O veículo não-tripulado de testes MQ-25 Stingray da Boeing foi transportado via terrestre para um aeroporto regional onde realizará os primeiros testes.

O protótipo do drone de reabastecimento aéreo não-tripulado MQ-25 da Boeing, quase do tamanho do caça F/A-18 Super Hornet, entrou na fase de testes. A empresa planeja testar em voo o MQ-25 Stingray, conhecido como T-1 ou “Tail 1”, antes do final do ano.

A gigante aeroespacial norte-americana Boeing divulgou imagens fascinantes que mostram a movimentação, através de um caminhão, de seu mais recente avião não-tripulado MQ-25 das instalações da Boeing em St. Louis para o Aeroporto MidAmerica St. Louis, um pequeno aeroporto regional próximo à Base Aérea de Scott, na zona rural de Illinois.

Mas primeiro ele deve passar por testes de taxiamento no solo e a Administração Federal de Aviação (FAA) deve certificar a aeronave e garantir o espaço aéreo liberado para ele voar. Novas estações de controle terrestre estão sendo instaladas no aeroporto.

O aeroporto regional está em um espaço aéreo menos lotado, o que “nos dá alguma flexibilidade em como podemos voar”, disse Dave Bujold, gerente do programa Boeing que supervisiona o projeto dos drones, ao site The Drive.

A aeronave será testada na costa leste. A Marinha dos EUA então içará ele em um porta-aviões para testes de manuseio de convés.

A primeira aeronave da Marinha está programada para voar no ano fiscal de 2021.

O Boeing MQ-25 Stingray é um drone de reabastecimento aéreo que resultou do programa CBARS (Sistema de Reabastecimento Aéreo Baseado no Porta-aviões). É capaz de reabastecer outras aeronaves durante o voo, incluindo os caças Boeing F/A-18 Super Hornet, Boeing EA-18G Growler e Lockheed Martin F-35C.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.