Há 50 anos, em abril de 1969, jatos MiG-21 da Coreia do Norte derrubaram um avião de vigilância eletrônica da Marinha dos EUA, matando todos os 31 tripulantes. Foi o mais grave incidente entre os países desde a guerra aberta.

No dia 15 de abril de 1969, um feriado nacional na República Democrática Popular da Coréia (Coréia do Norte), celebrando o 57º aniversário de Kim Il-Sung, que havia sido o líder político do país comunista desde 1948.

Deep Sea 129 era um Lockheed EC-121M Warning Star (registro nº 135749) da Marinha dos Estados Unidos, uma variante de Inteligência eletrônica do comercial do Lockheed Model L-1049A, mais conhecido como Super Constellation. O avião pertencia ao Esquadrão de Reconhecimento Aéreo Fleet One (VQ-1), baseado na estação aeronaval de Atsugi (NAS Atsugi), na ilha de Honshu, no Japão.

O EC-121M decolou da NAS Atsugi às 07hs, hora local (2200Z¹), para uma missão planejada de Inteligência Eletrônica (ELINT) nomeada Begger Shadow com duração prevista de 8½ horas. De Atsugi seguiu a rota para Chongjin, uma cidade litorânea perto da fronteira com a Coreia do norte/Manchúria, onde voou por 2½ órbitas elípticas, com 222 km de comprimento e paralelas à costa norte-coreana. O Deep Sea 129 deveria aproximar-se a não menos de 93 km do litoral. Em seguida, tomaria o rumo para a Base Aérea de Osan, Pyeongtaek, na República da Coréia (Coréia do Sul).

Deep Sea 129 estava sob o comando do Tenente-Comandante da Marinha dos EUA, James Howard Overstreet. A tripulação de voo compreendia 31 homens a bordo, composto pela tripulação de voo, técnicos em contramedidas de Inteligência Eletrônica de sinais e lingüistas estrangeiros.

No dia 28 de março de 1969, a Força Aérea Popular da Coreia (Korean People’s Air Force – KPAF) moveu dois interceptadores Mikoyan-Gurevich MiG-21PFM (nomeclatura OTAN Fishbed-F) do aeródromo de Puk’ang-ni para a base de treinamento MiG-17 em Hoemun-Ni Airfield, costa leste da Coreia do Norte. Este foi um movimento incomum e sugeriu que algo estava sendo planejado.

À medida que o Deep Sea 129 se aproximou do extremo norte da sua órbita elíptica as 13h30 locais (0430Z), ambos os MiG-21 foram lançados a partir de Hoemun-Ni para interceptar. O primeiro MiG montou uma patrulha defensiva a 120 km a oeste do EC-121, enquanto o segundo voou para leste e atacou o avião da Marinha dos EUA a cerca de 148 km a leste do norte da costa coreana. Os retornos de radar do MiG-21 e do EC-121 se fundiram em 0447Z, o horário provável da derrubada.

Deep Sea 129 caiu no Mar do Japão. Todas as 31 pessoas a bordo morreram.

Apenas dois minutos antes, às 4h45, o Brigadeiro-General Arthur W. Holderness, comandante da 314th Air Division da Força Aérea dos Estados Unidos, ordenou a decolagem de dois interceptadores Convair F-102A Delta Dagger estacionados em Osan a um ponto ao longo da rota de voo planejada do EC-121 para localizar e proteger Deep Sea 129 dos norte-coreanos. Os interceptadores decolaram as 0504Z, tarde demais.

Um HC-130 decolou da Base Aérea de Tachikawa, no Japão, às 0644Z para iniciar as operações de busca. Foi acompanhado por uma patrulha aérea de combate (CAP) montada por interceptadores Convair F-106A Delta Dart. Os navios de guerra da Marinha dos EUA, USS Dale (DLG-19) e USS Henry W. Tucker (DD-785), partiram da base naval de Sasebo, no Japão, para ajudar nos esforços de busca e salvamento. Navios soviéticos que estavam na região – e ouviram tudo com suas escutas – também se dirigiram ao local.

Um destróier soviético recuperou um bote salva-vidas, três jaquetas de couro, um paraquedas, dois uniformes de exposição e muitas peças de aeronaves. Estes foram transferidos para o Tucker.

Convair F-102 Delta Dagger

Os detritos recuperados indicaram que o EC-121 sofreu danos estruturais importantes da detonação de uma ogiva fragmentada de um, possivelmente dois, mísseis ar-ar AA-2 Atoll.

No dia 17 de abril, os corpos de dois tripulantes, o tenente Joseph R. Ribar e o AT1 Richard E. Sweeney, foram recuperados do Mar do Japão. Eles foram transportados para o Japão a bordo do Tucker.

Os Estados Unidos enviaram a Força Tarefa 71 ao Mar do Japão para defender aeronaves que voam no espaço aéreo internacional. A força-tarefa consistia de três porta-aviões de ataque, um porta-aviões anti-submarino, um navio de guerra, dois cruzadores pesados de mísseis guiados, três contratorpedeiros, dez destróieres e uma fragata.

O Lockheed EC-121M Warning Star tinha radomes dorsais e ventrais distintos. O avião tinha 35,40 m de comprimento, com uma envergadura de 38,45 m e altura de 7,54 m. Tinha um peso vazio de 37.953 kg e peso máximo de decolagem de 70.987 kg. De acordo com um documento desclassificado da Agência de Segurança Nacional de 1989, o EC-121M transportava quase 6 toneladas de equipamento de Inteligência Eletrônica.

Força-Tarefa 71

O EC-121M Warning Star era propulsado por quatro motores turbo compressor Wright Aeronautical Division R-3350-91. Os motores giravam hélices de três pás. O R-3350-91 media 1,43 m de diâmetro, 2,27 m de comprimento e pesava 1.670 kg.

A velocidade de cruzeiro era de 385 km/h e velocidade máxima de 541 km/h a 5.944 metros. Seu teto de serviço era de 6.675 metros e tinha um alcance máximo de 7.130 km.

O Mikoyan-Gurevich MiG-21PFM era uma versão de exportação do interceptador supersônico de curto alcance da União Soviética. Uma característica identificadora era a sua barbatana vertical. Além disso, o dossel de abertura única das versões anteriores fora substituído por um dossel de duas peças que se abria para a direita. O MiG-21PFM tem 12,29 m de comprimento, uma envergadura de 7,16 m e altura de 4,11. Seu peso bruto é de 9.076 kg.

O MiG-21PFM é propulsado por um único motor Tumansky R-11F2S-300, um turbojato de fluxo axial com pós-combustão, com uma seção de compressor de 6 estágios (3 estágios de baixa e 3 alta pressão) e uma turbina de 2 estágios (1 estágio de alta e baixa pressão). O motor produz 3.900 kg de empuxo seco e 5.400 kg com pós-combustão. O R-11F2S-300 tem um diâmetro de 90,6 cm, 4,6 metros de comprimento e pesa 1.124 kg.

O MiG-21PFM tem uma velocidade de cruzeiro de 885 km/h e velocidade máxima de 2.231 km/h. Seu teto de serviço é de 18.898 metros e seu alcance é de 1.666 km.

O armamento primário consiste em até quatro mísseis guiado por radar Vympel R-3S; ou mísseis ar-terra Zvezda Kh-66 guiados por radar. Poderia também carregar um pod na linha central contendo o canhão automático Gryazev-Shipunov GSh-23 com 200 disparos. Alternativamente, poderia transportar até 1.000 kg de bombas.

O Vympel R-3S era um míssil ar-ar de curto alcance e guiagem por infravermelho. Também é conhecido como o K-13 e foi identificado como o Atol AA-2 pelas forças da OTAN. O míssil foi submetido a engenharia reversa pelo Turopov Design Bureau, de um Raytheon AIM-9B Sidewinder que havia sido capturado pela República Popular da China durante a Crise do Estreito de Taiwan em 1958.

O R-3S tem 2,83 metros de comprimento, 12,7 cm de diâmetro, com uma extensão máxima de 52,8 cm. O míssil pesa 75,3 kg e está armado com uma ogiva de fragmentação explosiva de 11,3 kg. Um motor de foguete propelente sólido pode acelerá-lo a uma velocidade máxima de 550 m/s (1.979 km/h). O alcance efetivo é de 2.000 m, com um alcance máximo de 7.000 m.

O governo Nixon optou por não retaliar a Coréia do Norte, mas ordenou a realização de uma demonstração de força no Mar do Japão (Força-Tarefa 71) alguns dias depois. Os vôos de ELINT nas fronteiras da Coreia do Norte também foram retomados uma semana depois, para demonstrar que não seria intimidado pela ação, evitando, ao mesmo tempo, um confronto. A verdade é que a administração Nixon estava atolada no Vietnã e abrir mais uma frente seria catastrófico.


¹ A letra Z que segue a notação de tempo de quatro dígitos significa “Zulu Time”, um termo militar dos EUA que significa a hora no Meridiano Zero (também conhecido como o Meridiano Principal, 0 ° de longitude). É o mesmo que o Tempo Médio de Greenwich (Greenwich Mean Time – GMT) ou o Tempo Universal Coordenado (Coordinated Universal Time – UTC).


Com informações de This Day in Aviation


Para saber mais sobre esse “causo”, clique aqui.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Tudo isso aconteceu quando a CN não tinha artefatos nucleares…
    Mas os americanos revidaram, "Demostrando força" isso que é o importante …

  2. Nixon poderia ter dado cabo desta dinástica comuna , mas não poderia saber que eles teriam um programa nuclear. Mandar uma avião desarmada sem escolta foi a 2ª burrice. 1ª foi o navio espião atacado no mar amarelo o USS Pueblo. Yankees pensavam que comunas não jogavam sujo mesmo durante a a guerra do vietnã.

Comments are closed.