Um caça F-22 Raptor parte para uma missão de treinamento na Base Aérea Conjunta Pearl Harbor-Hickam, no Havaí. (Foto: Hawaii Air National Guard)

O 199° Esquadrão de Caça da Guarda Aérea Nacional (ANG) do Havaí e o 19° Esquadrão de Caça da Força Aérea dos EUA (USAF), estão no modo de treinamento completo com a chegada dos seus últimos quatro caças F-22 Raptors. A frota está completa, com o primeiro conjunto de caças chegando em julho de 2010, e agora 18 aeronaves estão alojadas na Base Aérea Conjunta Pearl Harbor-Hickam. Duas aeronaves estão passando por manutenção de rotina em outra base.

O caça F-22 Raptor vem sendo bastante elogiado pelos pilotos da Guarda Aérea Nacional do Havaí, que atualmente possuem 18 caças a disposição na base. (Foto: Hawaii Air National Guard)

“Este jato tem uma capacidade única de furtividade, super-cruzeiro, aviônicos integrados e excepcional manobrabilidade em comparação com outros caças,” disse o capitão Lucas “Money” Swanson, pertencente ao 19° Esquadrão de Caça da USAF.

Esta semana, os pilotos e equipes de apoio estão realizando uma missão de treinamento chamada de “Táticas de Combate Aéreo.” Essa formação somente foi possível com a chegada de todos os F22s que substituíram os antigos caças F-15s.

Um caça F-22 Raptor sendo preparado para mais uma missão de treinamento na Base Aérea Conjunta Pearl Harbor-Hickam, no Havaí.

“Nós não poderíamos receber esse tipo de treinamento que estamos recebendo hoje, e agora que todos os aviões estão aqui somos capazes de treinar num ambiente mais realista”, disse o tenente-coronel Glen Nakamura, Comandante do 154° Esquadrão de Operações Aéreas.

“Nós estávamos (praticando) escolta de aeronaves de ataque que bombardeariam um alvo e enfrentariam algumas ameaças do mundo real que nós esperamos enfrentar, nós planejamos enfrentar e nós treinamos para enfrentar”, disse Nakamura.

No início deste ano, uma emergência em voo foi anunciada por um F-22 Raptor baseado no Havaí. O piloto relatou a experiência momentânea de tonturas devido a uma falta de oxigênio e hoje o comandante do esquadrão disse que aprenderam que a aeronave furtiva está alertando os pilotos de forma adequada, e eles estão seguros para voar.

A equipe de apoio no solo tem sido de extrema importância para a capacidade de operação dos F-22 Raptor na base localizada no Havaí.

“Nós aprendemos que a aeronave é estável, e ela não possui as deficiências como se supõe, e nós estamos reconhecendo bem essas informações no cockpit”, disse o tenente-coronel Marcos Ladtkow, comandante do 199° Esquadrão de Caça.

Atualmente os Raptors estão comprometidos em manter os céus protegido sobre o Pacífico. Além disso também mantém a defesa aérea sobre o Estado do Havaí.

“Uma vez que você aprender a voar este avião em combate, ele é incomparável e imbatível”, disse Nakamura. “A sofisticação do Raptor está num outro nível, além dos F-15s que eram usados pelos esquadrões da base”.

“Eu realmente aproveitei o F-15“, disse Nakamura. “Era um avião muito gracioso, um avião muito maravilhoso, mas o F-22 muito além de qualquer coisa que alguém está colocando em voo atualmente. Isso digo com toda a minha experiência como piloto de F-15, e eu acredito que vai ser o fator decisivo em qualquer conflito.”

Fonte: Hawaii News Now – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

Enhanced by Zemanta
Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Será que as ameaças do mundo real das quais falou o Ten Cel NAKAMURA são os Chineses?????

  2. Não vai aparecer ninguem pra dizer que o Nakamura está louco em preferir o raptor ao F15.

  3. "…Essa formação somente foi possível com a chegada de todos os F22s que substituíram os antigos caças F-15s…"

    "substituíram os antigos caças F-15s…"

    Buáaaaaaa… 🙁

    E sem falar que é um esquadrão da ANG…da ANG parceiro!!!! Buáaaaaa…

Comments are closed.