Caça F-22 Raptor acompanha um bombardeiro russo Tu-95 voando próximo do Alasca, no dia 8 de agosto de 2019. (Foto: NORAD)

Dois bombardeiros estratégicos russos Tu-95MS realizaram voos de longa duração sobre o Mar de Bering no dia 8 de agosto e foram interceptados por caças F-22 e CF-18 enviados pelo NORAD, que divulgou hoje as belas imagens.

Dois aviões de caça F-22 Raptors e dois CF-18 Hornets apoiados por um E-3 Sentry, um KC-135 Stratotanker e um KC-130 do NORAD (North American Aerospace Defense Command) identificaram e interceptaram os dois bombardeiros Tu-95MS na ADIZ (Zona de Identificação de Defesa Aérea) do Alasca e do Canadá, que estavam sendo apoiados por um Il-78 Midas.

As aeronaves russas realizaram voo de 10 horas de duração e permaneceram no espaço aéreo internacional no mar de Beaufort e em nenhum momento as aeronaves entraram no espaço aéreo soberano dos Estados Unidos ou do Canadá.

Os voos dos bombardeiros fazem parte dos exercícios navais Ocean Shield-2019, informou o Ministério da Defesa da Rússia nesta quinta-feira (09/08). O ministério adicionou que suas aeronaves foram acompanhadas pelos F-22 e CF-18 apenas em certos estágios do voo.

Aeronaves de aviação de longo alcance da Rússia realizavam regularmente voos sobre águas internacionais na região do Ártico, no Oceano Atlântico, no Mar Negro e no Oceano Pacífico, em estrita conformidade com as regras internacionais para o uso do espaço aéreo, sem violar as fronteiras de outros países, afirma o ministério.

Os exercícios navais Ocean Shield-2019 estão sendo realizados no Mar Báltico até o dia 9 de agosto. Um total de 49 navios e barcos de combate, 20 embarcações de apoio, 58 aeronaves da Marinha Russa e da Força Aeroespacial, bem como 10.634 militares estão participando dos treinamentos, de acordo com o Ministério da Defesa da Rússia.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.