Testes do motor GE414G do Gripen E.

A GKN de Trollhättan, Suécia, realizou hoje a manutenção e o suporte técnico do motor de um avião de combate JAS39 Gripen C/D, o RM12. Agora, a mesma operação para o motor do JAS39E, o RM16, também será estabelecida na unidade sueca.

A Administração de Material de Defesa da Suécia (FMV) foi encarregada pelas Forças Armadas da Suécia de começar a estabelecer suporte técnico e manutenção do motor para o JAS39 E na GKN em Trollhättan. O motor é fabricado nos EUA pela General Electric (GE) e é nomeado RM16 na Suécia.

“É ótimo termos recebido uma decisão das Forças Armadas sobre esse assunto e um foco claro em como continuaremos trabalhando. Essa é uma boa solução que está totalmente de acordo com as recomendações da FMV”, disse Dan Averstad, chefe da área de negócios da FMV para o Gripen.

A alternativa para fornecer suporte técnico e manutenção na Suécia seria usar os recursos e a infraestrutura já construídos nos EUA para, entre outras coisas, as necessidades da Marinha dos EUA.

Caça Gripen E.

A adequação do estabelecimento da solução de suprimento nos EUA tem sido discutida pelas partes interessadas há muito tempo e por várias razões. Portanto, em colaboração com as empresas envolvidas, a FMV desenvolveu uma solução alternativa, escolhida pelas Forças Armadas da Suécia.

“Conseguimos que as empresas concordassem com uma proposta que estivesse de acordo com os desejos da Suécia, tanto da FMV quanto da Força Aérea. É uma solução muito semelhante à que temos para o motor do JAS39 C/D”, diz Dan Averstad.

A solução significa que a maior parte do suporte técnico e manutenção é realizada pela GKN em Trollhättan, co-localizada com a manutenção correspondente do motor em JAS39 C/D. A manutenção inclui manutenção preventiva e corretiva até o nível de componente .

“Como as Forças Armadas Suecas continuarão usando o JAS39 C/D em um futuro próximo, podemos ter grandes sinergias, entre outras coisas, na manutenção de motores entre o JAS39 C/D e o JAS39 E. Isso também significa que usamos os investimentos já feitos, tanto em competência quanto em infraestrutura, na GKN de uma maneira boa.”

Porém, inicialmente, serão necessários investimentos em desenvolvimento de habilidades e adições de infraestrutura para o novo RM16. O investimento é avaliado para fornecer valor agregado às Forças Armadas da Suécia na forma de custos mais baixos ao longo do tempo, bem como um nível mais alto de serviço, segurança de manutenção e acessibilidade, inclusive no nível de contingência elevado.

O estabelecimento em Trollhättan trará melhores oportunidades para manter e desenvolver a competência de motores na Suécia em relação aos motores para sistemas de aeronaves de combate, o que tem sido um aspecto importante.

A FMV agora aprofundará o diálogo com as empresas envolvidas, para poder começar a trabalhar no estabelecimento da solução pretendida o mais rápido possível.

“É importante que recebamos essa mensagem das Forças Armadas suecas com antecedência, o que significa que podemos estabelecer a solução de acordo com o cronograma para a introdução do JAS39 E na Suécia”, diz Dan Averstad.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Alguém sabe se já foi definido quem fará a manutenção dos nossos? Mais importante do que linha de produção é poder fazer as revisões em solo brasileiro o custo de aquisição é apenas uma parcela do que um caça realmente custa aos cofres de qualquer nação, acredito que os custos com manutenção devam exceder os custos de aquisição.
    Ou seja, se tem algo que compensa fazer aqui é a manutenção do aparelho.

Comments are closed.