Circularam hoje nas redes sociais as imagens tristes e revoltantes do desmanche da aeronave Douglas DC-3 que estava parada na antiga unidade da Varig Engenharia e Manutenção (VEM) junto ao Aeroporto do Galeão. Confiram as imagens do final de uma aeronave que não teve sequer tempo de achar alguém que quisesse preserva-la.

As imagens mostram o processo de destruição (não encontro outra palavra melhor) de uma aeronave que de certa maneira é histórica e mais uma vez mostra que o Brasil não sabe preservar seu passado. Um país que quer reverenciar Santos Dumont como pai da aviação, mas não consegue preservar a história aeronáutica nem merece ser lembrado como local onde nasceu o criador do 14bis.

Como estava a aeronave PP-VBF antes da destruição.

A aeronave DC-3 prefixo “PP-VBF” havia sido colocada no jardim em frente a Fundação Ruben Berta, Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro. Tinha sido entregue pela Douglas à USAAF em 1942 (matrícula 42-24294), e chegou a pertencer à empresa norte americana Hughes Tool Co., com o prefixo NC68358, tendo sido pilotada pelo próprio Howard Hughes, sendo depois adquirida pela Varig.

A aeronave quando operava pela Varig.

Na Varig transportou passageiros, carga e até vítimas de uma acidente aéreo em Bagé em 1957. O DC-3 PP-VBF voou pela Varig pela última vez, em 18 de agosto de 1971, de Congonhas para o Santos Dumont.

O DC-3 preservado no Aterro do Flamengo.

Foi inteiramente restaurado pela VEM (oficina de manutenção da VARIG) e posteriormente colocado no aterro do Flamengo, entre as ruas Ferreira Viana e Correia Dutra, no Rio de Janeiro. Nos anos seguintes era alvo de vândalos e moradia para mendigos, sendo então retirado daquele local e levado para frente da antiga Fundação Ruben Berta, onde tinha a unidade de manutenção junto ao Galeão, que pertence atualmente a TAP.

Isto foi o que sobrou do DC-3…

Lembrando que esta não é a primeira vez que uma aeronave que prestou serviços no Brasil foi transformada em sucata ao invés de ser preservada como deveria. Um Boeing 707 (KC-137) que serviu como aeronave de reabastecimento aéreo na Força Aérea Brasileira foi completamente destruída em 2017.

Um bom exemplo que deveria ter sido seguido é do projeto Varig Experience em Porto Alegre, que preservou o DC-3 PP-ANU que era do antigo Museu da Varig. Hoje é uma das atrações mais visitadas em Porto Alegre, sendo completamente restaurado por uma equipe de historiadores e antigos funcionários da Varig.

O DC-3 “PP-ANU” preservado no Boulevard Laçador em Porto Alegre (RS). (Fito: Fernando Valduga / Cavok Brasil)

Nada justifica essa ação estúpida, seja por burocracia, justiça ou qual for a razão. Várias associações ou arrecadações online poderiam arrumar formas de preservar o “VBF”.


Nota do Editor: Realmente dolorido ver tais imagens. Ainda não consigo achar palavras para descrever este vandalismo com o história brasileira.

Anúncios

14 COMENTÁRIOS

  1. É um absurdo tão grande que também não encontro palavras publicáveis p/ comentar este crime.

  2. Retrato de um país que está cada vez mais difícil de achar seu rumo. Não consegue sequer preservar as marcas de um passado glorioso na aviação.

  3. Não me surpreende. Já destruiram o Maracana. Perdendo tudo o patrimônio histórico/arquitetônico do estádio original e gastando mais do que para construir um estádio novo em outro local.

  4. Espaço sobrando, oficinas para fazer o restauro, milhares de pessoas com bolso cheio pra lá e pra cá e a melhor ideia dos caras é vender o quilo de metal.

  5. "Um povo sem memória é um povo sem história. E um povo sem história está fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado."

    (Emília Viotti da Costa)

  6. Esse pecado é imperdoável! Um dia saberemos o nome dos responsáveis por essa barbaridade! Acredito, que muitos aceitariam em doação essa aeronave. Eu mesmo, se soubesse que ela estava incomodando tanto, teria retirado-a do local sem ônus para quem estivesse interessado em sumir com ela! Quanto ao B-707 da FAB, ela estava em condições de voo, com todos os sistemas em dia, era só revisar e decolar. Mas no leilão ninguém ofereceu qualquer proposta, daí os coronéis da FAB, useiros e vezeiros de fazerem barbaridades ( a última é revitalizar os antigos "Trackers" que operavam no Nael Minas Gerais, com completa reforma e remotorização) decidiram sucateá-la! Deixaram passar células de B-767 das aéreas falidas, até mesmo um DC-10 que foi estacionado Ad Eternum num aeroporto paulista, sem falar nos dois A300 da Vasp que viraram pó! Todos poderiam ser recuperados e virarem KC's ou simplesmente cargos e transporte de tropas! Era só depositar o valor de avaliação na justiça federal e assumir as aeronaves! Dinheiro é Dinheiro! E algumas aeronaves poderiam entrar em serviço após uma simples revisão como muitos B-737 da Vasp que acabaram virando sucata ou museus estáticos!E ainda desativaram os B-737-200 mais novos do mundo, aeronaves que compensaria remotorizá-las como os norte-americanos fizeram com alguns B-707 Elints e Kc's, mas gastaram os tubos para ressuscitar células de P-3 Orion que foram usados no Vietnam!!!!! E mais!!! As aeronaves tiveram que ser reformadas na Espanha antes de vir para o Brasil! Lá trocaram só as asas,os motores, os trens de pouso, todos os aviônicos, pintaram os aviões, enfim construiram outro!!! Por que não compraram logo mais C-295's então? Aí, jogam fora os Mirages III (células velhas demais disseram, motores dificeis de manter atualmente disseram) Compram os 2000 e jogam foram também! Israel ofereceu-se para revitalizar todos eles ou trocar em Kfir's, mas néH (claro que não era de graça!) por um preço razoável…Mas a coronelada de novo cagou tudo!

    • Cara, trabalho no meio militar, num suposto projeto para garantir a alta soberania dos mares BR. É cada decisão, cada movimento, que não dá pra acreditar, é nível Recruta Zero. É um pensamento retrógrado, de má vontade que extrapola qualquer limite de bom senso.

  7. Um dia contarei aqui a barbaridade que foi a desativação dos DHC- 115 Buffalos da FAB! Um verdadeiro absurdo!

  8. Não fico surpreso. Vivemos em um país que não valoriza a história, tampouco aprende com ela. Lastimável.

  9. Revoltante.

    É o retrato da ignorância e buRRocracia do braziU (exatamente assim, B minúsculo, escrita errada). Pode até ser que tenham procurado fazer algo (ao menos espero), mas com certeza a burrocracia (e o custo que isso gera) tiram a viabilidade, além do desinteresse do povo pela própria história.

  10. Mania de culpar o pais. O descaso total foi da TAP, administradora da área e quem herdou essa relíquia.
    Negligenciaram a sua preservação e não deram a menor importância a um patrimônio da aviação nacional.
    A comunidade variguiana e todos os aficcionados de aviação estão revoltados e enojados com a TAP.

  11. [BOB MEDEIROS, Campinas, SP]
    É preciso exigir do Síndico da Massa Falida VARIG: a) apresentação da aludida decisão judicial citada em nota de justificativa para a destruição do DC-3; b) apresentação da aludida documentação de oferta do DC-3 ao MUSAL; c) apresentação da aludida documentação com recusa da aeronave; d) apresentação de laudo técnico firmado por profissional competente em área de corrosão atestando o estado físico do DC-3. Sem esses documentos, tudo que se lê são meras declarações dos que cometeram a barbaridade inominável.

Comments are closed.