Um F-16 Desert Falcon dos Emirados Árabes Unidos se prepara para se conectar com um KC-10 Extender designado do 908º Esquadrão de Reabastecimento Aéreo Expedicionário da Base Aérea de Al Dhafra, Emirados Árabes Unidos, em 28 de agosto de 2019. (Foto: U.S. Air Force / Staff Sgt. Chris Drzazgowski)

A coalizão da Força Aérea dos EUA, França e Emirados Unidos colaborou em um exercício de força de dois dias que começou no dia 27 de agosto nos Emirados Árabes Unidos.

O Centro de Guerra Aérea dos Emirados Árabes Unidos iniciou o exercício formando duas equipes opostas, a Vermelha e a Azul, que começaram a planejar a missão que seria seguida no dia seguinte.

Um Dassault Rafale da Força Aérea Francesa recebe combustível de um KC-10 Extender da Força Aérea dos EUA atribuído ao 908º Esquadrão Expedicionário de Reabastecimento Aéreo da Base Aérea de Al Dhafra, Emirados Árabes Unidos, em 28 de agosto de 2019. (Foto: U.S. Air Force / Staff Sgt. Chris Drzazgowski)

“O principal objetivo deste exercício foi praticar a interoperabilidade entre vários países e serviços diferentes”, disse o major Karl Wilson, chefe do ramo de caça do Comando Central das Forças Aéreas dos EUA. “Nós praticamos uma missão de ataque em uma área fortemente defendida por aeronaves inimigas e sistemas de mísseis terra-ar. Foram aprendidas muitas lições táticas, mas atingimos com sucesso os alvos com perdas mínimas para as forças amigas.”

Muitas tripulações e aeronaves se uniram para tornar possível o exercício: Rafales franceses; jatos de combate F-16 Desert Falcons dos Emirados Árabes Unidos; EA-18G Growler da Marinha dos EUA e um destróier. A Força Aérea dos EUA forneceu os caças F-35A Lightning II (4º Esquadrão de Caça Expedicionário), F-15E Strike Eagles (336º EFS), F-15C Eagles (159 EFS), e um E-3 Sentry (968º Esquadrão Expedicionário de Alerta Aéreo), e um KC-10 Extender (908º Esquadrão de Reabastecimento Aéreo Expedicionário).

Um EA-18G Growler da Marinha dos EUA recebe combustível de um KC-10 Extender designado para o 908º Esquadrão de Reabastecimento Aéreo Expedicionário da Base Aérea de Al Dhafra, Emirados Árabes Unidos, em 28 de agosto de 2019. (Foto: U.S. Air Force / Staff Sgt. Chris Drzazgowski)

“A missão do exercício é construir parcerias, capacidades táticas e interoperabilidade com nossos aliados”, disse o capitão Patterson Aldueza, oficial do ramo de inteligência. “Esses exercícios destacam os pontos fortes de nossa coalizão e nos ajudam a identificar nossas fraquezas, para que possamos ser mais eficazes e letais como equipe”.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.