Um helicóptero utilitário Kamov Ka-226T, que a Índia pretende fabricar no seu país.

O preço unitário dos helicópteros utilitários Kamov que serão fabricados na Índia terão um preço quase 2,5 vezes o custo unitário dos 60 helicópteros que seriam construídos na Rússia e fornecidos ao Exército e Força Aérea da Índia para operações em áreas de altitude como em Siachen e Ladakh.

A questão sobre o preço e a transferência de tecnologia estão diminuindo o negócio que as forças armadas precisam urgentemente ser concluído para substituir sua antiga frota de helicópteros Cheetah e Chetak nas operações mais críticas.

Segundo um acordo governamental indo-russo, a Índia está comprando 200 helicópteros Kamov Ka-226T, dos quais 60 seriam construídos na Rússia e fornecidos diretamente às forças, enquanto os restantes 140 seriam fabricados por uma joint venture entre a Kamov e a HAL junto com uma parceira do setor privado.

“Durante as negociações com o lado russo, descobriu-se que o custo dos 140 helicópteros a serem construídos na Índia seria de cerca de 2,5 vezes o custo dos primeiros 60 helicópteros. Há certas questões sobre isso na ala de aquisição”, disseram fontes do Ministério de Defesa.

O progresso do acordo pode ser discutido durante a reunião entre o primeiro-ministro Narendra Modi em seu encontro com o presidente russo, Vladimir Putin, em Moscou, planejado no início do próximo mês.

No entanto, altos funcionários do ministério disseram que o programa “Make in India” vem com um custo elevado já que os investimentos têm que ser feitos para criar uma nova instalação e mão de obra tem de ser treinada juntamente com a aquisição de terras para o novo conjunto.

O governo havia selecionado a HAL como parceira, mas mais tarde também pensou em incluir um parceiro do setor privado para a joint venture para promover a participação privada na defesa, mas isso vai aumentar o custo do programa, disseram as fontes.

A decisão sobre a escolha do parceiro do setor privado deve ser tomada pela Hindustan Aeronautics Limited (HAL) e a empresa ainda deve fazer uma reunião final sobre a questão.

O negócio também está ficando afetado pela questão sobre o peso dos helicópteros, já que acredita-se que os construídos na Rússia pesam mais do que o que foi especificado nos requisitos da competição pela força.

“A questão foi levantada com os russos e espera-se que algumas soluções sejam encontradas para reduzir o peso em breve”, disse uma fonte.

Fontes disseram que parecia haver uma questão menor sobre a interpretação das cláusulas sobre a transferência de tecnologia para os helicópteros Kamov, como durante uma das reuniões os russos propuseram fornecer os 140 helicópteros a serem construídos na Índia na forma de kits totalmente prontos e não kits semi-preparados – o que significaria que os helicópteros só seriam montados e não construídos na Índia.

TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

O helicóptero Ka-226T durante avaliação pelo exército indiano.

“Nós somos muito claros que nós queremos a transferência da tecnologia para estes helicópteros de modo que possam ser construídos no futuro por nossas empresas por conta própria no futuro,” disse um oficial da defesa.

O preço tem sido um assunto crítico em acordos de defesa envolvendo a Rússia, já que vários negócios, como os projetos de aviões de caça de quinta geração e os projetos de aviões de transporte multimissão foram deixados de lado por causa dos súbitos e exorbitantes aumentos de custos vindo de Moscou.

O maior exemplo de sofrimento da Índia devido ao aumento dos preços foi o projeto do porta-aviões INS Vikramaditya, que custaria US$ 900 milhões no momento da assinatura em 2004, mas foi entregue em 2014, após um custo adicional de US$ 1,2 bilhão em 2014.


Fonte: Mail Today

12 COMENTÁRIOS

  1. Será que lá tem 'odebréxiti' também? Talvez seja isso, a 'putenfia' indiana e seus pixulecos.

  2. NAO HA tecnologia envolvida nestes helis que justifiquem a India pagar um preço tao alto ,tudo em nome da tal TOT ,dias atras ja testaram dois novos modelos de fabricaçao nacional(provavelmente assistidos por uma empresa estrangeira ) , serah que estao interessados no rotor duplo ?( duvido pois oque mais se veh eh projetinhos de garagem com este sistema), pagaram o preço de um Reagan em um carrier velho sem catapultas , estao de pes e maos amarrados em um projeto de 5G que ainda leva-ra decadas para entrar em operaçao , agora irao comprar tecnologia de algo que nao ira acrescentar NADA na industria indiana ,seria como se comprassem a tecnologia de um Boeing 737 max hoje , para pensar em produzi-lo daqui a 30 anos , pra mim a India esta eh pagando a Russia por proteçao , sim ,proteçao na onu e proteçao contra eventual combinado entre China e Paquistao para intervir na Cachemira , utilizam deste artificio para nao pegar mal. Eh isso ai , a INDIA paga por PROTEÇAO a Russia , so isto justifica tanta grana desperdiçada com os projetos Russos megasuper faturados ! Coisa de mafia vendendo proteçao .

    • Está realmente caro mas sua conclusão ficou estilo "Teoria da Conspiração"….
      Mas daria um filme sobre o mafioso Putin vendendo proteção.

      • Eh mais interessante pensar nisto doque imaginar que os indianos possuem uma odebreci e uma j$$ !

    • O PAK FA (FGFA) levará mesmo "décadas" para entrar em operação…?? Não tive acesso a nenhuma previsão neste sentido.

      • A versao indiana , nao se esqueça , desculpe por nao ter sido mais claro !

      • Sim , ela nao entra-ra em serviço antes de 2030 , considerando que o projeto se iniciou em 2009 !

  3. O subtexto é bem conhecido aqui nos trópicos. Como uma elite bem posicionada pode lucrar com o sonho coletivo de autossuficiência e poder.

  4. O país esta comprando o Know how de como construir o helicóptero e não um produto feito para pronta entrega lógico que é mais caro pois nem as instalações onde vão ser feitos esta construida, não há pessoal técnico treinado e eles vão fabricar sob licença isto é vão montar em seu ´país e sempre aparecem custos de ultima hora como variação de cambio entre outras. A questão do caça é por conta dos mesmos problemas dos helicópteros sendo ainda muito mais caro. Isso que dá desenvolver tecnologia que é cara, do contrario é só comprar de prateleira onde ele não vai desenvolver nada mas sai mais em conta e não desenvolve industria interna nenhuma.

    • Torrando grana geral , bastaria comprar de prateleira , quando se paga muito caro em produtos russos ,o comprador joga fora a unica vantagem que estes produtos possuiam em relaçao aos similares (+++++)ocidentais, ou seja ; O preço da mercadoria , nao ha como fugir desta realidade , produtos armas russas sao BOAS e possuem preços EXCELENTES ,ai esta a vantagem que a India jogou fora !

  5. Como os nossos gripen vão custar beem mais caro que unidades fabricadas na suecia, e no final nem a india vai conseguir construir um ka-226 do zero sozinha nem o Brasil vai conseguir construir um Gripen.

    Para mim transferência de tecnologia só serve para nebular o custo e aumentar o preço final para facilitar desvio de dinheiro.

    Acho que a venda dos aviões e a venda das tecnologias deveriam ser negociações separadas para que se ficassem bem claros os custos de cada uma.

Comments are closed.