O Japão ainda está à procura dos destroços do caça F-35A acima, visto na província de Aichi em junho de 2017, que caiu no mar no mês passado na prefeitura de Aomori. (Foto: KYODO)

Um gravador de dados de voo altamente danificado do caça japonês F-35 com seu suporte de armazenamento desaparecido foi recuperado na sexta-feira (03/05) pelo navio de busca em alto-mar Van Gogh, junto com um pedaço do canopy, disse o ministro da Defesa do Japão, Takeshi Iwaya em uma entrevista coletiva.

O ministro disse que a Força de Autodefesa Aérea do Japão (JASDF, na sigla em inglês) continuará sua operação com o apoio militar dos Estados Unidos para recuperar os destroços do jato furtivo. O piloto da aeronave, major Akinori Hosomi, ainda está desaparecido.

O F-35A caiu no dia 9 de abril na prefeitura de Aomori, no nordeste do Japão, durante um exercício noturno da JASDF, depois de decolar da Base Aérea de Misawa. O jato, que voava juntamente com outras três aeronaves, simplesmente desapareceu das telas de radar sem dar nenhum sinal de emergência.

A operação de busca está sendo conduzida por uma embarcação da Força de Autodefesa Marítima japonesa, um navio de pesquisa em águas profundas da Agência do Japão para Ciência e Tecnologia Marinha e o Van Gogh. A localização exata onde o gravador de dados foi recuperado foi retida por razões de segurança e as peças encontradas dificilmente ajudarão a determinar a causa do acidente.

O jato stealth está repleto de tecnologias militares altamente confidenciais e devido a este fato o Ministério da Defesa continua a busca pelos destroços.

O caça a jato que caiu em abril foi o primeiro dos nove F-35A a serem montados e verificados antes da entrega pela Mitsubishi Heavy Industries Ltd. Os quatro restantes foram montados e verificados nos EUA.

4 COMENTÁRIOS