Militares brasileiros treinaram cenários de guerra regular e irregular com aeronaves A-29 Super Tucano.

A Força Aérea Brasileira (FAB) concluiu, na sexta-feira (14/06), a participação no Exercício Internacional Green Flag West, que teve início em 31 de maio, na Base Aérea de Nellis, em Nevada, nos Estados Unidos. Foram voadas mais de 300 horas, com envolvimento dos Esquadrões do 3º Grupo de Aviação – Escorpião (1º/3º GAV), Grifo (2º/3º GAV) e Flecha (3º/3º GAV), que operam aeronaves A-29 Super Tucano.

Além deles, também participaram do treinamento o Esquadrão Joker (2º/5º GAV). O Green Flag West ocorreu na sede do 549th Combat Training Squadron, unidade responsável pela organização do evento, que envolveu aproximadamente 7 mil militares das forças norte-americanas.

Nesse Exercício, houve uma dinâmica rotina de treinamentos envolvendo operações ar-solo em um cenário tático, simulando conflitos regulares e irregulares em ambiente de deserto. Além dos Esquadrões Aéreos, também participou do treinamento o Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS), conhecido como PARA-SAR, que executa missões de Guiamento Aéreo Avançado (GAA).

O treinamento foi dedicado ao apoio às tropas distribuídas no terreno, simulando um combate regular entre Forças Armadas, envolvendo carros de combate, artilharias antiaéreas e tropas em confronto direto.

Desafios

Um cenário de treinamento para combate irregular, contra ameaças não-governamentais, também foi utilizado para adestramento dos pilotos, sendo realizado sobre ambiente urbano, em apoio às tropas de operações especiais. O ambiente de treinamento se diferencia do já conhecido pelos brasileiros, sendo majoritariamente composto por áreas de deserto e montanhas, o que eleva a dificuldade e os desafios do exercício.

Foram dias de ganho de experiência para os militares brasileiros, com oportunidades de aprender mais sobre a Força Aérea Americana e seu modo de operar nesse tipo de cenário. Em complemento, foram ministradas aulas e palestras sobre Apoio Aéreo Aproximado.

A participação da FAB foi destacada pelo responsável pelo Exercício, o Comandante do 549th Combat Training Squadron, Tenente-Coronel Adam Skid Markel. Ele lembrou que, desde os combates nos céus da Itália durante a Segunda Guerra Mundial, os dois países não realizavam uma operação ar-solo em conjunto, citando a Green Flag West como um novo marco positivo na história.


Fonte: Esquadrão Flecha, por Tenente Bruno Iha – Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Felipe Bueno – Fotos: Tenente Vellasquez/ 1º/3º GAV; Tenente Iha / 3º/3º GAV; Richard VanderMeulen

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Exercício de altíssimo nível. A FAB já começa a colher ótimos frutos desta mais que bem vinda aproximação com os EUA. Se queremos crescer e alcançar novos patamares de especialização temos que nos unir aos melhores, aos que mais investem em treinamentos e tecnologias, e principalmente, aos que são nações democráticas.
    Deus nos livre de qualquer sombra de ameaça de volta das forças pré historicas populistas vermelhas que se uniram ao que há de pior e mais atrasado no mundo, inclusive usando nosso dinheiro para financiar regimes fascínoras. Ao inferno com lulismo, castrismo, chavismo, khomeinismo, leninismo, marxismo, etc.
    Não tenho palavras para descrever a vergonha que eu sentia pelo nosso país perante o mundo com os posicionamentos e ações perpetradas pela infame OrCrim.

  2. Uma questão técnica, porque nas imagens não vi. Algum A-29 da FAB estava utilizando o FLIR nesse exercício? Acredito que é um item básico quando se trata de CAS na USAF.

    • Acredite, não e. Os soldados valorizam o "voar baixo e lento" flir e só pra uso noturno e condições adversas

Comments are closed.