O Gripen E/F entrou em produção em série no inicio do ano. (Foto: Saab – Imagem ilustrativa)

A Saab continua a fazer bons progressos com seu programa Gripen E, com o chefe executivo Hakan Buskhe revelando que a empresa lançou a produção em série do caça no início deste ano.

Falando durante uma apresentação anual de resultados em 15 de fevereiro, Buskhe disse que o avanço do programa foi feito “na primeira semana de janeiro“. A Saab está sob contrato para produzir 60 unidades do Gripen E/F para a Força Aérea Sueca e 36 unidades em parceria com a Embraer para o Brasil.

Após as primeiras entregas programadas para ambos os clientes antes do final do ano, espera-se que o Gripen E esteja disponível para uso na Suécia a partir de 2021, de acordo com a administração de material de defesa FMV da Suécia. A Capacidade Operacional Inicial (IOC) foi anteriormente definida para 2023.

Enquanto isso, Buskhe confirma: “Estamos discutindo um novo lote para o Brasil“, e sugere que a aquisição seguinte possa ser feita por volta de 2021 ou 2022. O comandante da Força Aérea Sueca também indicou recentemente o interesse de seu serviço em potencialmente adquirir 60 unidades adicionais do caça, ele observa.

Outras oportunidades de exportação também estão sendo analisadas para o caça monomotor. “Acabamos de entregar nossa proposta à Suíça e Finlândia, e estamos em discussão com o Canadá“, disse Buskhe. A Saab também está analisando os requerimentos da Croácia, ele confirma, após a aquisição planejada de caças F-16 usados da Força Aérea Israelense ter fracassado recentemente.

A Saab está estudando propor caças Gripen para a Croácia. (Foto: Saab – Imagem ilustrativa)

A proposta da Saab para a Finlândia totaliza 64 caças Gripen E/F, enquanto a Suíça está sendo oferecida 30 ou 40 unidades de assento único. As decisões de aquisições de ambas as nações são esperadas por volta de 2021.

Respondendo a uma pergunta sobre a disposição da empresa sueca de colaborar em futuros programas europeus de aviões de combate, Buskhe diz que até agora não viu detalhes sobre um projeto franco-alemão recém-lançado. Entretanto, ele confirma que teve “discussões muito proveitosas com o Reino Unido e parceiros” sobre o conceito do Tempest.


FONTE: FlightGlobal

35 COMENTÁRIOS

  1. Esse programa merece uma auditoria externa a FAB, e verificação de cada ponto combinado na famosa transferência de tecnologia, cronogramas, e emprego do meio contratado. O Gripen E/F tem que entregar o prometido. E tem a Zelotes em curso ainda.

    • Impossivel disso acontecer, mesmo se desse PT ou centrão, todos tem medo dos milico.
      Também ha de se lembrar que o comando não é jumento ao estilo dos irmãos açougueiros que gravaram eles mesmos declarando crimes e entregaram a PF, militar é menos burro.