A Marinha da França executou operações de pouso e decolagens no porta-aviões USS Harry S. Truman (CVN 75) com os caças Dassault Rafale F3, do Esquadrão 12F. (Foto: U.S. Navy)

O porta-aviões norte americano USS Harry S. Truman (CVN 75) conduziu exercícios de interoperabilidade com o porta-aviões nuclear francês Charles de Gaulle (R 91) entre os dias 4 e 7 de junho no Mar Mediterrâneo. Alguns dos exercícios conduzidos pelos porta-aviões incluiram qualificações dos porta-aviões (CQs) e uma troca de motor de um caça Rafale no hangar do Truman.

Um caça Rafale F3 pousa a bordo do porta-aviões USS Harry S. Truman (CVN 75), no dia 4 de junho de 2010, durante os exercícios entre a U.S. Navy e a Marinha Francesa. (Foto: Mass Communication Specialist 2nd Class Daron Street / U.S. Navy)

Charles Rivkin, embaixador dos EUA na França, três almirantes franceses e a imprensa tiveram a oportunidade de acompanhar o treinamento conjunto durante uma visita ao porta-aviões Truman no dia 7 de junho. O grupo observou os caças F/A-18 Super Hornets e Rafale F3s conduzindo múltiplas passagens no convés de voo do Truman. Essa foi a primeira vez que o embaixador esteve a bordo do porta-aviões norte americano.

O embaixador disse que pretende continuar a relação entre as unidades francesas e norte americanas durante um a recepção oficial a bordo do Truman quando o navio ancorou em Marseille.

Os caças Rafale F3 da Marinha da França efetuaram diversas operações de pouso e decolagem a bordo do porta-aviões USS Harry S. Truman (CVN 75) da Marinha dos EUA. (Foto: Ensign Dusan Ilic / U.S. Navy)

Os marinheiros do Truman também notaram as similaridades entre os modos de operação dos esquadrões da França e dos EUA. “As aeronaves deles são completamente diferentes, mas ao mesmo tempo elas são compatíveis com nossos sistemas e no modo de fazer as coisas,” disse o oficial (AW) David Aponte.

A padronização e os procedimentos similares são o que permitem que as duas marinhas possam operam juntas, de acordo com o Tenente Jeff Burch, do Esquadrão de Caças de Ataque (VFA) 37, um dos esquadrões de caça F/A-18 embarcados no Truman.

Um caça Dassault Rafale F3, do Esquadrão 12F da Marinha da França, é lançado do convés de voo porta-aviões USS Harry S. Truman (CVN 75) durante exercícios conjuntos entre os EUA e a França no começo de junho. (Foto: Ensign Dusan Ilic / U.S. Navy)

“Nossas duas forças estão tentando estar prontas para trabalhar mais em conjunto,” disse o tenente francês Yvan Launay, um piloto do Rafale do Esquadrão 12F. “Existem várias crises pelo mundo; e desde que nós somos duas nações com porta-aviões, e nós podemos conduzir operações em navios de ambas as forças, isso beneficia a todos pelo tempo que nós podemos treinar dessa maneira.”

O porta-aviões USS Harry S. Truman (CVN 75) foi deslocado no dia 21 de maio como parte do Harry S. Truman Carrier Strike Group (HSTCSG) no apoio as operações de segurança marítima e no esforço de cooperação de segurança do teatro de operações nas área de responsabilidade das 5ª e 6ª Frotas da U.S. Navy. O HSTCSG inclui o Carrier Strike Group (CSG) 10, o porta-aviões USS Harry S. Truman (CVN 75), a Carrier Air Wing Three (CVW) 3, o Destroyer Squadron (CDS) 26 e a Fragata Alemã FGS Hessen (F221).

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS