Caça Su-30MKK da Força Aérea chinesa realiza reabastecimento em voo durante manobra de treinamento de combate sobre o Mar do Sul da China. (Foto: Xinhua)
Caça Su-30MKK da Força Aérea chinesa realiza reabastecimento em voo durante manobra de treinamento de combate sobre o Mar do Sul da China. (Foto: Xinhua)

A China informou nesse sábado (06), que sua Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF) realizou um exercício aéreo em larga escala no Mar do Sul da China, onde participaram bombardeiros H-6K e caças Su-30MKK, além de aeronaves de reabastecimento em voo, patrulha marítima e alerta aéreo antecipado (AWACS).

Bombardeiros H-6K participaram do grande exercício militar chinês sobre o Mar do Sul da China. (Foto: Xinhua)
Bombardeiros H-6K participaram do grande exercício militar chinês sobre o Mar do Sul da China. (Foto: Xinhua)

Essa foi a primeira vez que foram divulgadas imagens dos caças Su-30MKK durante operações de reabastecimento em voo, sendo usadas as aeronaves Il-78 que entraram em operação recentemente. Os caças Su-30MKK fazem parte da Divisão de Caças 18, com base na província de Hunan.

Caças Su-30MKK realizaram patrulha de combate sobre o Mar do Sul da China. (Foto: Xinhua)
Caças Su-30MKK realizaram patrulha de combate sobre o Mar do Sul da China. (Foto: Xinhua)

Os voos foram sobre o Mara do sul da China, nas Ilhas Nansha e Huangyan, e teve como objetivo de promover o desenvolvimento de treinamento de combate e aumentar a capacidade de combate e de resposta as várias ameaças de segurança, conforme disse o Senior Coronel Shen Jinke, um porta-voz da Força Aérea chinesa, através do site de notícias estatal Xinhua.

As aeronaves decolaram de várias bases aéreas para realizar missões de patrulha de combate, construir uma superioridade aérea marítima, penetração de assalto e apoiar as forças de segurança como um sistema de combate. Durante o treinamento, os caças Su-30 reabasteceram em voo duas vezes.

As patrulhas incluiram “manobras de alerta aéreo antecipado e de defesa aérea, combate aéreo e de patrulhamento das ilhas, num ambiente eletromagnético complicado”, disse a reportagem oficial chinesa, sem dar detalhes sobre quando a missão ocorreu.

Na sexta-feira, cerca de 230 navios de pesca e da Guarda Costeira da China passaram pelas ilhas japonesas controlada de Senkaku no Mar da China Oriental. As ilhas são chamadas de Diaoyu na China.

A China vem realizando com frequência manobras militares da disputada região. (Foto: Xinhua)
A China vem realizando com frequência manobras militares da disputada região. (Foto: Xinhua)

O Ministério das Relações Exteriores do Japão disse que a ação foi uma escalada de tensões unilateral e exigiu que as embarcações chinesas da Guarda Costeira deixassem a área imediatamente.

As ilhotas remotas no Mar da China Oriental são administradas pelo Japão, mas também reivindicadas por Taiwan. Por sua vez, a China intensificou sua presença militar na área, dizendo repetidamente que as ilhas do Mar do Sul da China pertencem a Beijing. Ao longo dos últimos anos, Pequim tem recuperado vários atóis e construiu instalações militares no grupo de ilhas em disputa na área.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Jornal de TV aberta com apresentadora militar, depois ficam dizendo que os japoneses são militaristas…
    Nunca vi algum militar fardado em algum programa da NHK.

  2. Os americanos deram um recado colocando os B-1 em Guam, já que num futuro breve eles poderão engajar toda a frota chinesa ao longo de sua costa quando o LRASM estiver integrado em 2017.

    Agora os chineses fazem uma operação sobre as "ilhas" Huangyan e Nansha e mostram suas armas sobre elas, "ilhas" que o tribunal de Haia não considerou serem ilhas e sim rochedos, sujeitos a maré e logo sem possibilidade de vida economica ou capacidade de ser habitável, logo não pode ter dono (ZEE ou Plataforma Continental).

    • Não muito distante de Guam, vai ter a Austrália.
      Que com a integração do F-35A na RAAF no final de 2019, vai vir o JSM para ser carregado internamente com pelo F-35A, e quase com toda certeza, o JASSM-ER e o LRASM vão ser comprados para o SH e F-35A, já que o US já vai fazer toda integração.
      Atualmente a RAAF tem o JASSM, que é limitado quando comparado ao JASSM-ER.

      Enfim, a Austrália com JASSM-ER e LRASM vai ser outro ponto de pressão sobre a China.

Comments are closed.