Caças JAS39 Gripen da Força Aérea Hungria liderarão missão de policiamento aéreo do Báltico.

A Hungria, com seus caças Gripen, está programada para ser a nação que líderará a missão de policiamento aéreo da OTAN no Báltico em Siauliai, na Lituânia, juntamente com as nações de apoio, a Espanha e o Reino Unido.

A partir de maio de 2019, a Hungria assumirá a liderança da missão Policiamento Aéreo da OTAN no Báltico, enviando seu caças JAS39 Gripen para Siauliai, na Lituânia. Esta é a segunda vez desde 2015 que a Hungria vai implantar seus caças Gripen e um destacamento da força aérea para liderar a missão na Lituânia.

A Força Aérea Espanhola também vai voar com seus caças F-18 a partir da Base Aérea de Siauliai, com o destacamento aumentando a missão de medidas de garantia da OTAN. Esta é a sexta vez que a Espanha se mobiliza para a missão – duas vezes como nação líder em 2006 e 2016 e três vezes como nação em apoio desde Amari em 2015, 2017 e 2018.

A Real Força Aérea Britânica (RAF) é a segunda nação em apoio nesta rotação e voará com sua aeronave Eurofighter desde a Base Aérea de Amari, na Estônia. O Reino Unido foi a terceira nação a liderar a missão em 2004 e desde então prestou apoio em Siauliai em 2014 e duas vezes em Amari em 2015 e 2016.

Juntamente com os Gripens húngaros, estarão na missão os F-18 espanhóis e os Typhoons da RAF.

Este desdobramento é uma ocasião especial, pois será o 50º destacamento de combate da OTAN a mobilizar-se desde 2004 para salvaguardar o espaço aéreo sobre a Lituânia,
Letônia e Estônia.

A missão de policiamento aéreo da OTAN no Báltico é uma missão defensiva em tempo de paz que une os Aliados da OTAN para proteger uns aos outros, criando um espírito de solidariedade dentro da Aliança. Os dois destacamentos adicionais implantados na região nos próximos quatro meses demonstram uma determinação coletiva e detêm qualquer ameaça contra os Aliados da OTAN.

As Medidas de Garantia foram introduzidas em 2014, quando a OTAN autorizou o destacamento de caças adicionais a serem implantados na região em resposta às ações ilegais da Rússia na Ucrânia. Estes ativos adicionais permitem ao Comando Aéreo Aliado, através do seu Centro de Operações Aéreas Combinadas em Uedem, na Alemanha, empregar ativos de forma mais flexível, proporcionando uma capacidade de Policiamento Aéreo para salvaguardar o espaço aéreo da OTAN na região do Báltico.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Bela imagem a primeira, dos Gripens Húngaros.
    Ansioso por ve-los na FAB.

  2. Os da Hungria e Tchecos também atuaram na suécia em 2009 quando os Gripen deles tiveram que parar e tem vídeo disso. Esforço da OTAN nos países bálticos ajudar afugentar os fascistas russos do ditador PutinKGB;

Comments are closed.