A Air France anunciou oficialmente um pedido para 60 Airbus A220-300 + 30 Opções e 30 direitos de aquisição, para substituir os A318 / A319. A primeira entrega está prevista para setembro de 2021. A aposentadoria de 10 A380 até 2022 também foi anunciada.

O Conselho de Administração da Air France-KLM aprovou várias decisões estratégicas relativas ao desenvolvimento da frota da Air France, após uma reunião em 30 de julho de 2019.

Essas decisões refletem o foco do Grupo na simplificação. Tornar a frota mais competitiva, ao continuar sua transformação com aeronaves mais modernas e de alto desempenho, com uma “pegada” ambiental significativamente reduzida, é fundamental para alcançar as principais margens da indústria.

O pedido firme para 60 A220-300s, com 30 opções e 30 direitos de aquisição, que substituirão gradualmente a frota A318 e A319 da Air France. Foi anunciada também a aposentadoria dos 10 A380s da frota da Air France até 2022 e um estudo da substituição dos A380 por aeronaves de nova geração.

Renovação da frota de curto e médio curso da Air France

A Air France comprometeu-se com um pedido firme de 60 aeronaves Airbus A220-300, com mais 30 opções de compra e 30 direitos de aquisição. A primeira aeronave deve ser entregue em setembro de 2021. Eles se juntarão à frota de curto e médio curso da Air France.

O A220-300 gera 20% menos emissões de CO2 do que as aeronaves de sua classe e é duas vezes mais silencioso.

Com uma capacidade de 150 lugares e um alcance de operação de 2.300 milhas náuticas, o A220-300 é perfeitamente adequado para substituir o A318 e o A319 na rede de curto e médio curso da Air France. Esta aeronave permitirá que a empresa aumente sua competitividade reduzindo seu custo por assento em mais de 10% em comparação com as aeronaves que irá substituir.

Finalmente, a sua entrada na frota da Air France contribuirá para a melhoria contínua da experiência do cliente, graças aos bancos que oferecem mais espaço, maiores compartimentos de armazenamento de bagagem de cabine, corredores largos e Wi-Fi a bordo.

Aposentadoria dos A380s da frota da Air France até 2022

O Conselho de Administração da Air France-KLM aprovou hoje a aposentadoria em princípio dos sete A380 restantes da frota da Air France até 2022, sendo que a eliminação de três aeronaves adicionais foi decidida anteriormente. Cinco dessas aeronaves são de propriedade da empresa, enquanto duas são alugadas.

O atual ambiente competitivo limita os mercados nos quais o A380 pode operar lucrativamente. Com quatro motores, o A380 consome 20-25% a mais de combustível por assento do que a nova geração de aeronaves de longa distância e, portanto, emite mais CO2. O aumento dos custos de manutenção de aeronaves, bem como as reformas necessárias da cabine para atender às expectativas dos clientes reduzem ainda mais a atratividade econômica dos A380 da Air France. Manter essa aeronave na frota envolveria custos significativos, enquanto o programa da aeronave foi suspenso pela Airbus no início de 2019.

Com quatro motores, o A380 consome até 25% a mais de combustível. O aumento dos custos de manutenção de aeronaves, bem como as reformas necessárias da cabine impactam significativamente nos lucros da companhia.

A Air France KLM Group está estudando possíveis opções de substituição para essas aeronaves com aeronaves de nova geração atualmente no mercado.

“Estas decisões apoiam a estratégia de competitividade da frota do Grupo Air France-KLM”, disse Benjamin Smith, CEO do Grupo Air France-KLM. “Eles seguem as recentes encomendas de A350 e Boeing 787 que a Air France e a KLM fizeram. Estamos muito satisfeitos em trabalhar com a Airbus para adicionar a A220-300 à nossa frota, uma aeronave que demonstra ótima eficiência ambiental, operacional e econômica. A escolha do Airbus A220-300 suporta nosso objetivo de uma operação mais sustentável, reduzindo significativamente as emissões de CO2 e ruído, além de proporcionar aos nossos clientes conforto adicional na rede de curtas e médias distâncias e fornecer aos nossos pilotos um cockpit conectado com acesso à mais recente tecnologia de navegação.Este é um passo muito importante na transformação da Air France, e essa evolução na frota da Air France reforça a determinação do Grupo em alcançar a liderança das companhias aéreas européias. ”

A Air France-KLM Group opera uma frota de 541 aeronaves entre suas três principais marcas, Air France, KLM e Transavia, para 318 destinos no mundo. Em 2018, o Grupo transportou mais de 100 milhões de clientes.


FONTE: AirFrance

Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. O mundo da aviação é muito dinâmico.
    Se há seis ou sete anos atrás alguém dissesse que hoje o 737 estaria groundeado por problemas técnicos de difícil solução, que o A380 estaria sendo retirado de operação e que o C-Series seria um sucesso de vendas, seria chamado de louco. E aqui estamos nós hoje…
    As vendas sucessivas e crescentes desse último em comparação com as fracas vendas dos Boeing E2-jets já começa a nos parecer que, a Embraer fez um bom negócio pois não vendeu o programa dos E-jets, na verdade se livrou dele. Está parecendo que só vai conseguir equilibrar a carteira de pedidos com o rival da Airbus se conseguir dar um jeito de readequar o E2-175 na Scoupe Clause ou adequar essa a ele (o que parece que não é tão fácil assim).
    Mas…pode ser que não. E que eu só esteja falando bobagem, temos esse risco também.

  2. Os E-jets não terão vida fácil. Já o A-380 morreu, um mito que virou mico.

  3. Não surpreende a Air France comprar os A220 da Airbus (Europa First), mas parece ser um excelente momento para a Boeing-Embraer investir pesado em um "verdadeiro" substituto a altura do venerável 737. O E2 vai pelas bordas – se me lembro bem, houve longos debates na Embraer quanto a adoção dos novos motores que impactaram em reprojetar substancialmente o E-Jet e se valeria confrontar a categoria de passageiros do 737 e 320. A Bombardier arriscou o mais ao acreditar que poderia penetrar no mercado de 150 pax e agora está colhendo mais… só isso.. O mundo gira…

  4. Com essa solicitação da KLM-AirFrance o Airbus A220 sobe para 610 pedidos firmes, e 530 reservas e encomendas condicionadas. Há alguns meses fui quase hostilizado aqui por defender que o A220 era o melhor aeronave na categoria 100-150 lugares a aparecer no mercado depois do lançamento do A320 em 1985. Hoje, 1140 A220 irão provar a verdade. Esperem também um outro grande pedido do Vietnam e região. Quanto a Boeing, anda com tanta dor de cabeça com o B737-MAX e B777-X que sua atenção foi totalmente desviada da família E2, mas não subestimem a gigante Americana. Por outro lado, a Airbus aproveita o seu bom momento e prepara através da EFW (Elbe Flugzeugwerke) cargo conversion e ST Engineering Singapore seu A320-Ceo para o transporte de carga. Os sites da EFW e ST na Alemanha, Singapura, China e USA acreditam em uma boa demanda do modelo. Saudações,

Comments are closed.