Vulcan B2, do Nortn East Air Museum, que pendeu para trás devido a neve sobre as asas.

Um bombardeiro Avro Vulcan B2 (XL319), que está exposto no North East Air Museum, em Sunderland, no Reino Unido, não aguentou o peso da neve sobre as asas e pendeu para trás, ficando com a frente da aeronave apontando para o céu, numa posição de decolagem. O incidente ocorreu na noite de sexta-feira para sábado, dia 9 de janeiro.

O bombardeiro ficou com o trem de pouso elevado, como que numa posição de decolagem.
A cauda e o bordo de fuga das asas do Vulcan ficaram encostadas no chão.

Keith Davison, proprietário do Museu disse: “Eu abri o museu no sábado de manhã e foi a primeira coisa que eu vi. Eu pensei, caramba! Isso é diferente. O simples peso da neve sobre as asas fez com que a aeronave pendesse para trás, levantando a parte frontal da aeronave e deixando o trem de pouso dianteiro a cerca de 3 metros do solo. Agora a parte de trás da fuselagem e o bordo de fuga das asas estão tocando o chão. É a primeira vez que ele fica nessa posição desde que deixou de voar na base aérea da RAF de Waddington, no dia 23 de janeiro de 1983.”

Durante a noite foram colocados dormentes embaixo do trem de pouso dianteiro para evitar que quebre quando a neve sobre as asas derreter.
O Vulcan B2 do museu deverá ficar assim pelo menos até o final do inverno no hemisfério norte.

O proprietário do museu, Keith Davison, não tem como erguer o Vulcan com um guindaste para recolocá-lo na posição normal. A equipe colocou dormentes de ferrovia abaixo do trem de pouso dianteiro, para que ele não quebre ao retornar ao normal quando a neve derreter.

O Vulcan B2 (XL319) do museu, quando ainda estava em operação, pousando numa base da RAF na Alemanha. (Foto: Lieuwe Hofstra)

O Vulcan servia com os esquadrões 617 (“Dambusters”), 44 e 83 os quais eram baseados em Waddington ou Scampton. Esse do museu foi o segundo Vulcan B2 entregue ao Esquadrão 617 no dia 20 de outubro de 1961, e um dos 20 existentes e ainda completos bombardeiros Vulcan em exposição.

A aeronave fez parte do arsenal nuclear do Reino Unido durante a Guerra Fria, e também foi usado em missões de bombardeiro convencional durante a Guerra das Malvinas ou Falklands.

Aqui, o Vulcan B2 (XL319) do museu é visto numa tarde ensolarada do verão de 2008.

Existe apenas um bombardeiro Vulcan voando atualmente em todo mundo, a aeronave XH558, que depende de doações de fãs e entusastas para continuar operando e participando de shows aéreos pela Europa, conforme divulgado aqui no Cavok. O restante está exposto em museus.

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS