A HAL pretende fechar um acordo de venda de 83 jatos LCA Tejas.

Mirando uma encomenda da Força Aérea indiana (IAF) para 83 novos jatos, a HAL parece disposta a reduzir o preço do seu jato leve de combate Tejas.

De acordo com fontes próximas às negociações, a HAL disse que cada aeronave custa US$ 67 milhões como o preço básico. “O MoD e a IAF (clientes) estão firmes quanto a este preço, que deixa o Tejas não competitivo. A ideia é negociar e trazer o avião para um preço considerado justo, cerca de US$ 45 milhões por aeronave. As negociações estão quase completas e o preço final provavelmente ficará na faixa de US$ 35 a 41 milhões”, disse uma fonte.

“A HAL realmente não tem escolha. Se precisarmos sustentar nossas linhas de produção e os funcionários, precisamos de novos pedidos, e esse é um dos maiores pedidos que manterá a linha por pelo menos cinco anos”, disse uma fonte.

Atualmente, a HAL tem uma grande preocupação em sua fábrica em Nasik, que tem pedidos para sustentar apenas até março de 2020. Segundo o MoD, a HAL tem encomendas de 48 aeronaves de asa fixa – apenas 12 delas na planta de Nasik – 67 helicópteros, 80 motores e 26 conjuntos de estruturas de foguetes.

Uma fonte afirmou: “O Gripen*, que tem características semelhantes ao Tejas, estava custando menos de US$ 45 milhões por avião e que a HAL, para se tornar competitiva, deve ser capaz de oferecer um preço similar por um avião similar”.

Outra fonte disse que isso beneficiaria a HAL no longo prazo, aumentando a eficiência e reduzindo os custos. Eventualmente, o objetivo é exportar o Tejas e a HAL já manifestou interesse em fornecê-lo à Malásia. Se quiser exportar, precisa precificar as aeronaves na mesma faixa que as outras.

“Por que alguém pagaria quase US$ 70 milhões por Tejas se é possível comprar um Gripen por um preço menor?”, argumentou a fonte, acrescentando: “Além disso, a HAL citou 2,5 mil horas/homem para construir uma aeronave e os clientes querem 1,5 mil horas”.


Com informações do Times of India

Anúncios

9 COMENTÁRIOS

  1. O Tejas teria que "nascer" de novo para se quer poder ser comparado a um Gripen C/D

  2. "Características semelhantes ao Gripen"

    Anramm.. É só comparar o histórico dos projetos de caça da SAAB com o da HAL..

  3. Como se reduz pela metade o valor de um produto tão complexo, sem inviabilizar a própria produção?

    A única resposta que vejo é que a empresa supervalorizou o caça para vender ao próprio governo com a conivência da força aérea e da Defesa.

    • No início, falavam em 20 milhões por aeronave, daí a história que todos sabemos.

  4. O Tejas Mk1 me parece (com o perdão da palavra), inferior ao JF17 block 2. Aceitar o Tejas era admitir a derrota contra o Paquistão.

    O Tejas Mk1a ficou caro e impede a compra em massa. Eletrônica boa em um caça ruim.

  5. O Tejas mal dá para competir com o FA-50 e com o M-346FA, o Gripen é outra categoria muito superior!

  6. Baixando tanto o preço será que a Argentina deixaria de lado o FA-50 para ir de Tejas?

Comments are closed.