O F-15E “219” da 48ª Ala de Caça da USAF recebeu uma pintura especial para celebrar os 75 anos do Dia D. (Foto: U.S. Air Force / Tech. Sgt. Matthew Plew)

A 48ª Ala de Combate da Força Aérea dos EUA, com sede em Lakenheat, Reino Unido, revelou o primeiro dos três F-15 com pinturas “heritage”, para celebrar os 75 anos do Dia-D, durante uma cerimônia de apresentação ocorrida no dia 31 de janeiro de 2019.

A aeronave F-15E Strike Eagle (s/n 97-0219), do 492º Esquadrão de Caça, foi pintada nas cores de um Republic P-47 Thunderbolt, a principal aeronave usada pela ala durante seu serviço na Segunda Guerra Mundial.

“Esse projeto de herança é sobre o legado da 48ª Ala de Caça e, mais especificamente, o apoio da ala à invasão do Dia D durante a Segunda Guerra Mundial”, disse o coronel Will Marshall, comandante da 48ª Ala de Caça.

Aeronave P-47 Thunderbolt, após o pouso em Lakenheat, no dia 30 de janeiro de 2019. (Foto: U.S. Air Force / Senior Airman Malcolm Mayfield)

Durante a Segunda Guerra Mundial, o 48º Grupo de Bombardeiros voou com aviões P-47 em apoio às operações na Europa, incluindo na Invasão da Normandia em 6 de junho de 1944, no qual o grupo realizou 2.000 surtidas, lançou cerca de 500 toneladas de bombas e disparou mais de 160.000 cartuchos de munição. O projeto é uma forma de os aviadores da Ala da Liberdade experimentarem uma parte dessa história.

“É uma espécie de celebrar o passado com o futuro; é um híbrido P-47 e F-15”, disse o Sargento Casey Cheff, do 48º Esquadrão de Manutenção de Equipamento (EMS). “Nós tínhamos 25 designs que pensamos e conseguimos reduzir para três. Acabou sendo uma ótima oportunidade para treinar nossa equipe.”

Muitos dos membros do esquadrão envolvidos foram capazes de usar habilidades não totalmente utilizadas durante a pintura normal de um F-15. Aqueles que supervisionavam o trabalho viam isso como uma boa chance de testar as capacidades de sua equipe e aprender.

“Adorei este projeto”, disse o sargento Joel Campbell, líder de patrimônio do 48º EMS. “Queríamos que a tinta ficasse melhor, e a finesse de garantir que tudo estivesse perfeito era o maior desafio. Os militares da Força Aérea também estiveram próximos do projeto e foi uma boa experiência para todos nós”.

Um padrão xadrez no nariz, listras pretas nas asas, várias insígnias nacionais, que rotularam as aeronaves dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial, e uma Estátua da Liberdade pintada na cauda foram vários dos principais elementos da pintura, de acordo com Cheff.

Mais de 640 homens-hora, ao longo de 15 dias e US$ 15.000 em equipamentos de pintura entraram no processo.

“Nós tomamos nosso tempo para garantir que acertamos todos os detalhes”, disse Campbell. “Trabalhamos em algo novo e interessante que remonta à nossa história na Segunda Guerra Mundial. Nossos aviadores gostam de um bom desafio e é algo que representará a Ala da Liberdade, passada e presente.”

O F-15E ‘219’ também tem a marcação na fuselagem de um “kill”. A aeronave abateu um drone Shahed-129, construído pelo Irã, no sul da Síria há alguns anos.

6 COMENTÁRIOS

  1. Pois é, faltou sempre ao nosso povo reconhecer os verdadeiros heróis da nação, lembrar dos combatentes do passado, que independente das decisões políticas da época, lutaram em um lugar distante pela liberdade mundial. Mas é complicado num país onde um jogadorzinho magricelo com o cabelo de pica-pau que nem mora aqui é ovacionado e tratado como herói.