Três caças F-16C da Força Aérea dos EUA (USAF) voam na ala do KC-135 no qual o Cavok Brasil esteve a bordo durante a Cruzex V. (Foto: Wagner Damasio / Cavok)

As operações aéreas da Cruzex V terminaram nessa quinta-feira, dia 18, e mais uma vez o Cavok Brasil participou de uma missão de rebastecimento em voo, dessa vez a bordo de uma aeronave KC-135 da U.S. Air Force, a Força Aérea dos EUA. Nosso colaborador Wagner Damasio, que já havia voado com o KC-137 da FAB, pode conferir e comparar as duas aeronaves tanque utilizadas na operação militar.

Na Base Aérea do Recife (BARF) estavam três aeronaves KC-135 da USAF, uma das quais foi utilizada na missão dessa quinta-feira.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)
Interior do KC-135 da U.S. Air Force.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)

Como ocorreu em todos dias de operação, o pessoal do CECOMSAER foi muito atencioso, que sempre de forma muito receptiva conseguia encaixar nossa equipe nos voos previstos nos dias de operações aéreas da Cruzex V. O briefing foi realizado perto do meio-dia no terminal de passageiros da Base Aérea de Recife, uma hora antes da decolagem que estava prevista para as 13 horas e que foi pontualmente cumprida.

Uma aeronave de transporte C-130 Hercules da Força Aérea Brasileira chega trazendo material de apoio para Cruzex.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)
A aeronaves C-105 Amazonas também participou como aeronave de apoio na Cruzex V.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)
A FAB destacou uma aeronave AEW&C Embraer R-99 para participar da Cruzex V.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)

Antes de partir, foi possível registrar no solo a movimentação das aeronaves que estavam baseadas no Recife. Destaque para as três aeronaves de reabastecimento aéreo KC-135 da USAF, dando a impressão de estar numa base norte-americana. A partir da BARF partiam também os voos das aeronaves radar R-99, e de transporte Hercules e Amazonas da FAB.

Os caças F-16C da USAF foram os primeiros a chegar para reabastecer no KC-135.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)
Os caças F-16C da USAF levaram cerca de 20 minutos para finalizar o procedimento de REVO.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)
Após reabastecimento a aeronave F-16 ia para o lado oposto do KC-135, e mantinha a posição na ala. (Foto: Wagner Damasio / Cavok)

Já dentro da aeronave KC-135 da USAF, podemos notar as diferenças com a aeronave KC-137 da FAB. A mais significativa diferença é o modo de reabastecimento, que na aeronave norte americana é feito através da mangueira (boom) localizada na traseira da aeronave e operada a partir de uma cabine localizada embaixo do profundor do KC. Toda operação é comandada dessa pequena cabine de onde o oficial pode ver a aeronave durante o REVO.

Enquanto uma aeronave era reabastecida, as outras aguardavam voando em ala com o KC-135.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)
Durante o voo foram reabastecidos cinco caças F-16, três da USAF e dois da FACh.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)
Toda operação de REVO é comandada pelo operador da mangueira, que trabalha na traseira da aeronave KC-135.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)

Durante os primeiros 4o minutos de voo tivemos a chance de conversar com a divertida tripulação da aeronave, e também conhecer mais sobre os sistemas do KC-135. As explicações foram passadas através do Engenheiro de Voo que também era o “boom operator” e chefe de cabine, tendo portanto apenas três tripulantes a bordo.

Os pilotos norte americanos possuem extrema facilidade com a operação de REVO nos KC-135.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)

As primeiras aeronaves a chegar para reabastecer foram os três caças F-16C da USAF, que voaram em ala, no lado direito do avião tanque, que foi reabastecendo um de cada vez, diferentemente do REVO efetuado pelo KC-137 da FAB que efetua a transferência de combustível em dois caças simultaneamente. Após reabastecer, a aeronave seguia para o outro lado do KC e mantinha a mesma posição de ala.

Os pilotos da Força Aérea do Chile ainda estão em fase de adaptação com a operação de reabastecimento em voo com caças F-16 nos KC-135.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)

Interessante notar que os pilotos dos caças norte americanos efetuaram o procedimento em muito menos tempo que os pilotos dos F-16 do Chile, que chegaram para reabastecer logo após terminar a operação com os F-16 da USAF. Os pilotos chilenos são relativamentes novos com a operação dos caças F-16 – recebidos em 2007 – e efetuam uma operação de REVO mais lenta e conservadora.

A simpática tripulação do KC-135 da USAF durante o voo realizado nessa quarta-feira.(Foto: Wagner Damasio / Cavok)

Depois de reabastecer os dois caças F-16 da FACh, a missão foi “aproveitar o voo, conversar e rir com a tripulação norte americana e também com o sub-comandante da BARF que acompanhava o voo. A descontração era salutar e um reflexo do sucesso da operação Cruzex que chegava ao fim. Diferentemente do que muita gente possa imaginar, os tripulantes norte americanos foram muito receptivos, riram, conversaram e até contaram piadas.

O pouso final ocorreu às 16:30, horário local, no Aeroporto Internacional dos Guararapes, Recife. No dia 19 de novembro, começam os procedimentos de partida das aeronaves participantes, após encerramento oficial da maior operação militar da América do Sul.

Aproveitamos para deixar aqui os parabéns a todos integrantes da operação e também à toda equipe do CECOMSAER pela dedicação, empenho e profissionalismo com que trataram a todos da imprensa, que não foram poucos. Deixa aqui em público o muito obrigado de toda equipe do Cavok à Tenente Fábia que mais uma vez atendeu nossa equipe de forma exemplar e com extrema competência.

Anúncios

14 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns CAVOK. Vocês e a FAB são demais. Este site é sensacional.

  2. Matheus Pires é interessante notar que o CRUZEX teve sua ampliaçao nesse governo do PT.

  3. As fotos mostraram a qualidade do site de fotos.

    Foram ótimas fotos.

Comments are closed.