Embraer Super Tucano - SNC
Embraer EMB 314 / A-29 Super Tucano (Foto: USAF)

A despeito do contínuo quadro de instabilidade política no Líbano, está confirmado o fornecimento para a força aérea daquele país de seis unidades da aeronave de ataque leve e contra-insurgência Super Tucano, desenvolvidas pela Embraer, e que serão fabricadas pela Sierra Nevada Corporation (SNC), sediada em Jacksonville, no estado americano da Flórida.

Embraer Super Tucano - SNC (1)
Embraer EMB 314 / A-29 Super Tucano (Foto: USAF)

A venda, no valor de US$ 462 milhões, cujo pagamento é de responsabilidade da Arábia Saudita, está sendo realizada através do FMS (Foreign Military Sale). Este é o segundo fornecimento das aeronave no âmbito do programa LAS (Light Air Support), que também prevê o fornecimento de 20 aeronaves semelhantes ao Afeganistão.

Segundo as autoridades americanas, objetivo é impulsionar a capacidade militar do Líbano para sejam confrontadas as ameaças internas, e ao longo de suas fronteiras. O país, que está lutando para acomodar um número cada vez maior de refugiados provenientes da Síria, também tem sérios problemas internos decorrentes de tensões entre as populações cristãs, e muçulmanas xiitas e sunitas.

Embraer EMB 314 A-29 Super Tucano 3
Embraer EMB 314 / A-29 Super Tucano (Foto: Embraer)

Junto com as aeronaves, também serão fornecidas 2.000 unidades do foguete guiado por laser APKWS, e 8 unidades do sistema de contramedidas ALE-47, ambos fabricados pela BAE Systems North America.

divider 1FONTE: AIN Online – EDIÇÃO: Cavok

IMAGENS: Meramente ilustrativas

Anúncios

40 COMENTÁRIOS

  1. Este vai ser o futuro da Embraer na área se defesa

    KC-390 sendo fabricado pela Boeing e sendo exportado aos montes
    Tucano em várias FAs do mundo e e sendo fabricado na Florida.

    • KC-390 fabricado pela Boeing? Improvável, só não digo impossível porque não quero errar de novo como pensei do A-29, se bem que do jeito que a coisa vai é perigoso a Boeing comprar o projeto KC-390 todo da EMBRAER kkkk…

      • Creio que se a Boeing abrir mercados para o KC-390, como é sua proposta, é provável que queiram produzir esse avião por lá, ou pelo menos montar e equipar como Sierra Nevada faz com o A-29.

      • Acredito que hj a boeing já tem milhares de ações da Embraer, para ela comprar o controle eh dois minutos.

        • Não me parece que isso seja possível, o controle majoritário deve ser sempre de brasileiros, tem a ver com segurança nacional, "ação golden", o governo brasileiro tem essa prerrogativa, foi estabelecido durante o processo de privatização..

    • O Brasil não sabe fazer a politica que os EUA faz. Se a empresa que vender para os EUA, tem que ter uma fabrica no EUA. Os carros da Honda vendem muito, a Honda foi praticamente intimada a ter uma fabrica nos EUA. Ou os produtos seriam altamente taxados quando importados.

  2. Um projeto brasileiro, fabricado nos EUA, pago pela Arábia Saudita e sendo vendido para o Líbano. Eita mundo globalizado!

    • Sim, pois possui uma aviônica mais moderna, blindagem de proteção para os tripulantes e para o motor, e outras firulas mais.

  3. Ótima notícia.

    Falei aqui muitas vezes, essa estrutura em Siera Nevada não seria apenas para 20 aviões, não faria sentido.

    Outras vendas virão.

  4. Já perguntei em outras vezes, mas seria possível o Brasil dizer "não" a venda de aeronaves militares por parte da EMBRAER, e mais especificamente este tucano?

      • nenhum, apenas saber se "pode" não estou preocupado com o "devemos"

        • Poder, pode. As vendas de equipamentos militares são sempre sujeitas ao aval governamental.

        • A Embraer é uma empresa privada, não obedece ao governo, e sim a seu conselho administrativo.

          Quando foi privatizada, o Estado brasileiro criou uma espécie de "ação de ouro" para si ou algo assim, para que possa intervir na Embraer mas apenas em caso de riscos para a segurança nacional, não me parece que seja o caso.

          • Inacio….
            No caso de equipamentos militares, que são considerados produtos controlados, independente do fato da empresa ser estatal ou privada, toda exportação depende de aval governamental.

            Como exemplo, nesse artigo, o então Ministro da Defesa se posiciona a respeito de um veto (que não houve, inclusive):
            http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft03122008

            Sds!

          • E você se esqueceu que o A-29 pertence também a FAB que recebe participação sobre as vendas!

  5. Demorou mas a Embraer percebeu como desviar dos embargos, ou vocês acham que se fosse feito negócio por aqui os EUA ou outros não iam vetar…

    Isso e mais os Phenons sendo feitos la, ganhando a visibilidade americana coisa que pouco há por aqui, a Embraer só tem a ganhar $, e me desculpe quem acredita na balela de discurso nacionalista, patriota e bla-bla-bla, o que importa pra qualquer empresa é o dinheiro, foda-se o resto.

      • Concordo, e assino embaixo. trouxa eh quem fica num pais falido, governado por ladrões, agora vão aumentar mais os impostos para pagar a corrupção.

    • Bem, não creio que haveria "vetos" em fornecer esse avião ao Líbano, feito aqui ou lá no EUA, ocorre que essa linha em Sierra Nevada foi criada justamente pra isso, primeiro o Afeganistão, e depois outros países que fazem parte do mesmo programa, a Embraer recebe muitos incentivos fiscais nos EUA. Tanto para o A-29 quanto para o Phenon.

      Me chamo atenção sua fina educação.

    • Eu até concordo, o problema é quando a empresa passa a ser a principal fornecedora de equipamento militar de ponta e cria-se uma relação de dependência e monopólio com muito do esforço nacional sendo entregue de bandeja para ela. Nada mais normal que se exigir um pouco de comprometimento com o país sendo por meio do desenvolvimento de projetos ou da montagem de aeronaves que geram um bocado de empregos e renda…

  6. Eles podem fazer know-how dos nossos ST fodões e nós não podemos fazer do F-35 jacão……legal!

  7. O trecho final do texto me entristece profundamente, o país tem sérios problemas internos decorrentes de conflitos RELIGIOSOS, sempre a maldita religião, ora é a briga por petróleo, ora é briga por um ser invisível imaginário, no final, todos querem o mesmo, poder, grana e sexo a vontade.

    • O problema não é a religião , é o FDM que inventou isso pra ganhar poder a milhares de anos atrás e as pessoas ainda não se deram conta de que isso é apenas uma forma dos inteligentes dominarem os mais fracos intelectualmente.

  8. Um projeto e empresa nacional que foi assimilada por estrangeiros…

    E o Brasil o que ganha com isso?Nada, os americanos sim.

    Valeu!

Comments are closed.