Os memorandos assinados preveem um novo ecossistema de fornecedores para o caça Gripen ser fabricado na Índia.

A Saab deu mais um passo importante para expandir seu ecossistema aeroespacial na Índia, assinando novos Memorandos de Entendimento (MoUs) com três das principais fabricantes aeroespaciais do país: a Dynamatic Technologies Limited, a CIM Tools Private Limited e a Sansera Engineering Limited.

Os MoUs com a CIM Tools e a Sansera expandem as relações de trabalho existentes com a Saab nas aeroestruturas comerciais para o caça Gripen e outros produtos relacionados à defesa no portfólio da Saab. O Memorando de Entendimento com a Dynamatic é um ponto de partida para explorar futuras oportunidades conjuntas em trabalhos de aeroestruturas comerciais e relacionadas à defesa, incluindo o Gripen.

“A unidade de negócios de aeroestruturas da Saab teve um relacionamento bem-sucedido com a CIM Tools e a Sansera por vários anos. Com base nessa experiência, vemos que essas duas empresas podem agregar grande valor à nossa oferta do Gripen ‘Make in India'”, disse Mats Palmberg, VP de Parcerias Industriais e Chefe do Gripen para a Índia. “O Memorando de Entendimento com a Dynamatic acrescenta as capacidades da complexa montagem de estruturas à oferta ‘Make in India’ da Saab para o Gripen”, continua Palmberg.

“Estou satisfeito que a cooperação proveitosa que estabelecemos ao longo de vários anos com a CIM Tools e a Sansera possa ser desenvolvida para o caça Gripen. O MoU com a Dynamatic tem o potencial de desenvolver ainda mais nosso ecossistema para as aeroestruturas comerciais, assim como o Gripen”, observa Lars Jensen, diretor administrativo e chefe da Saab Aerostructures.

A colaboração e o compartilhamento de conhecimento são as chaves para o sucesso na construção de um ecossistema aeroespacial indiano de sucesso. Os novos MoUs anunciados hoje permitirão à Saab trabalhar com essas empresas indianas para estabelecer um sistema de manufatura nacional, eficiente e sob medida que desenvolverá, fornecerá e apoiará os caças Gripen de última geração na Índia para a Força Aérea Indiana.

A Dynamatic Technologies Limited projeta e fabrica produtos de alta tecnologia para aplicações automotivas, aeronáuticas, hidráulicas e de segurança em vários locais na Índia e na Europa. A Dynamatic está firmemente estabelecida como uma das principais empresas aeroespaciais privadas na Índia, com uma ampla gama de capacidades, incluindo montagem estrutural complexa, fabricação detalhada de peças e serviços de engenharia.

A CIM Tools Private Limited está bem estabelecida como uma das principais empresas de fabricação aeroespacial da Índia, fornecendo componentes, peças detalhadas e subconjuntos para parceiros aeroespaciais em todo o mundo. A CIM Tools tem experimentado um crescimento contínuo nos negócios graças aos seus proprietários dedicados e força de trabalho qualificada.

A Sansera Engineering Limited tem suas raízes na indústria automotiva, fornecendo fabricação e engenharia altamente eficientes de componentes forjados e usinados para formar empresas automotivas globais. Em 2010, usando seu conhecimento de fabricação eficiente e automatizada, a Sansera iniciou a produção de componentes aeroespaciais para empresas líderes no setor aeroespacial. Com rápido desenvolvimento de habilidades e investimento em instalações e equipamentos, a Sansera continua a crescer como parte da indústria de fabricação aeroespacial da Índia.

6 COMENTÁRIOS

  1. Os indianos estão querendo "autógrafos" mundo a fora… Assinam papéis com muitos, isso é pra abrir um album para colecionar assinaturas. Os argentinos e suecos já rabiscaram os seus… Manda papel que assino também !

  2. Caso de psicanalista o gestor da Força Aérea Indiana. Esses malucos não tem a minima noção de logística, imagina uma FA operando em grandes números: Mig 21, Mig 27, Jaguar, Su30, M2000, Tejas, etc etc,e agora querendo Gripen. O parque de manutenção deve ser um caos, deixa qualquer chefe de almoxarifado doente.
    Mas coragem de ir pra guerra, eles tem de sobra, que o diga o bigode do Mig 21.

  3. caso seja um caça que brilhe no radar o Gripen é o menos ruim, pelo preço baixo e fácil manutenção. Rafale, F/A-18, F-21 e mIG-35 não vale a pena. Fosse eu escolheria o F-35 para enfrentar os chinas e o Gripen para os paquistaneses.

  4. A Índia cometeu um grande erro anos atrás, como mostrado no recente episódio do ataque ao Paquistão: não ter licenciado também a produção do Mirage 2000, um caça que a França matou cedo demais, e que a Índia tem confiança total.
    Poderia ter hoje fileiras bem delineadas com SU-30, Mirage 2000, Tejas em uma versão menos pretensiosa no estilo Kai F-50, Mig-29 na Marinha, e estudando a compra de um vetor de 5ª geração com tranquilidade. Não precisaria de Rafale, Bison, Jaguar, Tejas Mk.2, tampouco de Gripen.