A Boeing e a Singapore Airlines celebraram hoje a entrega do primeiro avião 787-10, o mais novo e maior membro da família Dreamliner e um jato que estabelecerá um novo padrão global de eficiência de combustível. O avião é visto aqui fora da unidade Boeing South Carolina, durante uma celebração de entrega com a participação de cerca de 3.000 pessoas. (Foto: Joshua Drake / Boeing)

A Boeing e a Singapore Airlines celebraram na noite de domingo (25/03) a entrega do primeiro avião 787-10, o mais novo e maior membro da família Dreamliner e um jato que estabelecerá um novo padrão global de eficiência de combustível.

Cerca de 3.000 pessoas estiveram presente para registrar o feito nas instalações da Boeing em North Charleston, Carolina do Sul, onde o mais recente modelo 787 é fabricado.

Como os outros 787 Dreamliners, o 787-10 foi projetado com compósitos fortes e leves, os sistemas mais avançados e recursos de cabine confortáveis. O 787-10, no entanto, possui uma fuselagem mais longa que permite transportar cerca de 40 passageiros adicionais ou um total de 330 assentos em uma configuração padrão de duas classes.

Com a capacidade adicional, o 787-10, que é vendido por US$ 326 milhões a preços de tabela oferece às companhias aéreas o menor custo operacional por assento de qualquer avião widebody em serviço atualmente.

(Do centro da esquerda para a direita) Dominic Horwood, Diretor de Clientes e Serviços para a Indústria Aeroespacial Civil da Rolls-Royce; Kevin McAllister, Presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes; e Goh Choon Phong, CEO da Singapore Airlines são vistos aqui cortando uma fita cerimonial para comemorar a entrega do primeiro 787-9. (Foto: Joshua Drake / Boeing)

“É uma honra para nós sermos a primeira companhia aérea do mundo a receber esta incrível aeronave”, disse Goh Choon Phong, diretor executivo da Singapore Airlines, cliente de lançamento do 787-10. “O 787-10 é uma peça magnífica de engenharia e verdadeiramente uma obra de arte. Será um elemento importante em nossa estratégia de crescimento global, permitindo-nos expandir nossa rede e fortalecer nossas operações.”

Goh acrescentou que “o 787-10 ressalta o compromisso de longa data da Singapore Airlines de operar uma frota moderna e marca o início de um novo capítulo em nossa história compartilhada com a Boeing”.

A Singapore Airlines – através de sua subsidiária Scoot – já voa com os 787-8 e 787-9 Dreamliners. Com a entrega de hoje, o grupo será o primeiro a operar todos os três modelos Dreamliner. A Singapore Airlines tem 68 jatos de fuselagem larga encomendados pela Boeing, incluindo 48 787-10s adicionais e 20 dos novos 777-9s.

“Este é um grande dia para todos nós da Boeing e para nossos parceiros fornecedores globais. Estamos entusiasmados em entregar o primeiro 787-10 Dreamliner à Singapore Airlines, uma das principais operadoras do mundo. E estamos honrados pela parceria e confiança de Cingapura, enquanto refletem as repetidas encomendas do Dreamliner”, disse Kevin McAllister, presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes. “O 787-10 estenderá o efeito Dreamliner que estamos vendo em toda a aviação comercial, já que a experiência superior de passageiros e a inigualável eficiência de combustível do 787 ajudam as companhias aéreas a abrir novas rotas e obter economias significativas de combustível e redução de emissões.”

O desempenho superior e a alta comunalidade do 787-10 com seus irmãos Dreamliner atraíram grande interesse de todo o mundo, inclusive na Ásia, onde o jato pode conectar todos os pontos da região. O 787-10 também oferece aos operadores asiáticos a flexibilidade de voar para a Europa, África e Oceania.

A Singapore Airlines planeja colocar seus 787-10 em serviço programado em maio, com voos de Cingapura para Osaka, Japão e Perth, na Austrália. Antes da introdução destes serviços, a aeronave será operada em voos selecionados para Bangkok e Kuala Lumpur para fins de treinamento de tripulação.

O 787 Dreamliner é uma família totalmente nova e supereficiente de aviões comerciais que podem voar longas distâncias, oferecendo 20 a 25% a mais de eficiência de combustível por assento e emissões mais baixas do que os aviões que substituem. A combinação de longo alcance e baixos custos operacionais permite que as companhias aéreas operem mais voos de forma lucrativa.

Desde 2011, mais de 640 Dreamliners entraram em operação, voando com mais de 230 milhões de pessoas em mais de 680 rotas exclusivas em todo o mundo, economizando cerca de 23 bilhões de libras de combustível. O 787-10 tem 171 pedidos, cerca de 13% do total de pedidos firmes para o 787.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Alguém saberia a diferença entre o 787 e suas variantes para com os 777 e suas variantes uma vez que a Boeing está lançando também o 777X? Aparentemente parecem duas aeronaves com as mesmas características.

    • 777 tem autonomia maior e capacidade maior para passageiros do que os 787, e segundo a Wikipedia o 787-10 é para substituir o 777-200

Comments are closed.