O mais novo helicóptero AS365 K2 Pantera entregue pela Helibras para o Exército Brasileiro. (Foto: Helibras)

A Helibras acaba de entregar mais duas aeronaves modernizadas para o Exército Brasileiro. Seguindo o cronograma de entregas do ano, um Fennec (H125M) e um Pantera (AS 365 K2) partiram na última semana rumo ao 1º e 2º Batalhão de Aviação do Exército (BAvEx), respectivamente, em Taubaté (SP).

As entregas são parte do projeto de modernização dos helicópteros, firmado em 2009 e 2011, que prevê a modernização de 34 unidades do Pantera e 36 unidades do Fennec.

O Pantera recebeu a instalação dos motores Arriel 2C2CG, novo piloto automático digital, equipamento de visão noturna e corta-cabos (dispositivo de proteção que evita acidentes em casos de choque com fios elétricos) e revitalização da célula.

Já o Fennec, versão militar do tradicional Esquilo, agora conta com o Sistema Glass Cockpit, novos Sistemas de Comunicação e Navegação digital, Piloto Automático dois eixos, novo Braço de Armamento, entre outros.

A Helibras já entregou 25 helicópteros, sendo 17 Fennecs e 8 Panteras para o Exército Brasileiro. Outras duas aeronaves, uma de cada modelo, estão no cronograma de entregas para este ano.

Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. Cavok: temos artigos aqui que detalham melhor essas atualizações?

  2. A Aviação do Exército tem se mostrado bem eficiente e coordenada, usando seus recursos com inteligência e eficácia. Só acho que o 1º, o 2º BAvEx de Taubaté, o 3º BAvEx de Campo Grande e o CIAvEx também de Taubaté deveriam ser concentrados na Floresta Amazônica, assim como o 4º BAvEx. E mesmo com a entrada em serviço do HM-4, eu ainda sigo na linha de que existe a necessidade de um vetor como o "Chinook" ou "Halo" operando na Amazônia.

    • Mas Jéfferson, o Brasil não se resume a Amazônia e o EB tem que operar em todo o país.

    • Vai mandar toda a AvEx pra Amazônia? E quem vai apoiar operações em áreas urbanas, no Pantanal ou no sul? O país não é só floresta, amigo.

  3. Obrigado amigos WRStrobel e Doug385, concordo com os pontos levantados. Mas insisto no fato de que os Pelotões de Fronteira do Exército espalhados pela região norte carecem de um apoio adequado, apoio este muitas vezes prestado apenas pela FAB e já corre a informação de que a FAB estaria reduzindo esses voos pelos cortes orçamentários. Nas operações urbanas, a FAB opera grande número de asas rotativas próximos a grandes cidades, e cito também a PMSP. Já no Pantanal a Marinha do Brasil opera o Esquadrão HU-4. Sei que o EB tem suas responsabilidades, mas nossa Amazônia merece uma maior atenção. Temos o grosso da AvEx sediada em Taubaté. Sei que a cidade é uma espécie de trampolim para qualquer direção do país, porém está distante da região norte.

    Abraço a todos.

    • Para isso que vc está imaginando nós teríamos que ter um comando unificado para helicopteros e cada Esq. teria que estar capacitado a fazer missões variadas com um bom helicoptero ou de modelos diferentes que possam fazer uma gama mais variada de missões.
      Por exemplo no Mato Grosso do Sul tem o Esq. da MB em Ladário que tem pequenos helicopteros UH-12 Esquilo monomotor de baixo alcance, se limitando as necessidades da MB. Em Campo Grande tem o Esq. Pelicano da FAB usado o H1-H para missões SAR e o EB com os HA-1 Fennec e HM-1 Pantera.
      Acima do Mato Grosso do Sul só vai encontrar um Esq. de helicoptero em Oorto Velho, e são os Mi-35 de ataque que não tem guincho para içar acidentados e não é util em missão para atender acidentes, a não ser onde haja um local próximo para pousar, outro dia tiveram que deslocar um Black Hawk de Manaus para fazer uma missão SAR em Porto Velho.
      Acima de Porto Velho só Manaus, esta sim uma localidade bem servida de helicoptetos com o Black Hawk do EB e FAB e Super Puma do EB.
      No sul temos Black Hawk da FAB em Santa Maria que faz até SAR atendendo ocorrencias em navios, pois a MB só tem esquilo na cidade de Rio Grande.
      O Brasil precisa de mais helicopteros capacitados e bem distribuidos, concentrar não resolve e as Polícias tem suas necessidades e não podemos contar com sua disponibilidade.

Comments are closed.