Depois de quase 50 anos história, a aeronave IA-58 Pucará, projetada para missões de apoio a tropas terrestres, terminou sua história na Força Aérea Argentina como aeronave de ataque e agora poderá começar uma nova etapa com o nome simbólico de Phoenix.

Hoje (04/10), a Base Aérea de Reconquista, em Santa Fé, marcou o encerramento oficial do capitulo do guerreiro Pucará na história da Força Aérea Argentina, que começou 1974 com o primeiro voo. O evento, contou com a presença do alto comando militar do país, começando com a revista de tropas treinadas e a entonação do Hino Nacional da Argentina. Durante esta cerimônia, o comando argentino informou que a aeronave será modificada para cumprir missões de reconhecimento e renascerá com o nome de IA-58 Phoenix.

Duas aeronaves IA-58 Pucará, juntamente com suas tripulações, foram recebidas pela equipe local para participar da cerimônia de despedida do sistema de ataque Pucará.

O IA-58 Pucará foi projetado e construído na então Fábrica de Aeronaves Militares (FMA), hoje a Fábrica de Aeronaves Argentina “Brigadeiro San Martín” SA (FADEA) da cidade de Córdoba, cujo nome quíchua significa “força”.

A lendária resistência estrutural do Pucará, equipada com uma cabine blindada, protegeu os pilotos que prestavam apoio aéreo aos soldados argentinos durante a Guerra das Falklands/Malvinas.

Sua produção durou de 1974 e 1999, com um total de 107 aeronaves construídas. O primeiro voo ocorreu em agosto de 1969. Na Força Aérea Argentina, o sistema de armas está em operação desde 1975, permanecendo em serviço por 44 anos.

A República Argentina exportou Pucará para o Uruguai, Colômbia e Sri Lanka; e sua participação na batalha aérea das Ilhas Malvinas, desdobrada do grupo de ataque 3 e operando na Base Aérea Militar de Condor, no porto de Darwin; onde realizaram missões de exploração, apoio próximo às tropas, escolta de helicóptero armado, exploração marítima e ataque a posições de artilharia, conseguindo atingir um helicóptero inglês.

Apresentação do IA-58 Phoenix, um Pcará modernizado para missões ISR.

A atualização do Pucará existente e sua conversão em IA-58 Phoenix inclui um avanço técnico-qualitativo, em um processo que vai de uma aeronave de ataque para outra que permita missões ISR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento).

“O Phoenix é a solução mais promissora que a Força Aérea Argentina encontrou para evoluir no século XXI na aquisição de recursos aéreos de busca, vigilância e inteligência”, disseram as autoridades.

Na modernização, as aeronaves manterão praticamente apenas suas células e receberão novos motores e novos equipamentos eletrônicos.

Anúncios