O programa de treinamento a jato da Real Força Aérea Australiana (RAAF) foi aprimorado com a entrega do primeiro Hawk AJT modernizado pela BAE Systems. (Foto: BAE Systems)

Os futuros pilotos da Real Força Aérea Australiana estão agora voando o mais recente padrão digital dos avançados jatos de treinamento Hawk, após o recebimento da primeira aeronave atualizada pela BAE Systems.

O primeiro aluno do Esquadrão 79 da base da RAAF de Pearce começou a treinar com o Hawk, aproveitando as capacidades de treinamento aprimoradas que tornam a frota da RAAF entre as mais avançadas do mundo.

Cada Hawk atualizado oferece novas capacidades de treinamento, incluindo simulado radar, sistema de guerra eletrônica, mapeamento digital, sistema de alerta de proximidade no solo (GPWS) e prevenção de colisão tráfego (TCAS). A atualização também inclui a substituição de dois dispositivos de treinamento sintéticos legados por três simuladores de missão completos fornecidos pela CAE.

A atualização da frota de jatos Hawk da Austrália está oferecendo uma capacidade de treinamento aprimorada para preparar pilotos para toda a vida no cockpit de aviões de jato rápido, incluindo F/A-18A/B Hornets legados, F/A-18F Super Hornets, EA-18G Growlers e, quando introduzido no serviço no final de 2018, o F-35A Lightning II Joint Strike Fighte.

A Capacidade Operacional Inicial para o Programa de Capacidade Garantida Lead-In Fighter (LIFCAP) foi reconhecida em uma cerimônia no Base da RAAF de Williamtown, ontem.

As equipes de engenharia da BAE Systems na Austrália e no Reino Unido, juntamente com a CAE e a Cubic Defense Applications Inc, trabalharam em estreita colaboração com a Commonwealth para oferecer essa capacidade aprimorada. Uma equipe conjunta da BAE Systems e técnicos da RAAF já completou a atualização de 12 aviões de uma frota total de 33 aeronaves. Uma vez modificados, todos os 33 aviões serão quase idênticos ao Hawk Advanced Jet Trainer (AJT) da Royal Air Force (RAF) do Reino Unido.

O gerente-geral da BAE Systems Austrália, Glynn Phillips, disse: “A aeronave BAE Systems Hawk atualizadas oferecem a RAAF uma capacidade de ponta e, juntamente com os simuladores de missão completos da CAE, oferece um sistema de treinamento de caça líder (LIFTS) altamente impressionante garantem que o Hawk mantenha sua eficácia na próxima década e além.

“A atualização eleva a frota de jatos Hawk da RAAF ao padrão mais moderno do Hawk em todo o mundo, permitindo o futuro desenvolvimento compartilhado e custos potencialmente compartilhados, com vários usuários”.

O comandante do Grupo de Comando de Combate Aéreo, o capitão Robert Denney, afirmou: “A capacidade operacional inicial para o programa LIFCAP representou um marco importante no desenvolvimento da capacidade de combate aéreo e foi essencial para fornecer qualidade e quantidade de pilotos e oficiais de combate aéreo da Força Aérea Australiana.

“O LIFCAP introduz uma atualização importante de aviônica para o Hawk 127 Lead-In Fighter, três simuladores de missão completos avançados e sistemas de suporte operacional que garantirão que o Lead-In Fighter Training System (LIFTS) seja capaz de produzir uma tripulação aérea suficiente e adequadamente treinada para operar os F/A-18F Super Hornet, EA-18G Growler e F-35A Joint Strike Fighter.

“Uma atualização de meio de vida para o Hawk foi necessária para garantir a sua viabilidade contínua, para diminuir o risco para o resultado da conversão operacional e para fornecer aos LIFTS a adaptabilidade para suportar os requisitos de treinamento associados às novas plataformas”.

A atualização da aeronave incluiu testes completos de solo e habilitação de voo de desenvolvimento por uma equipe conjunta RAAF/BAE Systems.

A atualização da frota de aeronaves Hawk começou em 2014 na BAE Systems Australia em sua instalação Fast Jet em Williamtown, e a atualização da frota será concluída no início de 2019.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Esta modernização da RAAF é a atualização do Hawk 127 para o Hawk 128, que é o Hawk T2 da RAF, agora denominado Advanced Jet Trainer (AJT) pela BAE.
    .
    Hawk 127: The Royal Australian Air Force ordered 33 Hawk 127 Lead-in Fighters (LIFs) in June 1997, 12 of which were produced in the UK and 21 in Australia. This variant is also powered by the Adour 871, work to upgrade the RAAF's Hawks to a standard similar to the Hawk 128 standard began in 2014, and it is planned that the two squadrons will begin operations with these aircraft in 2017.
    .
    Hawk 128 (Hawk T2): The new Advanced Jet Trainer (AJT) for the RAF and Royal Navy includes modern LCD displays instead of conventional instrumentation and is powered by the Rolls-Royce Adour 951 engine.
    In 2012 orders were placed for the AJT version by the Royal Saudi Air Force and the Royal Omani Air Force.
    .
    Como a BAE no texto não fala na substituição do motor, pode se deduzir que o Australiano vai continuar a usar o RR Adour 871, que só tem 20 anos e pode continuar em uso.
    .
    Foto do cockpit do AJT
    Front: https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:A
    .
    Rear: https://2.bp.blogspot.com/-QfGduPBvCK0/UcBV-tYrRc

  2. Lá mais no começo diz "F/A-18A/B Hornets legados". Acho que 'legados' era pra ser 'legacy', não é?!

    • A conotação “legado” pode ser usada para se referir a sistemas que embora sejam bem antigos, ainda oferecem serviços essenciais. Uma das traduções do termo “legacy” é “legado”, e que combina exatamente como a palavra usada no texto. Portanto está correta.

      Abraço,

      Fernando Valduga

Comments are closed.