O Brasil representa 7% do tráfego aéreo que parte dos EUA.

Falando perante os líderes da aviação na Conferência Wings of Change da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) no primeiro Salão Internacional de Aviação do Brasil (IBAS) no Rio de Janeiro, Victoria Wassmer, Administradora Adjunta da FAA, disse que os Estados Unidos se orgulham de participar em parceria com o Brasil, que reforça a cooperação bilateral em matéria da expansão aeroportuária, gestão do espaço aéreo, segurança da aviação e segurança.

A vice-administradora interina, Wassmer, está participando do IBAS e participando de reuniões com líderes do governo e da indústria da América Latina e do mundo.

“Enquanto o tráfego continua a aumentar entre os nossos países, é vital que os operadores sejam capazes de voar de forma segura e transparente entre os nossos respectivos sistemas”, disse a vice-administradora Wassmer. “Ao trabalharmos juntos, o NextGen dos Estados Unidos e os programas Sirius do Brasil estão conduzindo a sistemas de aviação mais seguros, mais eficientes e ambientalmente amigáveis, não só em ambos os países, mas em todo o mundo”.

A FAA e o Brasil enfrentam muitas das mesmas questões para modernizar a gestão do tráfego aéreo. Estes incluem o tamanho da área geográfica, a coordenação civil-militar, vastos espaços de espaço aéreo remoto, áreas terminais congestionadas e uma indústria de aviação geral madura. Juntos, os Estados Unidos e o Brasil têm colaborado através da OACI para conseguir um sistema global de gestão do tráfego aéreo modernizado e transparente. Para complementar esses esforços, a Vice-Administradora Wassmer e o Brigadeiro-Major Carlos Aquino, Diretor Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) assinaram ontem um acordo para que os dois países em conjunto implementem a pesquisa e desenvolvimento do GBAS. O GBAS é uma alternativa ao Sistema de Pouso por Instrumentos (ILS) tradicional que é usado para fornecer orientação de aproximação de precisão até o limite da pista nos aeroportos em condições de visibilidade quase nulas.

A vice-administradora da FAA, Victoria Wassmer e o Embaixador dos EUA no Brasil, P. Michael McKinley.

Desde 2013, a Parceria de Aviação EUA-Brasil tem compartilhado conhecimentos através de uma série de workshops sobre design e construção de aeroportos, segurança aeroportuária, gestão do tráfego aéreo e certificação de aeroportos. Mais de 1.200 especialistas em aviação participaram.

O Brasil tem a terceira maior fabricante de aviões do mundo, a Embraer, e serve como destino para mais de sete por cento do tráfego internacional que sai dos Estados Unidos. O Sirius é a nova Fonte de Luz Synchrotron brasileira que será a maior e mais complexa infra-estrutura científica do país.

A Iniciativa de Liderança Global da FAA está transformando como a FAA prioriza e aloca recursos para se envolver com a comunidade internacional de aviação para melhorar a segurança, eficiência e sustentabilidade ambiental por meio da harmonização regulatória e parcerias.

Anúncios