Gripen NG Demonstrator with Iris-T, Meteor and GBU10 - Photographer Katsuhiko TOKUNAGA 15
Gripen NG Demonstrator / Foto: Katsuhiko TOKUNAGA, em caráter ilustrativo

Em 24 de abril de 2015, a Saab assinou um contrato com o Ministério da Defesa do Brasil para a venda de armamentos destinados a equipar os 36 caças Gripen NG encomendados pelo país. Como todas as condições exigidas foram cumpridas, o contrato passou a vigorar.

O valor do contrato é de cerca de US$ 245 milhões. Os armamentos serão fabricados pela própria Saab e fornecedores selecionados pelo governo brasileiro.

Em comunicado, a Saab disse que este contrato suplementa o contrato de aquisição das aeronaves, assinado em 27 de outubro de 2014 e efetivado no último mês de setembro, no valor de aproximadamente 39,3 bilhões de coroas suecas (SEK).

A entrega dos caças Gripen NG para a Força Aérea Brasileira será realizada entre os anos de 2019 e 2024.

O Gripen NG, designado ‘F-39 Gripen’ pela FAB, é uma aeronave de combate multimissão, capaz de realizar todas as missões ar-ar e ar-solo, incluindo tarefas especializadas, tais como de inteligência, vigilância, aquisição de alvos e reconhecimento (ISTAR), e guerra eletrônica. A aeronave será equipada com os mais modernos sensores e sistemas de missão, incluindo um radar de varredura eletrônica ativa (AESA) e um sistema de busca e rastreamento infravermelho (IRST).

Infográfico F-39 Gripen - FAB

divider 1

FONTE: Saab

EDIÇÃO: Cavok

NOTA DO EDITOR: Oficialmente, a FAB afirma que não divulga os tipos e a quantidade de armas compradas para o F-39 por considerar estratégicas as informações. 

No último dia 8 de agosto, o G1 publicou um artigo no qual,  através da ‘Lei de Acesso à Informação’, eles informaram terem tido acesso a informações detalhadas referente a essa aquisição. Para ler o artigo, clique aqui.

56 COMENTÁRIOS

  1. Uma hora o Derby acaba, ai poderemos ver alguma coisa nova (Amraam ou Meteor).

        • Imaginar, eu imagino…. KKKKKKKKKKKKK

          Eu queria mesmo que se a imaginação se tornasse verdade.

              • Viajando um pouco na maionese (mas nem tanto), com estas novas tecnologias de contra ECM, e indo além, com a USAF já anunciando lasers em seus caças para daqui alguns anos, talvez não demore muito e os mísseis BVR venham a perder uma parte de sua letalidade. Quem sabe chegara o tempo em que a maioria dos combates aerreos serão decididos por museus WVR ou doghfight com canhões ou lasers? Viajada na maionese off. rsrs

  2. Eu pensei que o Bvr a ser utilizado seria o Marlin em desenvolvimento pela Denel com dólares provenientes do brasil.

    • Feliz Natal, amigo!

      Seguinte, eu penso que é sensato imaginar que, possuindo um caça mais capaz que os atuais, e o Gripen é muito superior, a FAB eventualmente vá usar outro míssil BVR. Mas hj, o BVR da FAB é o Derby, e ainda será qdo os nossos F-39 entrarem em operação, até por uma questão logística. Creio que só teremos outro BVR qdo os F-5 saírem de cena.

  3. Pelo que andaram falando, o pacotes inicial incluem misseis Iris-T, Kits Spice , misseis MAR …. e…. será…. o…. METEOR!!!

    []'s

      • As pessoas tem direito a sonhar…. eu só não entendo qual a lógica empregada em imaginar que a FAB vai usar o Meteor. Só por causa do Gripen?

        Bem, o Derby já é integrado ao Gripen. Só haverá um novo BVR na FAB quando nossa gloriosa Força Aérea mudar os requisitos para os mísseis. E quando isso ocorrer, eles devem fazer uma avaliação nos mesmos moldes que fizeram quando selecionaram o Derby.

        Ahhh, mas usar o Derby no Gripen é limitar o caça…. Sim, isso é verdade. Mas e a FAB liga liga p isso? Liga mesmo? Pra começo de conversa, se ligasse, nós não teríamos optado pelo Derby num primeiro momento.

        A coisa é que as pessoas idealizaram um “modelo” de como a FAB empregaria o Gripen aqui no Brasil. Lindo isso….. mas é só lindo.

        Essas mesmas pessoas se esquecem que justamente entre as inúmeras qualidade do Gripen está a possibilidade da FAB empregar o armamento que bem entender. O que sugere fortemente que os atuais serão mantidos. até por conta da cadeia logística. Em projetos onde o Brasil participa, como é o caso do A-Darter, as coisas mudam de figura. Mas o Meteor?

        Eu confesso que gostaria de ver isso acontecer, e até torço que ocorra; mas sinceramente não creio. Pelo menos não tão cedo. Para a FAB, uma das maiores qualidades do Gripen é possibilidade de que sejam implementadas soluções baratas, de baixo custo; e Meteor não se enquadra nessa prerrogativa.

        #ACEITAQUEDOIMENOS

    • Nick_fry,

      Eu estava vendo a matéria do G1 sobre os armamentos comprados , e vi que lá só tinha os misseis WVR IR e bombas spice , talves algo mais…..

      Mas……lá estava escrito que essas bombas spice tem alcance de até 100 km , ai pensei-poxa , os comandantes da FAB devem ter pensado :"Há , se essas bombas alcançam 100 kimoletros , vamos usa-las como armamento BVR e ao mesmo tempo como bombas, assim economizamos uma bolada !!!"

      • a 100km elas destruirão aeronaves… que estejam paradas nas bases

      • Caro Jose Davi,

        Talvez os BVR Meteor não venham logo de cara, mas virão! Se não, no mockup estariam pendurados os Derbys que temos em estoque.

        Com relação ao Kit Spice, é uma alternativa até termos os Acauans mais evoluidos. E 100km de alcance não é nada desprezível. Podemos contar nos dedos sistemas antiáereos com essa alcance. 🙂

        []'s

        • Barato Nick_fry,

          Eu estava vendo as imagens do Mock up que vc mostrou , é verdade , cara . Faz sentido!!!!

  4. Daqui a pouco a FAB vai comprar para o "rancho" o Kebab, trazido direto da Suécia… 🙂

  5. prometi a mim mesmo e a alguns colegas," pegar leve" com este negócio de FABexSAABexAELxxSueciaXFilhosdeoficiais… mas não tá fácil… ah não tá mesmo… espero que algum juiz paranaense dê uma olhada nisso ae… 🙂

Comments are closed.