Dois novos caças F-35I ‘Adir” chegaram hoje na Base Aérea de Nevatim, Israel, totalizando até o momento 7 caças do tipo entregues para IDF. (Foto: Celia Garion / IAF)

Dois novos aviões de combate F-35I “Adir” decolaram dos EUA na manhã da quarta-feira e chegaram hoje em Israel, sendo esses o sexto e o sétimo aviões entregues, como parte dos dois pedidos que totalizam 50 caças furtivos que Israel comprou dos EUA para melhorar as capacidades de sua força aérea.

Os dois novos aviões, chamados de “Adir”, pousaram na Base Aérea de Nevatim nesta quinta-feira, uma semana e meia depois do que originalmente programado, se juntando aos cinco já entregues, se aproximando ainda mais da Capacidade Operacional Inicial (IOC).

“Hoje, o estado de Israel recebeu mais duas aeronaves F-35I. A IAF continua a avançar, melhorar e desenvolver suas capacidades. A chegada das duas aeronaves adicionais nos permitirá tornar-se operacionais de acordo com o plano”, disse o Brigadeiro Gen Eyal Grinboim, comandante da Base Aérea de Nevatim na cerimônia após o pouso.

No final do mês passado, a Força de Defesa de Israel (IDF) anunciou que a chegada dos aviões seria adiada após uma questão técnica encontrada em outra versão da aeronave.

De acordo com oficiais militares, o F-35 deverá ser liberado para uso operacional completo até o final deste ano. O Esquadrão “Golden Eagle” da Base Aérea de Nevatim planeja ter nove caças “Adir” (F-35I) até o final de 2017, com uma inspeção do IOC prevista para dezembro.

“Os resultados do esquadrão são surpreendentes, estamos crescendo lentamente a um ritmo natural e desejo que continuemos a fazê-lo. Que possamos aproveitar nossa criatividade e alcançar a capacidade operacional em breve”, acrescentou o tenente-coronel Yotam, comandante do esquadrão “Golden Eagle” que opera os novos caças e que vem trabalhando na integração dos novos caças furtivos nos últimos nove meses.

Brigadeiro Gen Eyal Grinboim, comandante da Base Aérea de Nevatim, recepciona os novos caças F-35I. (Foto: Celia Garion / IAF)

“Em oposição às aeronaves anteriores, o ‘Adir’ ainda está em desenvolvimento. As versões dos programa anteriores de aeronaves foram constantemente desenvolvidas, mas com o ‘Adir’ os desenvolvimentos não são feitos apenas para os blocos do programa, mas para os sistemas fundamentais também. O processo de desenvolvimento do F-35 é totalmente diferente de qualquer outro”.

Israel foi o primeiro país além dos Estados Unidos a receber o F-35, e defendeu as aeronaves avançadas diante das críticas sobre um processo de produção lento, preço elevado e numerosos contratempos ao longo dos anos.

Em agosto, Israel finalizou seu acordo para comprar 17 caças avançados F-35 da Lockheed Martin, que elevará a frota da aeronave furtiva para 50.

Israel está atualmente em posse de cinco caças furtivos F-35I, e a força aérea do país está programada para receber os 45 restantes em pequenos lotes nos próximos anos.

O processo complexo de integração incluiu uma série intrincada de testes, entre eles o reabastecimento aéreo e lançamento de munições. “É um processo longo, e é fundamentalmente diferente da forma como integramos aeronaves no passado, como o ‘Sufa’ (F-16I), ‘Baz’ (F-15) ou ‘Kurnas’ (F-4 Phantom)”, explicou o tenente coronel Yotam.

A encomenda inicial de 33 jatos F-35 deverá ser completamente entregue até 2021. O novo lote de 17 aviões está previsto para chegar até dezembro de 2024, disse o Ministério da Defesa.

Israel recebe mais de US$ 3 bilhões por ano dos EUA em ajuda militar, e no início deste ano, os dois países concordaram em um novo pacote de ajuda que verá Israel receber US$ 3,8 bilhões anualmente até 2028, cuja grande maioria deve ser usada nas compras de empresas de defesa norte-americanas.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. A composição dos materiais "stealth" na superfície do F-35 permitem pinta-lo? Nesse caso de Israel, camuflagem para o deserto. Não que eu espere que alguém consiga se aproximar para ele necessitar se camuflar.

Comments are closed.