Caça P-39 Airacobra que caiu em 1945 foi resgatado de um lago na Península de Kola.

Os mergulhadores da Frota do Norte da Marinha da Rússia encontraram e retiraram um avião de combate Bell P-39 Airacobra que estava submerso um lago na península de Kola. Este avião americano foi entregue à União Soviética durante a Grande Guerra Patriótica no âmbito do programa Lend-Lease, informou o Ministério da Defesa da Rússia em seu site.

O avião de combate ficou repousando a uma profundidade de 45 metros por 72 anos. Foi retirado do fundo do lago com a ajuda de uma grua e depois entregue ao Museu da Força Aérea da Frota do Norte na cidade de Safonovo para restauração.

Caça P-39 Airacobra.

A inspeção da parte norte do lago Shchukozero, perto de Severomorsk começou no dia 29 de junho. Envolveu mergulhadores do departamento de busca e resgate da frota do norte, equipamentos especiais e um barco com um localizador lateral e uma embarcação submersível controlada remotamente.

O projeto foi monitorado pelo comandante da frota do norte, o vice-almirante Nikolai Yevmenov.

As informações sobre o avião e o fato de que ele poderia estar repousando no fundo do Lago Shchukozero foram descobertas em arquivos. De acordo com os dados descobertos, o avião pilotado pelo Tenente Fyodor Varavikov, do 2º Esquadrão de Voo do 255º Regimento de Combate da Força Aérea da Frota do Norte caiu durante um voo de treinamento no dia 6 de março de 1945. Tanto concentração como uma grande habilidade eram necessárias para ser capaz de pilotar um avião de combate como um P-39 Airacobra. O avião provavelmente entrou em parafuso e caiu no gelo no lago, a poucos quilômetros do Aeródromo de Vaenga.

Caça P-39 Airacobra que caiu em 1945 foi resgatado de um lago na Península de Kola.

De acordo com informações da lista de fatalidades da 5ª Divisão Kirkenes de Minas e Torpedos da Força Aérea da Frota do Norte, de 1 a 10 de março de 1945, o tenente Fyodor Varavikov teria morrido no acidente. A equipe de resgate não encontrou seu corpo na cabine do piloto do avião, mas eles fizeram um minuto de silêncio em honra ao piloto.


Fonte: The Arctic

11 COMENTÁRIOS

  1. Muito interessante essa notícia!

    Colocaram em prática os equipamentos de localização e as equipes de resgate por um objetivo muito bacana, belo treinamento.

    Sobre a restauração comentada acima, também acho muito difícil, os 45mca comprimiram ao máximo aeronave…Enfim, vamos aguardar o trabalho dos russos…

    Observei também que não ocorreu a proliferação de algas marinhas e corais junto à fuselagem do avião, algo muito comum em navios submersos…vamo vê se aparece um biólogo especialista na fauna aquática russa pra dar uma explicação kkkk

    • Não sou biólogo, mas o acidente ocorreu em um lago de água doce, por isso não há corais. Quanto a algas, por estar em uma profundidade de 45 metros, não à luz solar suficiente nessa profundidade para sua proliferação, mesmo se a água for pouco turva. Também é conhecido o fato de lagos frios possuírem baixo nível de oxigênio, o que ajuda a preservar estruturas e objetos da corrosão.

  2. Pois é.
    Uma história pouco contada e que para alguns fatos como este, de vendas de equipamentos americanos e ingleses (também venderam), aos russos no início da WWII são extremamente indigestos por motivos de conhecimento geral.
    Foram entregues aviões (caças e transportes como o C-47 ), tanques Sherman, munições, fardamentos, víveres, jipes, caminhões e outros equipamentos.
    .
    Até favoritei a matéria para efeito de ilustração em debates a respeito.

    • Assisti há algum tempo um documentário dublado em espanhol : "la verdadera historia de la ley de préstamo y arriendo" que mostra o volume gigantesco da ajuda dada a URSS na 2ªGM, inclusive as caravanas que atravessavam o Irã ( salvo engano ) formada por milhares de caminhões Studebaker que desempenharam papel fundamental p/ o avanço das tropas, além de montarem nele os temíveis foguetes Katyusha.

    • Que assunto polêmico! A verdade é que Roosevelt e Churchil concordaram em manter a União Soviética na guerra. Medindo os prós e contras de se alinhar a uma ditadura brutal prevaleceu o bom senso! Por exemplo, Stalin exigiu a entrega de suprimentos no total de 860.420 toneladas de carga seca e 206.000 toneladas de carga líquida a ser entregue pelos americanos em 30 de junho de 1945. Este é o preço que Stalin cobrou, Durante a conferência de Teerã, para manter o Exército de Kwantung longe das praias japonesas de Kyusho. É só um exemplo da relação entre Stalin, Churchill e Roosevelt. Abs…