Nesse domingo voou nos Estados Unidos o segundo caça MiG-29 civil do mundo, o N29UB. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Ontem mostramos uma prévia do que estava por vir, e hoje, com exclusividade e em primeira mão no Brasil, mostramos as imagens e um relato, feito por nosso colaborador Bernardo Malfitano, de como foi o primeiro voo do segundo caça MiG-29 Fulcrum civil do mundo, que ocorreu nesse domingo, dia 23, no estado de Washington, Estados Unidos. Veja a seguir mais imagens.

Entre os mais famosos colecionadores americanos de aeronaves exóticas estão John Sessions e Don Kirlin. Suas coleções são bem diferentes: Kirlin pilota uma variedade de jatos ex-soviéticos, tal como L-39s, L-59s, e MiG-21s, como também Alpha Jets. Sessions prefere aviões clássicos: biplanos (tal como um Waco e um Staggerwing), vários caças da Segunda Guerra Mundial (Spitfire, P-51B, Hellcat, Tigercat), e até alguns dos primeiros jatos (T-33, F-86). Ambos Kirlin e Sessions tem experiência com a restauração e operação de aviões de alta performance, com peças que são difíceis de se encontrar e processos de manutenção que simplesmente nao existem nas aeronaves que nós vemos regularmente no aeroporto.

Durante os últimos anos, Kirlin e Sessions vêm tentando um feito sem igual: Voar o primeiro MiG-29 particular do mundo.

O caça MiG-29 de John deveria ter voado em outubro, mas pequenos atrasos dificultaram a realização do planejado. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Sessions chegou perto de vencer esta amigável competição, quando o seu Fulcrum quase voou em outrubro de 2010. Mas problemas na última hora, entre eles os explosivos do sistema de ejeção, preocuparam a equipe de restauração e mantiveram o jato no solo. Em dezembro, como mostramos no Cavok, a equipe de Kirlin botou o seu MiG-29 no ar. O primeiro vôo foi pilotado por Fred “Spanky” Clifton, que tem experiência com MiG-29s da Alemanha, e foi acompanhado por Kirlin em seu L-59. O MiG-29 agora faz parte da Air USA, companhia de Kirlin que se especializa em usar aviões de alta performance em várias missões simuladas com (ou melhor, “contra”) a US Air Force e US Navy.

O caça MiG-29UB de John Sessions durante seu voo histórico. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Mas Sessions não parou de tentar terminar o seu mais novo projeto. “Importou” dois mecânicos da força aérea Eslovaca, experts em sistemas de ejeção dos MiGs. E no dia 23 de janeiro de 2011, pouco mais de um mês depois de Kirlin, finalmente pilotou um MiG-29, o segundo Fulcrum particular do mundo.

A restauração foi liderada por Tim Morgan em seu hangar no pequeno aeroporto de Arlington. Arlington fica logo além do espaço aéreo do Seattle-Tacoma International Airport, portanto é popular entre os residentes de Seattle que gostam de ultra-leves, planadores, kit-planes, paraquedismo, e outras formas de vôo recreacional que são prohibidas perto de aeroportos grandes. A Experimental Aircraft Association tem uma presença forte, e ao redor do aeroporto se encontram aviões como um DC-3, um PBY Catalina, e um Holste Broussard, como também um heliporto, e dezenas de Cessnas e Pipers. Mas mesmo em um aeroporto com aeronaves tão diversas, pilotos olharam duas vezes quando viram um MiG-29 emergendo dos hangares.

O MiG-29 N29UB durante os primeiros testes de táxi no sábado, em Arlington. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

No sábado, dia 22, a equipe de restauração taxiou o MiG pelo aeroporto, um último teste de seus sistemas:

O segundo caça MiG-29 civil do mundo durante testes de táxi e sistemas realizado no sábado, dia 22. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

E no dia 23, o jato fez o seu primeiro vôo pós-restauração, para o Paine Field, bem próximo a Arlington. Paine Field é onde a Boeing tem a sua maior fábrica, onde são montados os 747s, 767s, 777s, e os novíssimos 787 Dreamliners. Durante esses curtos períodos enquanto o MiG foi taxiado e levado pro Paine, a Boeing também marcou presença, pousando o quarto 747-8 (RC503) e o nono 787 (ZA102, o primeiro 787 de produção a voar, voltando de seu segundo voo).

Um Boeing 747-8F parte da unidade da Boeing para mais um teste de voo. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
O primeiro Boeing 787 Dreamliner de produção chega após seu primeiro voo de testes. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

A Historic Flight Foundation, que exibe e opera a coleção de John Sessions, recentemente inaugurou um hangar no Paine Field. Durante a espera pelo MiG, eles voaram o B-25 da HFF, para verificar que as nuvens não estavam baixas demais para um pouso seguro.

B-25 de John Sessions decola do Paine Field em Everett, WA. Observe a cauda de um 787 da ANA, os varios 747-8s, e um 737 em manutenção pintado com tema Disney. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Logo após os vôos do B-25 e o pouso do 787, o MiG-29 apareceu por entre as nuvens. Fez um vôo rápido sobre a pista, e deu uma volta no aeroporto em preparação para o pouso:

O caça da Historic Flight Foundation agora faz parte do acervo de maravilhosas máquinas voadoras de John Sessions. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Acima, o hangar da Historic Flight Foundation. Aeronaves incluem um T-6, Staggerwing, WACO, Beaver, F7F, Spitfire, e P-51B. Fora do hangar estãoo Lockheed L-10, F8F, e B-25, entre outros aviões. Abaixo, John Sessions com dois de seus brinquedos favoritos. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
O caça MiG-29UB da Historic Flight Foundations no solo junto a seu proprietário John Sessions. Essa é a segunda aeronave do tipo de propriedade civil do mundo. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

O MiG já está no hangar da Historic Flight Foundation. Durante os dias 23 e 24, turistas visitando os vários museus aeronáuticos da região já se surpreendem ao ver um moderno jato russo entre os clássicos aviões da HFF. Apesar de ter “chegado em segundo” um mês após Don Kirlin, John Sessions não poderia estar mais contente com seu mais novo “brinquedo”. E contente também está a comunidade de fanáticos por aviação que moram em Seattle, agora que mais um avião raro e interessante será apresentado na série de airshows que o estado de Washington e a província da British Columbia organizam entre junho e setembro. SeaFair 2011 e Abbotsford 2011 estão chegando!

O MiG-29UB, já no solo, depois de chegar em Paine Field. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Texto e fotos exclusivas: Bernardo Malfitano / Cavok

NOTA DO EDITOR: Agradeço imensamente ao nosso colaborador e amigo Bernardo Malfitano pelo envio da matéria e das belíssimas imagens desse momento sensacional para os amantes da aviação militar. O Cavok mais uma vez sai na frente e mostra em primeira mão com exclusividade tais imagens 😉

Nota do Editor 2: Não vou conseguir segurar a brincadeira: enquanto nós brasileiros tentamos adquirir um caça do tipo para nossa Força Aérea Brasileira, nos EUA o pessoal compra um MiG-29 para “brincar” nos finais de semana. Isso sim que chamos duas realidades totalmente diferentes.

Anúncios

18 COMENTÁRIOS

  1. Que caça fantástico é esse Mig29, mas como solta fumaça!!!!, será que usaram diesel, hehehe….

  2. Se o nosso país invadisse a Bolívia pra pegar gás… invadisse a Venezuela pra pegar petróleo…tivesse sofrido um processo de colonização diferenciado…se a placa da América do Sul tivesse se descolado para o norte quando saiu da Gondwana…ai quem sabe a realidde não seria diferente…

    São coisas que não se comparam.

    Eles vão fazer voos para turistas no banco de trás??? sabem o valor???

  3. em termos de aerodinâmica, linhas, em fotos para olhar e admirar, os fulcrums e flankers são sensacionais.

  4. Deve ser muito legal pilotar um MIG-29 …alguém sabe como se faz(além de ser milionário)para adquirir um caça?só para o caso de se um dia eu ganhar na mega-sena…

  5. O proximo mig-29 particular será o meu, só falta trocar umas peças, uns ajustes aqui ali, acho logo logo estará pronto pra voar.

    • São, o problema é ver se estão em bom estado, o meu precisou trocar umas peças rsrs.

  6. Quem dera eu fosse um bilionário internacional e os Tomcat´s estivessem à venda. Os Mig´s são bons, mas os Tomcat´s são o melhor dos melhores.

  7. Puts, que desenho… Me desculpem, não sou daqueles que desejam caças russos na FAB, mas estes caras sabem desenhar um avião. Dificil ver um biplace bonito, mas este ai da foto é simplesmente fantástico. Deveria estar esposto em um Museu de Arte Moderna.
    Existem um Su27 privado, não agressor de Miramar, operando nos Estados Unidos.
    [ ]s

    • Concordo Wolf, também não sou defensor dos russos na FAB mas temos que concordar que as linhas dos projetos são lindíssimas.

  8. A RD-33 das primeiras gerações, gera tanta fumaça quanto outras turbinas projetadas e fabricadas na mesma época, como a SPEY e a J-79…
    Alguém já viu um A-1 (AMX) em vôo?

    É aquela velha história… Uma turbina Rolls Royce pode gerar fumaça e até explodir em vôo, mas crítica alguma é formulada, pois inglesa é. Mas, se o motor for russo…

Comments are closed.