Durante as décadas de 1950 e 1960 a Guerra Fria aprofundou um congelamento entre as relações Grã-Bretanha-URSS e as forças armadas britânicas mantinham um estado de constante prontidão, com a RAF dissuadindo com suas armas nucleares qualquer aventura soviética.

Com os temores de um ataque aéreo soviético generalizado, os aviadores da RAF se mantinham em plena prontidão, com uma coleção de aeronaves preparadas para entrar em ação a qualquer momento para interceptar alvos hostis ou atingir alvos dentro do bloco oriental.

As imagens em cores são parte de uma notável coleção do Ministério do Ar e dão uma visão única da capacidade britânica entre 1950 e 1970, uma época de grande perigo para todo o Mundo ocidental.

No coração de tudo estavam as equipes de elite da icônica Força V de bombardeiros nucleares, que foram treinados para executar a missão final de deixar cair uma mortal carga nuclear sobre a União Soviética.

As imagens abaixo fotos foram reunidas por Ian Proctor, que também incluiu cenas da RAF em ação durante os conflitos coloniais do mesmo período.

10 COMENTÁRIOS

  1. Magníficas imagens!! Proporcionam uma visão geral de uma RAF muito mais poderosa e auto suficiente, comparativamente ao momento atual.

    E, acima de tudo, proporcionam uma bela amostra da capacidade da industria britânica daquela época, na concepção e desenvolvimento de uma variada gama de aves de combate.

    Ao comparar estas imagens com o momento atual da RAF e do parque industrial britânico neste setor, é inevitável não percebermos a que ponto chegou o seu declínio. Sem dúvida, a Dama de Ferro deixou as suas marcas profundas, aplicando o seu neoliberalismo (travestido na sua "economia doméstica") no desfecho patético deste estado de coisas.

    De qualquer forma, o mundo politicamente correto de hoje criou uma outra realidade – pelo menos no conflito nuclear – o que acabou contribuindo para a mudança nas doutrinas da RAF e de outras forças aéreas das principais superpotências.

    Por muito pouco não testemunhamos o apocalipse nuclear, nos Anos 60. Acima de tudo, ficou muito claro para nós, que nascemos naqueles anos loucos, que a capacidade de continuação da espécie humana dependia tão somente da sua decisão.