Um MV-22 Osprey do USMC voando junto dos A-10C Thunderbolt II da USAF durante exercício no Havaí. (Foto: U.S. Marine Corps / Sgt. Alex Kouns)

Em fevereiro, os A-10 da 442ª Ala de Caça da Força Aérea dos EUA foram destacados para o Havaí para auxiliar os MV-22 Ospreys do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA nas missões de escolta de aeronaves e recuperação tática de pessoal em um exercício chamado Tropical Koa Agile Combat Employment.

“Os MV-22 Ospreys do Esquadrão de Tiltrotores Médio dos Fuzileiros 268 e os helicópteros AH-1Z Viper e UH-1Y Venom do Esquadrão de Helicópteros de Ataque dos Fuzileiros (HMLA) 367 “Scarface” estão realizando treinamento de escolta de asa fixa incorporando os A-10s”, disse o Tenente Colin B. Kennard, porta-voz da MAG-24.

Não é a primeira vez que o A-10 fornece cobertura de escolta para o MV-22.

O Warthog é a “plataforma de escolta preferida” para o MV-22, de acordo com Kennard. Isto é devido aos armamentos ar-terra do A-10 e ao fato de que o A-10 voa em velocidades similares às do Osprey, disse ele.

O A-10 Thunderbolt II é “comumente emparelhado com o MV-22 ao conduzir missões de evacuação médica ou recuperação tática de aeronaves e de pessoal”, disse Kennard.

Os jatos A-10 também realizaram missões de escolta para o MV-22 em missões anti-ISIS em apoio à Operação Inherent Resolve no Iraque e na Síria.

Mas é a primeira vez que a 442ª Ala de Caça, realiza treinamento com o MV-22 Osprey, disse Kennard.

Os A-10s do 303º Esquadrão de Caça da Base Aérea de Whitman, Montana, e os MV-22s do VMM 268 “Red Dragons” praticaram a recuperação tática do pessoal, missões de busca e salvamento e reabastecimento, que serão vitais na vasta extensão do Oceano Pacífico, onde as forças serão distribuídas por várias bases e cadeias de ilhas.

O Corpo de Fuzileiros Navais estava em busca de um sistema de armas que permitiria ao Osprey operar como uma plataforma de escolta, e lançadores de foguetes estavam sendo considerados para preencher a lacuna de escolta do Osprey.

O MV-22 Osprey já está armado com o Sistema de Arma de Defesa, que é uma mini-gun GAU-17 de 7,62 mm. Mas relatos afirmaram que havia zonas restritas de disparo de armas que foram postas em prática para proteger as aeronaves que limitavam o sistema.

Em setembro de 2018, o Comando de Sistemas Aéreos Navais disse ao Corpo de Fuzileiros Navais que o Sistema de Armas Defensivas seria atualizado e que não havia mais nenhuma busca pelo desenvolvimento de armas para o MV-22.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Treinando e desenvolvendo, praticando e fazendo intercâmbio. Por isso a USAF, a US Navy e os Marines são o que são.

  2. É desde a Guerra da Korea para salvar tripulantes abatidos das 3 forças em terra e mar.
    Essa força quer arma-los para realizar só a missão. Quero ver armar o Osprey com todo arrasto que já tem. Numa versão de ataque seria um bom alvo.

Comments are closed.