GlobalEye
GlobalEye AEW&C / Foto: Saab AB, em caráter ilustrativo

A Saab, empresa de defesa e segurança, amplia o seu portfólio de Sistemas Aéreos de Alerta Antecipado e Controle, com a apresentação do sistema de vigilância aérea multifuncional GlobalEye, que combina o novíssimo sistema de radar e missões Erieye ER (Alcance Estendido) da Saab com o avançado jato Global 6000 da Bombardier.

A Saab é um dos principais fornecedores mundiais de Sistemas Aéreos de Alerta Antecipado e Controle (AEW&C) com clientes ativos em oito países em todo o mundo. A Saab oferece agora um novo nível de recurso de vigilância aérea multimissão. Pela primeira vez no mercado, o GlobalEye proporciona um sistema sofisticado e de alto desempenho capaz de efetuar simultaneamente detecção de longo alcance, rastreamento e vigilância aérea, terrestre e naval, tudo a partir de uma única plataforma.

Micael Johansson
Micael Johansson, diretor da área de negócios de Sistemas Eletrônicos de Defesa da Saab / Foto: Saab AB

“Com o GlobalEye, podemos ampliar e aprimorar a nossa oferta, visando clientes que desejam maximizar seu retorno sobre o investimento em recursos estendidos de AEW&C como um ativo nacional para beneficiar o seu país”, afirmou Micael Johansson, diretor da área de negócios de Sistemas Eletrônicos de Defesa da Saab.

O GlobalEye, um sistema verdadeiramente multifuncional, detecta e rastreia automaticamente alvos no ar e na superfície em vastas áreas. A vigilância terrestre de veículos em movimento pode ser realizada em grandes áreas por radares de longo alcance, no modo Indicador de Alvo Terrestre Móvel (GMTI). Com o radar Erieye ER, o alcance de detecção e rastreamento foi ampliado significativamente em comparação com os radares aerotransportados existentes e contra os alvos menores. O sistema GlobalEye pode rastrear alvos de difícil observação no ar e no mar, incluindo aeronaves furtivas, mísseis de cruzeiro ou periscópios submarinos, mesmo em ambientes de forte interferência e jameamento.

“O GlobalEye é um divisor de águas pois oferece uma capacidade exclusiva de função alternada de vigilância aérea, marítima e terrestre simultâneas em uma única solução, com a possibilidade de mudar de função dinamicamente em voo, durante qualquer missão”, acrescentou Micael Johansson.

O GlobalEye integra um conjunto abrangente de sensores, incluindo inteligência de sinais e equipamentos avançados de autoproteção com um sistema de comando, controle e comunicação recém-criado. A garantia de que o sistema esteja disponível por um custo justo é assegurada pela combinação de uma pegada organizacional leve com o suporte interno da Saab.

globaleye_antenna
GlobalEye AEW&C / Foto: Saab AB, em caráter ilustrativo

A Saab conseguiu assumir o papel de contratante principal deste sistema inovador AEW&C graças a décadas de experiência e inovação em tecnologia de radar, mas também em função de seu conhecimento profundo sobre guerra eletrônica, soluções e sistemas C4I e integração de plataformas. Uma grande parte dos subsistemas do GlobalEye provém da linha de produtos líderes mundiais da Saab.

Um elemento-chave do sistema GlobalEye é o jato Global 6000 de ultra-longo-alcance da Bombardier. Isso confere a mais recente aviônica e combina o tamanho ideal para um AEW&C estendido e multifuncional de excelente desempenho. É uma aeronave de alta velocidade com desempenho impressionante em pistas curtas e baixos custos operacionais. Graças à plataforma Global 6000, a autonomia das missões do GlobalEye pode se estender por até 11 horas.

O primeiro cliente do GlobalEye são os Emirados Árabes Unidos, que encomendaram o Sistema de Vigilância de Função Alternada (SRSS), em novembro de 2015.

O GlobalEye é mais uma inovação da Saab no campo da tecnologia de radar, um ramo em que se destacou com recursos inteiramente completamente novos. O lançamento se dá na sequência da recente apresentação pela Saab de sistemas de radar de caça novos e atualizados e cinco sistemas de radar de superfície complementares, totalmente novos.

GlobalEye AEW&C
GlobalEye AEW&C / Foto: Saab AB, em caráter ilustrativo

A Saab é um dos fornecedores líderes mundiais de sistemas de radar para aplicações aéreas, terrestres e navais. A empresa tem 60 anos de experiência e mais de três mil sistemas de radar em operação em 30 países.

Para maiores informações sobre o Saab GlobalEye AEW&C, clique aqui.

divider 1

FONTE: Saab AB

EDIÇÃO: Cavok

18 COMENTÁRIOS

  1. Não cabia a utilização de um jato da Embraer?

    Isso sim que é parceria !!!

    • Sabe como é…

      A SAAB é parceirona da EMBRAER e do Brasil…

      Poderiam ter usado um E190..

    • Não existe parceria entre a Saab e a Embraer.

      Quem escolheu a Saab foi o governo federal.

        • No FX1, a Embraer entrou como parceira da Dassault. Os franceses compraram uma participação na Embraer.

          Na época, os brigadeiros ficaram #$%$$%.

          Empresa privada deveria ter seu plano estratégico.

      • Exato, mas não é bem o que eu leio por ai…

        Falam como se a SAAB fosse o farol de parceira que vai guiar o Brasil através da escuridão da ignorância rumo ao porto do conhecimento 😀 😀

        • Até poderia ser, TrollbusterBR… Ocorre que o Brasil, enquanto Estado, não leva seus programas de defesa à sério. Basta vermos como anda a execução dos programas atuais. Embraer e Saab sabem muito bem disso.

        • Vou parafrasear um post seu no caso dos motores.

          Quem é que vai criar um futuro competidor?

          Não existe Tot.

          Tot está na categoria folclore brasileiro, junto com a cuca, o saci, o subnuc e o pré-sal.

          • Tem outra…

            Por que a EMBRAER vai entrar em uma enrascada para receber Deus sabe quando por PARTE DE 36 aviões ?

            Já está difícil receber pelo KC390..

            Agora falando sério,

            também será mínimo o nro de produção desta nova plataforma da SAAB, a única coisa que a EMBRAER poderia ter feito é oferecer um E-Jet para que a SAAB utilizar como plataforma de desenvolvimento e homologação e quando quem sabe um dia a SAAB vender um, compraria um E-Jet virgem e embutiria no preço do sistema.

            Só assim valeria a pena.

  2. E houve interesse da Embraer? Ela se ofereceu para co-desenvolver a aeronave? Gastar dinheiro no programa? Ou alguém acha que é só escolher a aeronave e espetar o radar? Quem fornece a aeronave tem que se dispor a gastar para customizar a dita cuja. Será que a Embraer se interessou? Não tenho certeza se ela considerou este nicho de mercado suficiente promissor para compensar os gastos e o comprometimento industrial necessário, é só ver quantos jatos de vigilância ela vendeu depois de desenvolver as variantes brasileiras. A Embraer é uma empresa que vida lucros, não joga pra torcida. A bombardier acaba de mandar 7000 empregados embora, a Embraer até agora, nenhum. Cada empresa tem sua política de investimentos, a a Embraer parece, até o momento, mais acertada.

    • A Embraer fez a limpa em 2008. Na época, foi criticada. Hoje, a decisão mostra-se acertada.

  3. A SAAB já foi parceira da Embraer, hoje só estão juntas por causa da obrigatoriedade do F-X2. Aliás, oportunidade perdida para FAB fomentar uma nova indústria. A NOVAER e AKAER poderiam ter sido incentivadas.

    O futuro novo projeto da Embraer nesta área será baseado no EMB-190/195, talvez a Embraer possa usar os radares da SAAB (dando sequência ao trabalho com o ERJ-145), mas é provável que acabe por se aproximar dos radares israelenses, como os que são testados no C-295 AEW&C.

    • Está cheio de encomenda para ter mais duas indústrias aeronáuticas no Brasil.

  4. Pessoal,

    Até onde sei, não há nenhum produto da Embraer hoje que ofereça uma célula tão compacta com desempenho similar… Simples assim… O que mais se aproxima do Global 6000 é o Legacy 650, que não iguala essa aeronave da Bombardier. Para tanto, haveria de se desenvolver outra plataforma….

    O mais, o Nightwing já disse…

  5. Olha o parceiro da Embraer ai gente… Parabéns ao COPAC e a FAB pela escolha da SAAB no FX2. Muito bom…

Comments are closed.