Os dois modelos de caças de quinta geração da Força Aérea dos EUA, o F-22 e o F-35, voam pela primeira vez juntos em serviço. (Foto:Master Sgt. Jeremy T. Lock / U.S. Air Force)

Pela primeira vez, a Força Aérea dos EUA realizou um voo em formação com seus dois caças de quinta geração, o F-22A Raptor e o F-35A Lightning II, ambos fabricados pela Lockheed Martin. O voo foi realizado na quarta-feira, dia 19 de setembro, e durou cerca de uma hora e meia, com os caças partindo das bases aérea de Tyndall e Eglin, respectivamente, ambas localizadas na Florida.

Os caças F-22 e F-35 sobrevoaram diversas cidades no sudeste dos EUA.

A bordo do F-35A, que decolou antes da Base Aérea de Eglin, estava o tenente-coronel Lee Kloos, comandante do 58º Esquadrão de Caça junto a 33ª Ala de Caça. Durante o voo ele encontrou-se com o coronel Charles Corcoran, comandante da 325ª Ala de Caça, que voava com o F-22 Raptor F-22 do 43° Esquadrão de Caça, sobre o Lago Compass, no espaço aéreo ao norte da Base Aérea de Tyndall.

Esse é o segundo voo no geral, e o primeiro pela Força Aérea com os dois caças furtivos de quinta geração.

“Eu estive no programa F-22 desde 2002”, disse Corcoran. “Eu vi ele percorrer um longo caminho e fazer grandes progressos, e é bom ver o F-35 seguindo junto. O que estamos tentando fazer … é tirar as lições aprendidas a partir do F-22 e não ter que reaprender no F-35. A conversa cruzada entre as comunidades F-22 e F-35 é um imperativo.

Acompanhando os dois caças, F-22 e F-35, estava um F-16D.

“Isso só vai acontecer mais e mais vezes, e isso precisa acontecer”, Corcoran acrescentou. “Este é o futuro da nossa força de caças de combate. Você não pode ir para a guerra junto se você não treinar junto, e é aí que tudo vai começar, em Tyndall e em Eglin.”

Os dois aviões, que foram seguidos por um F-16, voaram sobre Tyndall, sobre a Cidade do Panamá e, em seguida, em direção oeste para Destin e Eglin.

O voo especial com o F-22 e o F-35 durou cerca de uma hora e meia.

Kloos disse que uma parte regular do treinamento para pilotos de Eglin e Tyndall é o voo para a outra base para toques e arremetidas e outras manobras.

“É uma parte importante da nossa formação curricular aqui”, disse Kloos. “Como pilotos, você quer ter a opção de ir para outra base se o tempo foi ruim aqui. Essa é a nossa base alternativa primária.”

A tendência é que os voos em formação entre as duas aeronaves ocorram mais seguido com a intensificação dos treinamentos no F-35.

A Base Aérea de Eglin possui atualmente 19 caças F-35s, sendo nove F-35A da Força Aérea dos EUA, e 10 aeronaves F-35B, sendo nove do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA e um pertencente ao Reino Unido.

A previsão é que Eglin receba mais quatro caças F-35Bs este ano, incluindo dois para a 33ª Ala. O Reino Unido vai receber seu segundo jato e a Holanda receberá sua primeira, disse o coronel Andrew Toth, comandante da ala. Os próximos F-35As somente devem chegar em Eglin no segundo trimestre de 2013.

Os dois esquadrões que participaram do voo com os caças F-22 e F-35 são responsáveis pelo treinamento dos pilotos da Força Aérea dos EUA.

O voo com os dois caças de quinta geração não foi totalmente o primeiro realizado. Em 2011 a Lockheed realizou um voo conjunto com os dois caças, conforme pode ser visto no vídeo abaixo.

Para saber mais sobre o primeiro voo conjunto realizado em 2011, clique aqui.

Enhanced by Zemanta
Anúncios

11 COMENTÁRIOS

  1. Belíssimas fotos! O F-22 exibe suas formas esguias ante o Gabiru Voador, que está favorecido pelos ângulos captados. E "Corcoran" não era um pré-histórico personagem de novelinha? Adequado… A dupla devia ter passado por cima de Cuba, fornecendo a assinatura de dois pombos (se tudo der certo)… 😀 Agora, só falta ter mexido nos brios da China, provocando algo melhor do que aquele caso da ilustração japonesa do ATD-X abatendo o J-20 (que teve resposta, o F-2 caindo para o J-20): um voo conjunto dos dois stealths, o já citado J-20 e o morcego de última hora, o J-21, J-31, F-60, sei lá… Seria uma ótima prova de vaidade extrema — e talvez de alguma capacidade para os céticos, incrédulos, entusiastas…

  2. Os dois formam uma bela dupla. Eu gostaria de ver um dia eles enfrentando uma força com iguais capacidades(ou pelo menos aproximadas) para ver como eles se saem.
    Belas imagens.

    • Eu não. Se um dia isso acontecer, é sinal que algo no mundo deu muito errado. Bem mais do que atualmente.

    • Caro Rodrigo DS,

      Eu diria que eles estão para irmãos, o mais velho e o mais novo. 🙂

      O paizão sendo o F-117 e o avô o SR-71…. hehehehe. Todos com DNA da casa Skunk… 😉

      []'s

      • Se fossem contemporâneos poderíamos afirmar que o F22 é o Arnold Schwarzenegger e o F35 é o Danny DeVito igual ao filme Irmãos Gêmeos, um com a força e o outro com a esperteza, e juntos uma bela dupla, rssssss…..

  3. Até que o F-35 não esta tão feio diante de seu irmão mais velho, mas mesmo assim parece ser mais lerdo, menos manobrável e até menos letal!!!

    • Como é que tu conseguiu ver isso num vídeo tão "parado" que nem esse?!?!!?!? Só para constar o que todos já sabemos: O Raptor é um caça de superioridade aérea. O Lightning II(éca de nome!) é um caça-bombardeiro…

      • Eu sei, mas é que não me conformo de ver o substituto do F-16 ser bem menos manobrável…

        • Bom, aí já é aquele lance de torcida…fazer o que, até o meu Harrier já se foi…

Comments are closed.