No dia 6 de março, as aeronaves B-52, F-15, F/A-18 e F-16 dos EUA, realizam um voo em formação com um KC-767 japonês e um F/A-18 Super Hornet da RAAF sobre a Base Aérea de Andersen, em Guam. (Foto: U.S. Air Force / Senior Airman Xavier Navarro)

Os Estados Unidos, Japão e Austrália participaram do exercício COPE North 2019 (CN19) na Base Aérea de Andersen, Guam, de 18 de fevereiro a 8 de março de 2019. No dia 6 de março, as aeronaves participantes realizaram um voo de demonstração de força.

Este exercício de longa data foi concebido para melhorar as operações aéreas multilaterais entre a Força Aérea dos EUA, Marinha dos EUA, Corpo de Fuzileiros dos EUA, Koku Jieitai (Força de Autodefesa Aérea do Japão) e Real Força Aérea Australiana (RAAF).

Mais de 2.000 aviadores, fuzileiros navais e marinheiros dos EUA treinaram ao lado de aproximadamente 850 membros do serviço combinado da Koku Jieitai e RAAF. Além disso, quase 100 aeronaves dos EUA e do Japão, pertencentes a 21 unidades de voo, participaram do CN19.

O exercício começou com uma semana de assistência humanitária e um evento de treinamento em socorro a desastres que, então, levou à necessidade de um emprego de força maior, e tudo isso foi planejado para aumentar a prontidão entre as nações aliadas. O foco do exercício na assistência humanitária e socorro em situações de desastre fornece treinamento crítico para as forças americanas e aliadas que têm um impacto direto na capacidade das forças armadas no apoio a região, incluindo Palau e os Estados Federados da Micronésia.

Começando em 1978 como um exercício bilateral trimestral realizado na Base Aérea de Misawa, Japão, o COPE North mudou para a Base Aérea Andersen em 1999. Hoje, como o maior exercício multilateral das Forças Aéreas do Pacífico dos EUA, o evento anual demonstra o compromisso da Força Aérea dos EUA com a paz e segurança em toda a região do Indo-Pacífico, permitindo que as forças regionais aprimorem habilidades vitais de prontidão essenciais para manter a estabilidade regional.

O COPE North envolve um cenário para desenvolver a interoperabilidade multilateral em missões de poder aéreo, tais como superioridade aérea, apoio aéreo aproximado, interdição, guerra eletrônica, transporte aéreo tático e comando e controle aéreo.

Com lançamento de quase 900 surtidas, o poder aéreo multinacional conseguiu posicionar, operar e projetar o domínio aéreo de combate em uma área de quase cinco milhas quadradas, demonstrando a capacidade de eliminar rapidamente ameaças à paz em toda a região, mantendo estabilidade, segurança e proteção.

Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. O que deve ter de jovem norte-americano que ingressa na força aérea de seu país sonhando em cumprir seu dever em Guam, Havaí, Europa, mas acaba no Alasca, Dakota do Norte…

    • Pode ser pior, voce pode ser jovem brasileiro e não ter opção a não ser a fab, dai voce estuda que nem um maluco, passa na prova mas não se classifica pois além do pequeno numero de vagas, metade delas é para a parentada dos milico graudo.

      • Nada pode ser pior que um ignorante, que afirma que "metade das vagas" é para parentada de milico graudo, quando qualquer pessoa, com conhecimento mínimo, sabe que para ser qualquer tipo de agente público (seja militar ou civil) de carreira é só mediante concurso público.
        Na próxima vez gaste o tempo de recalcado estudando mais, quem sabe consegue ficar classificado entre as vagas disponíveis.

        • Não sei o que te falaram do Brasil ai no "mundo da Lua" mas aqui as coisas não são nada como você imagina, inclusive se tiver youtube nesse mundo estranho em que você vive, procura por fraude em "concurso publico".

          Para os amigos que estiverem lendo, não pra você Fabio pois você é incapaz…
          Esse costume é das antigas, na verdade sempre foi assim, familias ricas e tradicionais nas forças sempre tiveram cadeira reservada nas academias, as vagas para civis na verdade são resquícios do que é ocupado pela parentada dos milico do comando. Eu também servi um tempo e vi muita coisa nesse sentido.

          • Camarada, se tem a informação, denuncia!
            Simples assim!
            O restante é choro de recalcado, que não foi aprovado.

  2. é +1 aviso da china e suas ambições e a kim jung un. mesmo Guam na mira dos mísseis que seria retaliado. pelo visto não teve o F-35 na festa

Comments are closed.