Aeronave de patrulha marítima Tu-142 sendo acompanhada por um Typhoon da RAF. (Foto: UK MoD / Crown)

Aviões de caça Typhoon partiram da Base da RAF de Lossiemouth, juntamente com um reabastecedor Voyager da Base da RAF de Brize Norton, para monitorar duas aeronaves de patrulha marítima russa Tu-142 que se aproximavam do espaço aéreo britânico.

Enquanto isso, os Typhoons instalados para o Policiamento Aéreo do Báltico da OTAN também decolaram da Base Aérea de Amari, na Estônia, para interceptar um bombardeiro russo Tu-95 Bear e dois caças Su-30 Flanker voando perto do espaço aéreo estoniano.

A RAF disse que o lançamento de aeronaves QRA (Alerta de Reação Rápida) da RAF de Lossiemouth ocorreu depois que os dois aviões de patrulha russos voaram perto do espaço aéreo internacional dos países da OTAN parceiros do Reino Unido.

“Uma resposta coordenada permitiu que os aliados monitorassem a aeronave até que a RAF os interceptasse. Nossos combatentes os escoltaram da área de interesse do Reino Unido e garantiram que eles não entrassem no espaço aéreo soberano do Reino Unido. A interceptação e monitoramento foram concluídas no espaço aéreo internacional e realizadas de maneira segura e profissional.”

Os Typhoons da RAF implantados no Policiamento da OTAN no Báltico, na Estónia, interceptaram o bombardeiro russo Tu-95 “Bear”, que se dirigia para oeste, perto do espaço aéreo da Estônia.

Os Typhoons, em seguida, entregaram a escolta para as aeronaves em QRA finlandesas e suecas, antes de serem encarregados de re-interceptar para manter a escolta do Tu-95 como sua passagem perto do espaço aéreo da OTAN. O “Bear” estava acompanhado de dois caças russos Su-30 “Flanker”.

Caças Su-30 escoltavam as aeronaves Tu-142.

Esta é uma missão rotineira da OTAN para os Typhoons que, de acordo com o Ministério de Defesa, garante que o Reino Unido está pronto para trabalhar em parceria com a Estônia.

A Royal Air Force está implantada na Operação AZOTIZE na Estônia em apoio ao Policiamento Aéreo do Báltico.

De acordo com um comunicado de imprensa: “Esta é a décima sétima surtida de QRA, resultando em interceptação desde que a RAF assumiu a missão de Policiamento Aéreo do Báltico juntamente com a Força Aérea Alemã em 3 de maio de 2019. O Reino Unido opera em apoio à OTAN para tranquilizar nossos aliados e é mais uma demonstração do compromisso do Reino Unido com a segurança da região. Em outros lugares ao redor do mundo, jatos Typhoon da RAF também estão implantados nas Ilhas Falklands em missões QRA, bem como operam no Oriente Médio na Operação SHADER.”

A RAF identifica rotineiramente, intercepta e escolta aeronaves russas que transitam pelo espaço aéreo internacional. A RAF interceptando aeronaves russas é normal e está sendo relatado para lembrar as pessoas sobre isso.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS