O jato leve HondaJet.

O HondaJet foi o jato executivo mais entregue em sua categoria em 2017, de acordo com a Associação dos Fabricantes de Aviação Geral, GAMA, na sigla em inglês.

No ano de 2017, a Honda Aircraft, divisão da Honda Motor Co. Ltd., responsável pelo desenvolvimento de tecnologias em aviação, entregou 43 aeronaves para clientes na América do Norte, América Latina, Europa e Ásia. À medida que a demanda global pela aeronave cresce, a companhia aumenta seus volumes de produção. Atualmente, são fabricadas quatro unidades da aeronave por mês na sede mundial da empresa, localizada em Greensboro, Carolina do Norte, Estados Unidos.

Desde que recebeu a certificação de tipo da Administração Federal de Aviação (FAA), no final de 2015, o HondaJet mantém a posição de jato mais avançado em sua categoria. A aeronave tem conquistado outros importantes marcos no universo da aviação, como certificações de tipo obtidas ao redor do mundo, 13 recordes de velocidades, além da inauguração das novas instalações de seu representante em Guangzhou, China e, mais recentemente, a assinatura de um acordo para entregar 16 unidades do HondaJet para a companhia francesa de táxi aéreo Wijet.

“Agradecemos aos nossos clientes a escolha do HondaJet pelo seu valor, características e desempenho, tornando-o o jato mais entregue em sua categoria”, disse o presidente e CEO da Honda Aircraft, Michimasa Fujino. “Estamos ansiosos para continuar a criar um novo valor na aviação executiva em todo o mundo”.

No Brasil, a Honda Aircraft nomeou a Líder Aviação como representante exclusiva de vendas, serviços e suporte para os clientes no País. Com 21 bases em todo o território nacional, a Líder atua em cinco unidades de negócio e oferece soluções completas em aviação executiva.

7 COMENTÁRIOS

  1. A Honda surpreendeu ao decidir fazer um motor próprio para este avião, alegando na época que era tradição usar motores próprios nos seus veículos.
    Contratou a GE pars o desenvolvimento e fizeram o motor GE Honda HF120 em fábrica própria, este motor possui uma manutenção simples com 40% de periodo maior entre revisões que os concorrentes e baixo custo de manutenção, alegam que custa 139 dólares por hora sua manutenção incluindo custo das revisões e TBO atual de 2500 hs certificada pela FAA e EASA que deve aumentar com a confiabilidade para uma certificação futura de até 5000 hs.
    Não é comum fabricantes de aviões fabricarem seus motores, coisa de japonês.

    • Pode virar algo comum pois a tendência para diminuir custos é a verticalização da produção.

      • Difícil que outras fábricas venham a querer produzir seus próprios motores, é muito mais fácil usar um RR, Willians, Honeywell, Safram, GE ou P&W testado e aprovado do que produzir sua própria turbina aeronáutica.
        Mesmo que façam como os japoneses e contratem um destes como parceiro no desenvolvimento do motor.

  2. Quando colocarem piscina, sauna e uma quadra de futebol de salão eu compro um.

Comments are closed.