O Beluga XL vai passar por várias fases de produção. (Foto: Airbus)

O cargueiro pesado de nova geração da Airbus está passando de conceito para realidade, já que a primeira estrutura do núcleo Beluga XL inicia seu processo de integração de 18 meses nas instalações de produção da empresa em Toulouse, na França.

A fuselagem central é extraída de Airbus A330-200 que foi estruturalmente reforçado, fornecendo a plataforma em que a estrutura do Beluga XL será construída.

A integração da estrutura do núcleo Beluga XL será realizada no interior do edifício L34, de duas seções, na zona industrial da Lagardère da Airbus, adjacente ao aeroporto de Toulouse-Blagnac.

O Airbus Beluga XL está programado para fazer seu primeiro voo em 2018. (Foto: Airbus)

Durante os primeiros 12 meses da atividade de montagem, a estrutura será concluída e seus sistemas hidráulicos e elétrico serão instalados em uma estação de integração. Para os seis meses restantes, a aeronave vai passar para uma segunda estação para testes de solo e instalação do motor.

O próximo ano de integração final será uma série de pequenos passos“, disse o chefe do programa Beluga XL, Bertrand George. “O número de furos a serem perfurados e rebites a serem instalados é muito maior do que em qualquer outro avião da Airbus. Aderir ao cronograma em cada etapa é a chave para estar pronto para o primeiro voo em 2018. Confio plenamente na capacidade de nossas equipes para que isso aconteça juntos“.

Baseado na estrutura do versátil Airbus A330, um total de cinco unidades do Beluga XL serão construídas, com o primeiro entrar em serviço operacional em 2019. Eles vão substituir gradualmente a frota existente do Beluga ST, que foram derivados do A300, de fuselagem curta.

Uma vez que o primeiro Beluga XL entra em serviço, ele irá fornecer um apoio crucial para a produção da Airbus graças à sua capacidade de transportar um conjunto completo de asas do A350 XWB.

1 COMENTÁRIO

  1. Alguém tem informações técnicas deste Beluga ? Será que é a mesma especificação do 330 normal ?

Comments are closed.