Duas aeronaves IA-58 Pucará no momento que chegavam em Córdoba, para cerimônia de despedida. (Foto: Marcelo Garay / Cavok Brasil)

Ontem (25/09), a Escola de Aviação Militar Argentina, em Córdoba, se despediu em cerimônia do guerreiro IA-58 Pucará, o qual a Força Aérea Argentina se despedirá definitivamente e oficialmente no dia 4 de outubro. Confira as belas imagens de nosso colaborador argentino Marcelo Garay.

Dois aviões chegaram no domingo para se despedir de um local histórico e emblemático: o hangar da IX Brigada Aérea, onde o Grupo de Ataque 4 operava.

Os dois aviões chegaram às 15 horas na pista do aeroporto Comodoro Rivadavia, depois de voar de norte a sul para a IX Brigada Aérea, e depois entraram na pista do hangar, sob jatos de água lançados pelos bombeiros da ANAC (Administração Nacional da Associação Civil).

Uma aeronave foi colocada no hangar e, em seguida, o chefe da IX Brigada Aérea, Sergio Bruno, recebeu os pilotos e o pessoal de manutenção da aeronave.

As aeronaves IA-58 Pucará foram fabricados na Fábrica de Aeronaves Militares (hoje FAdeA) em Córdoba. Realizaram seu primeiro voo em agosto de 1969 e depois de 44 anos de serviços prestados, incluindo a participação na Guerra das Falklands/Malvinas, as hélices pararam, fazendo com que alguns militares se emocionassem com o momento de despedida.

Além da cerimônia formal, os pilotos, mecânicos e técnicos que passaram a vida militar e profissional com o Pucará foram homenageados – e participaram dos últimos vôos.

O projeto do Pucará, baseado em flexibilidade, poder de fogo, segurança e simplicidade, foi conduzido pelo vice-engenheiro Eduardo Ruiz e seu destino desde 20 de agosto de 1975 foi a base aérea de Reconquista, em Santa Fe, realizando missões de controle aéreo, apoio a forças terrestres e combate à contra-insurgência, com um capítulo especial na Guerra das Falklands/Malvinas.

O Pucará era o único avião de combate que podia operar com base nas ilhas, graças à sua capacidade de decolar e pousar em pistas curtas e semi-preparadas. Foi durante a guerra que 14 aeronaves foram destruídas em combate e outras 11 foram capturadas como espólios de guerra pelas forças inglesas.

Por meio dos esforços da União dos ex-combatentes das Malvinas, em outubro de 2016 um Pucará foi transportado da Reconquista para Comodoro Rivadavia e em março de 2017 foi instalado na praça Héctor Bordón na entrada do Aeroporto Geral Mosconi.

O final do serviço ativo total será no dia 4 de outubro, com uma cerimônia na base aérea da Reconquista.


Agradecimento ao pessoal de Relações Publicas da EAM, em especial ao Capitão Santonato.

Anúncios

9 COMENTÁRIOS

  1. Parece que em 1990, o Brasil pensou na possibilidade de comprar 30 Pucarás para o Sivam, sendo esta idéia abortada pelo desenvolvimento do Tucano.

    • Paulo, acredito que não oficialmente, eu estava na FAB até 88 na AFA, e nesta época já se falava em uma versão mais potente do Tucano baseada no Shorts Tucano da Inglaterra. Porém, especulações podem ter sido feitas por jornalistas e entusiastas, já que o ST só foi anunciado oficialmente mais tarde, inclusive depois do Tucano H.

      • Perfeito amigo. Obrigado pelo esclarecimento. Realmente não encontrei nenhum texto que se referisse a isto como algo oficialmente cogitado.

  2. Bom dia Senhores!

    Fim de uma era! Vá descansar em paz guerreiro. Aeronave com cara de aeronave de guerra, não como os muitos legos que temos hoje (ainda que mortalmente eficientes kkkkkk)

    CM

  3. As Forças Armadas argentinas terminarão apenas com as infantarias das respectivas armas. Uma estrutura militar que destina cerca de 95% de seu orçamento ao pagamento de pensões e salários não é crível, não é proba e tampouco adestrada.

    A carreira militar naquele país se transformou numa confortável burocracia. Talvez atraia aqueles que se fascinam com fardas e desfiles, porém, rechaçará todos os candidatos que sonham em fazer a diferença e remontar seu país.

  4. Belas fotos Garay e mais uma vez CAVOK sempre presente em eventos aeronauticos ao redor do mundo.

  5. Até 2030 a Argentina não terá Força Área(já não tem comparado com o passado) mas aí o número de aeronaves será no máximo umas 30(T-6, talvez 2 Hércules e mais algumas pequenas aeronaves de passeio para autoridades).

  6. Tem super tucanos pra vcs aqui amigos hermanos. Tem grana não? Beleza pode ser comodites então!

Comments are closed.