A SAAF encomendou 28 caças Gripen C/D em 1999 como parte de um "pacote de defesa estratégica". (Imagem: Frans Dely)
A SAAF encomendou 28 caças Gripen C/D em 1999 como parte de um “pacote de defesa estratégica”. (Imagem: Frans Dely)

Contrato com a SAAB para suporte de seus caças expirou.

A Força Aérea da África do Sul (South African Air Force – SAAF) está sem contrato de suporte com a SAAB para manter sua frota de caças Gripen. Magnus Lewis-Olsson, presidente da SAAB África do Sul, disse ao site defenceWeb, que a SAAF utilizava contratos de suporte provisórios, mas desde abril não houve renovação.

Lewis-Olsson informou que a SAAB esperava obter um contrato de suporte para entrar em vigor dentro dos próximos meses. Ele estava preocupado que a SAAF não seria capaz de operar o Gripen sem alguma forma de contrato de suporte (a Força Aérea no momento não faz trabalho de manutenção) e para o presidente da SAAB local, não é uma boa ideia voar por longos períodos sem uma manutenção adequada.

A SAAF encomendou 28 caças Gripen C/D em 1999 e 24 jatos de treinamento Hawk, como parte de um “pacote de defesa estratégica”. A ordem foi posteriormente cortada para 26 unidades. Em março deste ano 12 Gripens foram armazenados porque a SAAF não recebeu por parte do Tesouro Nacional recursos necessários para manter os caças voando. Em 2010 o ministério da defesa já advertia da falta de recursos e constantes cortes no Programa e que a força aérea só seria capaz de manter o Hawk voando.

Sem os níveis de financiamento adequados, a força aérea não vai ser capaz de cumprir o seu mandato em termos de defesa ou o seu apoio às iniciativas do governo no médio e longo prazo. A realidade indesejada é que toda a frota de aeronaves poderá ser armazenada e a longo prazo, unidades ou bases, poderão ser fechadas.

Fonte: Guy Martin/Defence Web – TRADUÇÃO: CAVOK

NOTA DO EDITOR: Independente do Gripen ser um caça “austero”, o que o governo da África do Sul está fazendo é um exemplo a não ser seguido. Até a realização da copa do mundo naquele país, as torneiras jorravam dinheiro e naquela época vários internautas e especialistas já comentavam que passado o período de festas, a SAAF ficaria no chão. No início do ano quando os 12 caças foram armazenados por pura falta de investimentos, além da perda de capacidade da SAAF, muita gente foi demitida. De nada vale um belo programa, com nome pomposo, como “pacote de defesa estratégica” se é visto como gasto e não investimento…

NOTA DO EDITOR²: A África do Sul não embarcou em desenvolvimento nenhum de caças, ela fez uma compra de “prateleira”…


Anúncios

43 COMENTÁRIOS

  1. Concordo com a nota do editor e acrescento:

    Esse é indício claro de que qualquer aeronave acima da terceira geração tem custos realmente mais elevados de operação. É bem fato que eles não são de todo conhecidos pelo publico em geral, mas está certo que uma aeronave de geração 4.5 supera qualquer aeronave anterior. Em suma, não tem mágica. Ou se realocam recursos necessários para manter o avião voando, ou a frota fica no chão…

  2. Isso não vai acontecer no Brasil porque o FX-2 vai ser cancelado e nem caças para fazer manutenção vamos ter!

  3. Com os orçamentos de defesa mais apertados (em todo mundo) manter uma frota voando não é para qualquer um. Será que realmente os custos do Gripen são tão baixos assim (leia-se F-16) quanto diz a propaganda?
    Será que o armazenamento e a expiração de um contrato de manutenção são realmente um corte de custos? Se for necessário reativar estas naves não ficará muito mais caro?

  4. Quando alguém defende um JF-17, J-10b para comprar aos montes os foristas e fanboys caem de pau. Quando a verdade vem a tona (falta de recursos) todo mundo fica calado. Não aparece ninguém nem para defender um F-16E/F (lembrando que o Iraque comprou 36 e ainda tem a notícia de 12/18 unidades para Colômbia).
    Nossa alternativa é ter uns 24 (12 Brasília e 12 Manuas) de um HI e o resto de pé-de-boi para substituírem os F-5 e A-1.
    Quem dera se todo mundo tivesse aceitado o pedido do Molusco em 09/2009… pelo menos já tínhamos os 36 HI. Hoje temos nada.

  5. Mas isso é certo! Economia burra! Sempre reativar algo sai mais caro. Acho que o melhor exemplo é o Opalão. Vejam o que vai ser preciso para reativar ele…a grana que a MB vai colocar em cima, só para readquirir o que já sabia fazer…e isso depois de passar anos aprende a fazer…
    Por falar em MB, se alguém souber detalhes de um papo que rola por aí, de que deu pau na modernização do A-4M, contate-me…

  6. Manter um Gripen C ou F-16 C B52 é mais barato do que um Rafale ou Typhoon.
    Agora, não é de graça também. 🙂 O que me parece é que a África do Sul fez gastos maiores que o orçamento deles suportam.

    Aliás algo semelhante com o que o Brasil vai fazer com dois eventos bilionários (Copa e Olimpíadas). A diferença é que temos um PIB maior, e o governo está se lixando se a FAB ficar desdentada.

    []'s

  7. O problema seria técnico da máquina ou financeiro entre as empresas…?

  8. A Africa do Sul é um exemplo próximo do que irá acontecer com o Brasil pós esses eventos internacionais, herança deixada pelo Rei-sol, abraçada pela Wanda e que o próximo presidente irá se lascar com essa batata quente.

    O gasto foi tremendo, o gasto será tremendo para manter esses estádios, dinheiro que deveria ser investido em infra-estrutura indo pro ralo.

    Infelizmente nenhuma medida econômica foi adotada no regime Wanda para contornar a bomba financeira que irá estourar nesse ou no próximo mandato de quem quer que seja. O Min. da fazenda é piada no exterior, maquia numeros e não toma medidas conhecidas para essas situações. O resultado é o PIB do Brasil crescer a níveis de países europeus em crise.

    Adeus fab.

  9. Essa tranqueira sueca limitada sem alcance é muito cara pra se manter voando…(tbm com tantas peças estrangeiras e hora voo mais cara que um F-16 !!!). F-16 é bem superior…mais potente e veloz…mais manobrável com uso de sidestick…mais capacidade de armamentos…etc…

    Percebe-se que a Africa do Sul já está de ''saco cheio'', decidindo logo desativar 12 dos seus 26 por tempo indeterminado. Os outros dois operadores do Gripinho (Rep.Tcheca e Hungria) estão com o ''pé atrás'' pra renovarem os contratos de Leasing devido ao preçinho nada baratinho.!!!
    Seria melhor optarem logo por F-16 usados depois de 2015.

    Nem vou comentar a nanica Tailândia e os seus 12… por ser uma força aérea insignificante e sem ação.!!!

    Gripen e a Saab já era galerinha….não vende mais pra ninguém….empacou em 38 unidades exportadas e 28 alugadas.

    Clientes do Gripinho:
    Africa Sul = 26 – 12 desativados
    Tailandia = 12
    Hungria = 14 alugados
    Rep.Tcheca = 14 alugados

    Total = 54 aeronaves ativas no mundo…

    A Suiça e seu parlamento desanimaram e nem querem saber mais do Gripen NG dispendioso pra 2020.!!!
    O Referendo Nacional vai ser o decreto final e a sentença de morte.

    A própria Suécia já desativou 100 e atualmente só opera 120.
    Ainda bem que o Brasil não caiu nesta ''arapuca sueca inútil'' onde tolos cairam e agora lamentam…rssss
    E ainda tem gente que torce pra ser tampão quebra-galho do fx.
    Que venham os Mirage 2000-9 dos Emirados…FAB tem que continuar com Mirages.!!!

  10. Esse é conhecido ahahahah

    Será que um dia o comando vai acordar? Só sei que se acordar não será por 20 centavos e nem irão com cartazes na rua e nem ligarão para o que a rede esgoto de televisão tem a dizer ahahah

  11. Giordani,
    Sempre fica uma pergunta. Será que depois de tantos desmontes no PAMA, tantas peças fabricadas, estudos aerodinâmicos, uma boa modernização, integração de armamentos, uma indústria aeronáutica em pleno funcionamento com recursos tecnológicos de ponta não tínhamos uma capacidade para fabricar um substituto para o F-5? Montado com turbina e aviônicos estrangeiros, pelo menos uma carcaça utilizável à la JF-17? Uma cadência de 10/12 máquinas por ano, para não precisar contar com clientes estrangeiros, uns 10/12 anos de produção? Um bom pé de boi.
    Tempo houve de sobra. Só de espera do FX já são quantos anos? Será que ninguém da FAB/COPAC teve discernimento ou visão futura desta novela?
    É só ver nosso programa espacial, mais velho que o da China, Índia e Irã. os chineses (mesmo com tecnologia antiga e parcial da Rússia) já mandaram tripulação ao espaço e em breve terão sua própria estação espacial. Onde está o respeito pelos 21 brasileiros mortos naquela plataforma? Ainda caímos nesta furada da Ciclone. Vai ser quase 1 bilhão de dólares por uma tecnologia que ninguém quer mais.

    Chego a terrível conclusão. Não precisamos de sabotadores ou arapongas. A classe dirigente do brasil (letra minúscula) são os principais sabotadores da nação.

    Desabafo de um pobrehomem pagador de impostos, casado, pai de dois filhos.

  12. Kurti,

    De tudo o que já foi divulgado até aqui, o Gripen desponta como aeronave de menor custo. E a razão para isso é justamente suas peças de mercado, como o motor F-404, que dota a frota de F-18 legacy, o que propicia uma enorme economia por conta da escala… O problema é que mesmo assim o Gripen é caro; como não poderia deixar de ser… Já disse isso antes e não custa repetir: o tempo do "motor com asas" já passou… Todas as forças aéreas no mundo estão passando por reduções substanciais. Só alguns exemplos:

    – França: prevê-se redução de Rafales; de 286 para 225. Estão contratados até aqui 180…

    – Reino Unido, Espanha, Italia…: quem não está encostando Typhoons, prevê se livrar deles em tempo hábil…

    – EUA: interrupção da produção do Raptor; dentre os motivos maiores, estaria o excessivo custo da máquina.

    Mesmo o F-16, que é o cavalo de batalha do ocidente, o custo por hora voada beira os 25000 dólares… Que dirá de tipos médios, como Rafale e Typhoon… E lembrando isso é somente projeção…
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=66660&cpage=1

    Quanto a manobrabilidade do Gripen, todos os deltas com canard são em essência muito manobráveis, sendo essa também a configuração de Rafale e Typhoon. O que manda no final é o controle FBW…

  13. Kurti,

    De tudo o que já foi divulgado até aqui, o Gripen desponta como aeronave de menor custo. E a razão para isso é justamente suas peças de mercado, como o motor F-404, que dota a frota de F-18 legacy, o que propicia uma enorme economia por conta da escala… O problema é que mesmo assim o Gripen é caro; como não poderia deixar de ser… Já disse isso antes e não custa repetir: o tempo do "motor com asas" já passou… Todas as forças aéreas no mundo estão passando por reduções substanciais. Só alguns exemplos:

    – França: prevê-se redução de Rafales; de 286 para 225. Estão contratados até aqui 180…

    – Reino Unido, Espanha, Italia…: quem não está encostando Typhoons, prevê se livrar deles em tempo hábil…

    – EUA: interrupção da produção do Raptor; dentre os motivos maiores, estaria o excessivo custo da máquina.

    Mesmo o F-16, que é o cavalo de batalha do ocidente, o custo por hora voada beira os 25000 dólares… Que dirá de tipos médios, como Rafale e Typhoon… E lembrando isso é somente projeção…
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=66660&cpage=1

    Quanto a manobrabilidade do Gripen, todos os deltas com canard são em essência muito manobráveis, sendo essa também a configuração de Rafale e Typhoon. O que manda no final é o controle FBW…

  14. Kurti,

    De tudo o que já foi divulgado até aqui, o Gripen desponta como aeronave de menor custo. E a razão para isso é justamente suas peças de mercado, como o motor F-404, que dota a frota de F-18 legacy, o que propicia uma enorme economia por conta da escala… O problema é que mesmo assim o Gripen é caro; como não poderia deixar de ser… Já disse isso antes e não custa repetir: o tempo do "motor com asas" já passou… Todas as forças aéreas no mundo estão passando por reduções substanciais. Só alguns exemplos:

    – França: prevê-se redução de Rafales; de 286 para 225. Estão contratados até aqui 180…

    – Reino Unido, Espanha, Italia…: quem não está encostando Typhoons, prevê se livrar deles em tempo hábil…

    – EUA: interrupção da produção do Raptor; dentre os motivos maiores, estaria o excessivo custo da máquina.

    Mesmo o F-16, que é o cavalo de batalha do ocidente, o custo por hora voada beira os 25000 dólares… Que dirá de tipos médios, como Rafale e Typhoon… E lembrando isso é somente projeção…
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=66660&cpage=1

    Quanto a manobrabilidade do Gripen, todos os deltas com canard são em essência muito manobráveis, sendo essa também a configuração de Rafale e Typhoon. O que manda no final é o controle FBW…

  15. Kurti,

    De tudo o que já foi divulgado até aqui, o Gripen desponta como aeronave de menor custo. E a razão para isso é justamente suas peças de mercado, como o motor F-404, que dota a frota de F-18 legacy, o que propicia uma enorme economia por conta da escala… O problema é que mesmo assim o Gripen é caro; como não poderia deixar de ser… Já disse isso antes e não custa repetir: o tempo do "motor com asas" já passou… Todas as forças aéreas no mundo estão passando por reduções substanciais. Só alguns exemplos:

    – França: prevê-se redução de Rafales; de 286 para 225. Estão contratados até aqui 180…

    – Reino Unido, Espanha, Italia…: quem não está encostando Typhoons, prevê se livrar deles em tempo hábil…

    – EUA: interrupção da produção do Raptor; dentre os motivos maiores, estaria o excessivo custo da máquina.

    Mesmo o F-16, que é o cavalo de batalha do ocidente, o custo por hora voada beira os 25000 dólares… Que dirá de tipos médios, como Rafale e Typhoon… E lembrando isso é somente projeção…
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=66660&cpage=1

    Quanto a manobrabilidade do Gripen, todos os deltas com canard são em essência muito manobráveis, sendo essa também a configuração de Rafale e Typhoon. O que manda no final é o controle FBW…

  16. Kurti,

    De tudo o que já foi divulgado até aqui, o Gripen desponta como aeronave de menor custo. E a razão para isso é justamente suas peças de mercado, como o motor F-404, que dota a frota de F-18 legacy, o que propicia uma enorme economia por conta da escala… O problema é que mesmo assim o Gripen é caro; como não poderia deixar de ser… Já disse isso antes e não custa repetir: o tempo do "motor com asas" já passou… Todas as forças aéreas no mundo estão passando por reduções substanciais. Só alguns exemplos:

    – França: prevê-se redução de Rafales; de 286 para 225. Estão contratados até aqui 180…

    – Reino Unido, Espanha, Italia…: quem não está encostando Typhoons, prevê se livrar deles em tempo hábil…

    – EUA: interrupção da produção do Raptor; dentre os motivos maiores, estaria o excessivo custo da máquina.

    Mesmo o F-16, que é o cavalo de batalha do ocidente, o custo por hora voada beira os 25000 dólares… Que dirá de tipos médios, como Rafale e Typhoon… E lembrando isso é somente projeção…
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=66660&cpage=1

    Quanto a manobrabilidade do Gripen, todos os deltas com canard são em essência muito manobráveis, sendo essa também a configuração de Rafale e Typhoon. O que manda no final é o controle FBW…

  17. Kurti,

    De tudo o que já foi divulgado até aqui, o Gripen desponta como aeronave de menor custo. E a razão para isso é justamente suas peças de mercado, como o motor F-404, que dota a frota de F-18 legacy, o que propicia uma enorme economia por conta da escala… O problema é que mesmo assim o Gripen é caro; como não poderia deixar de ser… Já disse isso antes e não custa repetir: o tempo do "motor com asas" já passou… Todas as forças aéreas no mundo estão passando por reduções substanciais. Só alguns exemplos:

    – França: prevê-se redução de Rafales; de 286 para 225. Estão contratados até aqui 180…

    – Reino Unido, Espanha, Italia…: quem não está encostando Typhoons, prevê se livrar deles em tempo hábil…

    – EUA: interrupção da produção do Raptor; dentre os motivos maiores, estaria o excessivo custo da máquina.

    Mesmo o F-16, que é o cavalo de batalha do ocidente, o custo por hora voada beira os 25000 dólares… Que dirá de tipos médios, como Rafale e Typhoon… E lembrando isso é somente projeção…
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=66660&cpage=1

    Quanto a manobrabilidade do Gripen, todos os deltas com canard são em essência muito manobráveis, sendo essa também a configuração de Rafale e Typhoon. O que manda no final é o controle FBW…

  18. Marcos,
    Te compreendo colega inclusive comentei outro dia sobre o PAMA, eles desmontam em vários níveis mas não tem a capacidade de realizar a manutenção dos motores do forevis5 e amx (acho que do amx também não). Pra isso eles contratam serviço de terceiros.

    Quanto ao caça nacional, a história é bonita mas quando a máquina é tão complexa o brasil faz______, veja o amx, desdentado e só daqui uns 6 anos teremos boa parte modernizados para dar baixa alguma década depois. Uma pena, pois esse país tem tantos gênios que não são aproveitados.

  19. Interessante… Tem, mas é como se não tivessem.

    Lembra um pouco a USAF, com 80% dos seus meios enferrujando no deserto de nevada. Uma força aérea enorme, só no papel…

  20. Concordo com vc, porrman.

    Aí vem a minha admiração com a força aérea paquistanesa, Ja voaram de F86 a F-7 (copias do mig 21), mas sempre estiveram operacionais e com plena capacidade de combate, até mesmo nos tempos de vacas magras com o F-7.

    O JF-17 é a cara deles, é barato e rustico, mas é dentuço e ta pronto pra porrada.

  21. Relojoeiro,

    Só a USAF tem perto de 700 F-16 e 200 F-15 em serviço… Isso sem contar a Guarda Aérea Nacional…

  22. O A-12 é atualmente um navio-escola-museu. Mas a Marinha não quer se desfazer do mesmo para manter a expertise em operar PAs. O problema é que um PA novo custa caro( e põe caro nisso) e demora 10 anos para ser construído e estar operacional. Ou seja, o substituto do A-12 já deveria estar ao menos contratado e com início de construção planejado e com $$$.

  23. Relojoeiro,

    A esmagadora maioria das aeronaves de caça estocadas são de variantes mais antigas… As aeronaves que citei acima são as mais novas e que estão em serviço em dezenas de esquadrões nos EUA e em outras bases pelo mundo… A USAF é atualmente a única força aérea com capacidade real de projeção de força a nível estratégico.

  24. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  25. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  26. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  27. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  28. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  29. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  30. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  31. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  32. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  33. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

  34. Kurti,

    E porque não seria…? É uma aeronave monomotora de categoria distinta do Rafale e do Typhoon. Tudo aponta para um custo menor que esses dois.
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=52186

    Mas mesmo esses números da pesquisa podem não ser exatos. É muito provável que esses custos ( de todas essas aeronaves ) sejam maiores…

Comments are closed.