Duas aeronaves IA-58 Pucará no momento que chegavam em Córdoba, para cerimônia de despedida. (Foto: Marcelo Garay / Cavok Brasil)

Ontem (25/09), a Escola de Aviação Militar Argentina, em Córdoba, se despediu em cerimônia do guerreiro IA-58 Pucará, o qual a Força Aérea Argentina se despedirá definitivamente e oficialmente no dia 4 de outubro. Confira as belas imagens de nosso colaborador argentino Marcelo Garay.

Dois aviões chegaram no domingo para se despedir de um local histórico e emblemático: o hangar da IX Brigada Aérea, onde o Grupo de Ataque 4 operava.

Os dois aviões chegaram às 15 horas na pista do aeroporto Comodoro Rivadavia, depois de voar de norte a sul para a IX Brigada Aérea, e depois entraram na pista do hangar, sob jatos de água lançados pelos bombeiros da ANAC (Administração Nacional da Associação Civil).

Uma aeronave foi colocada no hangar e, em seguida, o chefe da IX Brigada Aérea, Sergio Bruno, recebeu os pilotos e o pessoal de manutenção da aeronave.

As aeronaves IA-58 Pucará foram fabricados na Fábrica de Aeronaves Militares (hoje FAdeA) em Córdoba. Realizaram seu primeiro voo em agosto de 1969 e depois de 44 anos de serviços prestados, incluindo a participação na Guerra das Falklands/Malvinas, as hélices pararam, fazendo com que alguns militares se emocionassem com o momento de despedida.

Além da cerimônia formal, os pilotos, mecânicos e técnicos que passaram a vida militar e profissional com o Pucará foram homenageados – e participaram dos últimos vôos.

O projeto do Pucará, baseado em flexibilidade, poder de fogo, segurança e simplicidade, foi conduzido pelo vice-engenheiro Eduardo Ruiz e seu destino desde 20 de agosto de 1975 foi a base aérea de Reconquista, em Santa Fe, realizando missões de controle aéreo, apoio a forças terrestres e combate à contra-insurgência, com um capítulo especial na Guerra das Falklands/Malvinas.

O Pucará era o único avião de combate que podia operar com base nas ilhas, graças à sua capacidade de decolar e pousar em pistas curtas e semi-preparadas. Foi durante a guerra que 14 aeronaves foram destruídas em combate e outras 11 foram capturadas como espólios de guerra pelas forças inglesas.

Por meio dos esforços da União dos ex-combatentes das Malvinas, em outubro de 2016 um Pucará foi transportado da Reconquista para Comodoro Rivadavia e em março de 2017 foi instalado na praça Héctor Bordón na entrada do Aeroporto Geral Mosconi.

O final do serviço ativo total será no dia 4 de outubro, com uma cerimônia na base aérea da Reconquista.


Agradecimento ao pessoal de Relações Publicas da EAM, em especial ao Capitão Santonato.

Anúncios