Helwan HA-300
Helwan HA-300

O Helwan (também conhecido Haluan ou Heluan) HA-300 era um caça a jato leve, considerada por muitos como uma aeronave exótica e enigmática.

É e foi bastante singular por ser o mais o mais leve dos caças capaz de alcançar Mach 2 já construído (o protótipo tinha um peso bruto de apenas 3.200 kg e 4.500 kg para a versão de série planejada). Ele foi o último caça a jato concebido sob a direção de Willy Messerschmitt, famoso por seus aviões durante a Segunda Guerra Mundial (Me-109 e Me-262), porém, logo depois ele desistiu do projeto e o desenvolvimento do caça coube Kurt Tank, outro famoso designer alemão.

Após a Segunda Guerra Mundial, todos os projetistas alemães e técnicos foram proibidos pelos Aliados de continuarem a produzir equipamentos de defesa.

01

A Messerschmitt, por conta de seu fundador, conhecido como Professor Messerchmitt, criou uma nova empresa, a Hispano Aviación na Espanha e começou a desenhar em 1951 um avião de caça ultra leve. Apenas um planador a base de madeira compensada, de asas em delta e sem cauda foi construído. No seu primeiro voo, rebocado por um CASA C-2.111 (a versão espanhola do Heinkel He-111), foi logo descartado, devido à instabilidade do aparelho.

O desenvolvimento começou realmente em 1952, na Espanha. Com o declínio do interesse da Espanha, o Professor Messerschmitt deve ter tido uma felicidade imensa quando o Egito mostrou interesse e assinou um contrato em 1959 para continuar o desenvolvimento do caça.

02

Negociações entre representantes do governo egípcio e o Prof. Messerchmitt culminaram com os egípcios assumindo o projeto, que ficou conhecido como HA-300 (Hispano Aviacion 300).

A equipe alemã de design mudou-se para Helwan, ao sul do Cairo. O HA-300 foi um projeto de desenvolvimento muito mais ambicioso. Foi definido um caça leve, de um assento, com asas em delta com estabilizadores horizontais na cauda. Foi o último projeto do professor Willy Messerschmitt e o único verdadeiramente supersônico.

O HA-300 era um avião de caça a jato de dimensões muito reduzidas. Possuia um enflechamento em sua asa delta de 57,5 graus e sua relação espessura/corda era de apenas de 3%.

03

O desenvolvimento final resultou numa configuração em delta com estabilizadores, não muito diferente do MiG-21. A propulsão para o pequeno caça foi através de um motor Orfeu Bristol 703 nos primeiros dois protótipos, enquanto que o terceiro protótipo e os de série seriam propulsionados um Brandner/EGAO E-300, um motor que seria desenvolvido localmente.

A equipe do projeto consistia de egípcios, alemães, suíços, espanhóis e austríacos. Como eles não têm tinham nenhum piloto de teste experiente, o Egito buscou ajuda de outro país não-alinhado, e a Índia enviou o piloto e oficial da força aérea, Kapil Bargava, para os testes de voo.

04

A velocidade máxima deveria ser de Mach 1,5. Engenheiros alemães, espanhóis e egípcios, que adaptaram o projeto para o motor E-300 com o intuito de tornar o caça capaz de velocidades na ordem de Mach dois.

O HA-300 resultou um caça leve e pequeno, comparável ao Fiat G.91 e ao Northrop F-5A/B Freedom Fighter. O piloto do HA-300 parecia sofrer uma excepcionalmente baixa de visão no momento da aterragem, e, portanto, é possível que na variante de produção de alguma forma um nariz mecânico teria sido usado, ao melhor estilo Concorde.

O motor Bristol  não era poderoso o suficiente para chegar a velocidades supersônicas. Um novo motor, o E-300 seria desenvolvido por uma equipe liderada pelo Dr. Ferdinand Brandner, que foi da Áustria para o Egito para ajudar no desenvolvimento do motor E-300.

06

A plataforma de teste para o motor E-300 foi montada em Helwan, onde engenheiros indianos ajudaram no desenvolvimento. O HA-300 possuía tomadas de ar laterais, lembrando em muito as do Lockheed F-104G Starfighter.

Para testar o turbo E-300, um motor foi colocado num Antonov An-12 “Cub”, da força aérea egípcia, substituindo um dos motores turboélice do avião. O An-12 acabou danificado em 05 de junho de 1967 num ataque de aviões Vantours da IDF/AF em Helwan.

A Índia apoiou o programa de desenvolvimento do motor E-300 porque planejava usar esse motor no HF-24 Marut.

05

O armamento previsto para a missão de interceptação consistia de dois a quatro mísseis ar-ar infra-vermelho (IR) teleguiados, AA-2 ‘Atoll’, e dois canhões de 30 ou 23 milímetros. Numa versão destinada ao ataque ao solo, o caça usaria então quatro Nudelmann-Suranov NS-23.

O primeiro protótipo voou em 7 de março de 1964, com o segundo protótipo voando em 22 de julho de 1965. Apesar das diminutas dimensões do caça, os protótipos apresentavam agradáveis características de voo, bem ao contrário do seu semelhante e contemporâneo (em peso, mas de menor desempenho) Gnat Folland. Os projetistas tinham certeza de que o Ha-300 era pouco inferior ao MiG-21, que naquela época tinha entrado em serviço com a força aérea egipcia.

Problemas com o processo de desenvolvimento muito lento, problemas econômicos no Egito e a Guerra dos Seis Dias levaram ao cancelamento de todo o projeto. O terceiro protótipo (já com o motor Brandner) foi concluído, mas nunca voou.

Em 1991, a Daimler-Benz Aerospace comprou um Ha-300 e levou-o para a Alemanha. Depois de restaurado, durante cinco anos, ele foi transferido em definitivo para Deutsches Museum.

07

 

Tipo: Interceptor monoposto

País: Egito

Tripulação: 1

Propulsão:Um turbojato Bristol Orpheus 703 (Brandner E-300 foi montado para o terceiro protótipo), provendo 4.850 £ de empuxo.

Dimensões

  • Comprimento: 13,0 m
  • Altura: 3,65 m
  • Envergadura: 5,84 m
  • Área da asa: 16,7 m²

Pesos

  • Maximo de decolagem: 4.490 kg

Desempenho:

  • Velocidade máxima: Mach 1.13 (com o uso do motor Brandner E-300 esperava-se que atingisse Mach 2)

Teto de serviço: 18.000 m

Alcance: cerca de 1.400 km (estimado)

Armamento: Dois canhões de 20 ou 30 mm e dois mísseis ar-ar Atoll

Usuários: Força Aérea egípcia, mas apenas dois protótipos foram construídos em Helwan antes que o programa fosse encerrado em 1969.

 

PESQUISA: CAVOK

Imagens: Internet


Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. Poxa… pena que não combateu.

    Eu lembrava que tinha um dedo do Kurk Tank nesse projeto, que depois da WW2, ele foi pra Argentina, desenvolveu o Pulqui, depois saiu de lá e acho que fez esse projeto. Só que na biografia dele na wiki, não comenta nada sobre esse avião, fala só do HF-24 Marut, da India e do Pulqui…..

  2. Excetuando-se a asa em delta, ele lembra bastante o Gnat…

    Se os egípcios visassem um projeto menos ambicioso, poderiam muito bem ter conseguido uma aeronave própria de performance similar a um Mig-17. Seria provavelmente barata, podendo ser construída as centenas; além de garantir um equipamento próprio, de forma ( mesmo que parcialmente ) independente…

  3. me lembra muito o jf-17 sino-pakistaneze a principal mudança sao as entradas de ar DSI
    eae q 6 acha

Comments are closed.