No pedido do grupo chinês China Aviation Supplies Holding Company (CAS) está incluído a compra de 40 aeronaves A350 XWB. (Foto: Anthony Pecchi / Airbus)

A China Aviation Supplies Holding Company (CAS) assinou com a Airbus um Acordo de Termos Gerais (GTA) para a compra de um total de 140 aeronaves. O acordo é composto por 100 aeronaves da Família A320 e 40 da Família A350 XWB, refletindo a forte demanda de companhias aéreas chinesas em todos os segmentos de mercado, incluindo doméstico, baixo custo, regional e internacional.

O GTA foi assinado em Berlim por Tom Enders, CEO da Airbus, e Sun Bo, vice-presidente executivo da CAS, na presença do presidente chinês Xi Jinping e da chanceler alemã Angela Merkel.

O acordo foi assinado na presença de Tom Enders, CEO da Airbus, e Sun Bo, vice-presidente executivo da CAS, na presença do presidente chinês Xi Jinping e da chanceler alemã Angela Merkel.

“Este é um excelente apoio para os nossos produtos líderes em ambos os segmentos, de único corredor e widebody”, disse Tom Enders. “A China é hoje um dos mercados mais importantes do mundo para a aviação, e estamos orgulhosos de apoiar o desenvolvimento e o rápido crescimento da aviação civil da China com nosso competitivo portfólio de produtos”.

A frota mundial de aeronaves de passageiros acima de 100 lugares deve ser mais do que duplicada nos próximos 20 anos, para mais de 40 mil aviões, conforme o previsão de tráfego que crescerá 4,4% ao ano. Mercados emergentes, como a China, continuam a ser um motor de crescimento, com o tráfego doméstico devendo se tornar o maior mercado do mundo, de acordo com a última previsão do mercado mundial da Airbus, 2017-2036.

No final de maio de 2017, a frota em serviço da Airbus com operadores chineses totalizava cerca de 1.440 aeronaves, dos quais cerca de 1.230 são aviões da Família A320. O A350 XWB recebeu valiosos endossos de vários clientes chineses. O desempenho operacional incomparável e o conforto da cabine do A350 XWB darão às companhias aéreas chinesas uma vantagem competitiva para atrair mais passageiros em rotas internacionais.

O grupo chinês também quer 100 aeronaves da Família A320. (Foto: Anthony Pecchi / Airbus)

A Família A320 é a linha de produtos do corredor único mais vendida do mundo. Até à data, a Família A320 ganhou mais de 13.000 pedidos e mais de 7.600 aeronaves foram entregues a cerca de 400 clientes e operadores em todo o mundo. Com aeronaves em quatro tamanhos (A318, A319, A320 e A321), a família A320 tem capacidade para 100 a 240 passageiros. A Família possui a mais ampla cabine no mercado de corredor único com assentos de 18 polegadas de largura na classe econômica como padrão.

O A350 apresenta o mais recente design e materiais aerodinâmicos, incluindo a sua fuselagem e asas de fibra de carbono. É alimentado pelos novos motores Rolls-Royce Trent XWB eficientes em termos de combustível. Juntos, esses recursos tecnológicos avançados se traduzem em níveis incomparáveis ??de eficiência operacional, com uma redução de 25% na queima e emissões de combustível, além de custos de manutenção significativamente menores.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

      • Com certeza não dava para esperar um ano pela certificação, mesmo que o backlog da Airbus seja para dois ou três.

        • Deve ser piada este seu post, o C919 depois que for certificado e entrar em produção serial ainda tem 99 pedidos firmes e 240 opções na frente para entregar.
          A China tem empresas estatais como esta China Aviation Supplies Holding Company(CAS) e a China Aviation Supplies Import and Export Group Corporation (CASC Group or CASGC) que tem a finalidade de importar aviões e fornecer para as empresas aéreas, seja por venda ou leasing.
          Estas empresas fazem grandes compras para todo o sistema de aviação civil e mesmo que ja estivesse operacional o C919 não teria condições de suprir a demanda da China.
          Nem mesmo a fábrica Airbus na China que fabrica a família A320 teria condições de suprir a necessidade de aviões comerciais.

          • Ué? Mas se não conseguem atender o mercado interno, como o C919 vai detonar o A320?

Comments are closed.