 2020. Em particular, deve definir as adaptações necessárias para cumprir as missões operacionais de vigilância e intervenção marítima, que em essência são muito variadas.

O programa AVSIMAR deve renovar o componente aéreo da Marinha Francesa dedicado à vigilância e intervenção para a defesa marítima do território e a ação do Estado no mar. Esta missão é atualmente realizada por 8 jatos Falcon 50M e 5 aeronaves Falcon 200 Gardian, que terão quase quarenta anos no momento de sua substituição. O Falcon 50M distinguiu-se recentemente por permitir a detecção de manchas de óleo escapadas dos dois navios de carga que colidiram na Córsega.

Para garantir a capacidade de intervenção da Marinha Francesa, a lei de programação militar de 2019-2025 prevê a entrega das três primeiras aeronaves até 2025.

6 COMENTÁRIOS

  1. França: país que preza sua tecnologia e parque industrial. UK: vai comprar dos EUA….

    • Vira o disco, até porque lá por 2025 ou 2030 os franceses vão acabar comprando o P-8 via FMS

      • Para substituir os Atlantique, talvez, mas nesse caso aqui são aviões puramente de esclarecimento marítimo. Não tem capacidades antissubmarino;

        • Pois é amigo! Os europeus há 30 anos têm a plataforma (A320) e há pelos menos 15 têm o sistema de gerenciamento (CASA FITS). Outros itens como o radar podem ser adquiridos por fora como o radar ( ELTA EL/M-2022).

          Agora como você explica não terem uma aeronave MPA?

          • Caro HMS_TIRELESS,

            Deixa eu ver… Hãããã… Porque deve ser bom andar montado nas costas dos EUA? 😀

    • França: ainda acha que é potência. UK: já descobriu a globalização.

Comments are closed.