Um caça F/A-18C Hornet do esquadrão Blue Angels faz uma passagem baixa sobre o Lake Washington, durante o SeaFair 2010 em Seattle. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

O site Cavok Brasil apresenta com exclusividade no Brasil o show aéreo Seattle SeaFair 2010, que foi realizado no começo de agosto, entre os dias 5 e 7, na cidade de Seattle, estado de Washington, nos EUA. O fotógrafo Bernardo Malfitano esteve no local e fez belos registros das aeronaves presentes, dentre elas do Esquadrão de Demonstração Aérea da U.S. Navy, os Blue Angels, e o novíssimo Boeing 787 Dreamliner. Confiram a seguir uma seleção das imagens.

Duas belas aeronaves Grumman Cats em formação durante o SeaFair 2010: um Bearcat e um Tigercat. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

O canto noroeste dos Estados Unidos tem uma grande concentração de fanáticos pela aviação. Pilotos e museus cuidadosamente mantém coleções de aviões clássicos em condição de voo, e restauram aeronaves raríssimas que até parecam novas. A Boeing Commercial Airplanes, sediada em Seattle, fabrica e testa os aviões de transporte mais modernos do mundo. A coleção do Museum of Flight inclui várias aeronaves únicas, tal como o único Comet das Américas, o primeiro 747, e o último Blackbird M-21 capaz de lancar drones D-21 não-tripulados. Paul Allen e John Sessions patrocinam hangares cheios de aviões dos anos 40, quase todos ainda em voo. A Experimental Aircraft Association tem uma presença forte, estimulando o voo de ultraleves, aviões “homebuilt” construídos a partir de kits, e todas as outras formas de aviação desportiva. O espaço aéreo ao redor de Seattle acomoda não só os moderníssimos 787 e 747-8, mas também um Boeing 40 (o primeiro Boeing capaz de transportar passageiros, e o mais antigo Boeing ainda voando) e o Gweduc (um projeto inspirado nos clássicos hidroaviões da Grumman, mas construído nos últimos anos usando o que há de mais moderno em materiais, aerodinâmica, motores, e displays eletrônicos). Com todo esse entusiasmo, não é surpresa que os eventos aeronáuticos do Pacífic Northwest sempre atraem grandes multidões, mesmo quando o clima chuvoso da região tente atrapalhar os voos.

O campeão mundial de acrobacia Sean D. Tucker, com seu novíssimo Oracle Challenger III, também se apresentou durante o SeaFair 2010. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Desses eventos, o mais histórico e tradicional é com certeza o SeaFair, que desde 1950 tráz várias atrações ao Lake Washington, em Seattle. Há uma série de corridas de barcos “unlimited”, impulsionados por motores à turbina semelhantes aos encontrados em helicópteros. Esses barcos chegam à quase 350 km/h, e cada volta, em média correm à mais de 250 km/h, numa série de eliminatórias com até cinco barcos de cada vez. Entre as corridas, atrações aéreas divertem o público. Pilotos acrobáticos incluem os mais famosos dos Estados Unidos, tal como Sean D. Tucker e Tim Weber, e também estreantes como John Klatt em seu Staudacher S-300D, um avião pouco comum em shows aéreos norte-americanos. Pilotos locais também demonstraram seus aviões. John Sessions voou da Historic Flight Foundation, em Everett, trazendo o seu Grumman F8F Bearcat e acompanhado por outro piloto da HFF voando o F7F Tigercat. E Clay Lacy fez acrobacias em seu LearJet, um dos varios jatos executivos na frota da Clay Lacy Aviation.

Dois jatos EA-18G Growler, de guerra eletrônica, durante passagem sobre o SeaFair 2010, em Seattle. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Todas as bases aéreas da região enviam aeronaves para demonstrações: o Fort Lewis manda helicópteros de ataque do exército americano (U.S. Army); a U.S. Coast Guard simula um salvamento usando um HH-65 Dolphin, a Base Aérea de McChord contribui com um enorme C-17 que faz várias curvas fechadas sobre o lago, e em alguns anos os pilotos de Mountain Home fazem voos rasantes em seus caças F-15 Eagle. Esse ano, a base naval de Whidbey Island enviou dois novíssimos EA-18G Growlers, uma versão de guerra eletrônica do Super Hornet, que acabou de entrar em serviço e só esse ano começou a aparecer em shows aéreos, como no AirVenture 2010. A base naval de Lemoore, responsável pelas demonstrações aéreas do Super Hornet em airshows, também enviou um F/A-18F, que chegou perto da velocidade do som várias vezes durante o evento.

O raro efeito da refração da luz atraves da onda de choque pode ser visto nessa passagem baixa de um F/A-18F Super Hornet. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Um dos protótipos do Boeing 787 Dreamliner fez várias passagens sobre o Lake Washington durante o SeaFair 2010, acompanhado por um T-33 da Boeing. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Mas há duas tradições que mais empolgam os residentes de Seattle e levam tantos milhares a beira do Lake Washington, ano após ano. Uma dessas tradições é o voo do último modelo da Boeing. Em 1955, a Boeing estreou o seu primeiro jato comercial, o “Dash 80” (que logo se tornaria o 707). Apenas três semanas após o primeiro voo, em um momento clássico da história da aviação, o piloto Tex Johnston voou o protótipo sobre o Lake Washington durante a SeaFair... e completamente rolou o grande jato comercial, 360 graus, efetuando um tounneau. Infelizmente, os aviões de transporte da Boeing nunca repetiram essa manobra acrobática. Mas cada modelo novo sempre é demonstrado na SeaFair. Em 2010, é claro, a estrela do show foi o 787 Dreamliner, ainda sendo testado pela Boeing e certificado pela FAA. Um dos protótipos, escoltado por um dos T-33s da Boeing, voou duas vezes ao redor do Lake Washington. A demonstração incluiu uma curva onde o avião foi inclinado mais de 60 graus, logo antes de voltar para o Boeing Field.

A impressionante demonstração aérea do C-130 "Fat Albert" dos Blue Angels". (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

A segunda tradição, praticamente sinônima com a SeaFair, e a demonstração dos Blue Angels. Famosos ao redor do mundo, as aeronaves desse esquadrão da U.S. Navy começam sua demonstração executando manobras inéditas em um C-130, o “Fat Albert”, com subidas e descidas quase verticais, e curvas incrivelmente fechadas. Então chega a hora dos pilotos principais demonstrarem suas habilidades em seis caças F/A-18 Hornet. Os Hornets são pilotados em formações precisas, à menos de um metro um do outro, em velocidades que passam dos 1000 km/h, executando acrobacias de todos os tipos. Nao há nada como o som, a velocidade, a precisão, e a energia dos seis jatos cortando o céu, sem dúvida uma das melhores demonstrações aéreas do mundo.

Seattle é responsável pelo desenvolvimento de muitas das tecnologias aeronáuticas que fazem parte do dia-a-dia de todo o mundo. É uma cidade que merece a oportunidade de hospedar um grande airshow. E todo ano, em agosto, a SeaFair é a oportunidade perfeita para o povo de Seattle apreciar essas tecnologias, faça sol ou – como tipicamente acontece nessa região – faça chuva!

Para saber mais sobre o evento, clique aqui.

Texto e Fotos: Bernardo Malfitano – Cavok

Nota do Editor: Mais uma vez agradecemos a colaboração espontânea do amigo Bernardo Malfitano, que nos enviou as imagens e o texto relatando como foi o evento SeaFair patrocinado pela Boeing.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Amigo Fernando, como sempre fotos incríveis! Parabens pelo blog e pela cobertura… Há! Se vier mesmo para a Cruzex aqui em Fortaleza não deixe de me "cobrar" aqueles camarões que falei quando conversamos ao telefone…

    Abraço!

    Vinicius

Comments are closed.