Aeronave Embraer KC-390.

No último dia 12 de outubro, durante um voo do programa de desenvolvimento, a aeronave de transporte militar KC-390 (prefixo PT-ZNF) passou por um incidente ainda não totalmente esclarecido, quando o avião militar desceu rapidamente de cerca de 20 mil pés para pouco mais de 3 mil pés em menos de um minuto. A Embraer informa por meio de nota que o KC-390 apenas realizava um teste de situação de estol e que a aeronave retornou para Gavião Peixoto sem incidentes.

Segundo informações passadas por uma fonte próxima da Embraer, e divulgadas pelo Blog Caixa-Preta, da jornalista de aviação Solange Galante, a “aeronave voava a cerca de 20 mil pés quando sofreu a queda e desceu verticalmente em cerca de um minuto, chegando a pouco mais de 3 mil pés – sobre terreno com aproximadamente dois mil pés de altitude – e os altímetros a bordo travaram no máximo – embora a fonte disse que não foi possível avaliar a velocidade máxima atingida pelo avião durante essa queda, que superou 4 Gs negativos – o suficiente para torcer sua estrutura a ponto de inutilizar o avião para novos voos. A fonte disse ainda que ele soltou pedaços durante a queda”.

Imagem congelada do momento que o KC-390 mudou de altitude e rota de forma repentina. (Foto: Flighradar)

Para ter uma ideia da força G na queda, um Super Tucano, utilizado pela Esquadrilha da Fumaça, suporta no máximo -3,5Gs. Felizmente a informação que temos é de que ninguém ficou ferido. A aeronave após pousar passou por avaliações para determinar o que causou a queda repentina e também os danos causados na aeronave. A aeronave PT-ZNF no momento está sem realizar voos desde o dia 12. A segunda aeronave (PT-ZNJ) realizou vários voos no dia 17 e 18 de outubro.

Conforme uma fonte também ligada a Embraer que conversamos no final da noite e pediu para não divulgarmos o nome, “o KC-390 estava fazendo ensaios de stall (possível ver pelo traço do flight radar e confirmado pela fabricante) com gelo artificial.

Em uma configuração específica de flap/slat ocorreu stall de empenagem. A aeronave chegou a entrar no dorso excedendo as velocidades máxima de projeto e de fator de carga”.

Uma informação ainda não confirmada: a aeronave perdeu a instrumentação de voo durante a queda e estão tendo que utilizar o FDR para análise dos dados.

Conforme dados gravados no site FlightRadar, que acompanha e registra os voos das aeronaves, o incidente com o KC-390 teria ocorrido aos 56 minutos de voo, quando pode se observar uma mudança repentina na proa e o posterior retorno para Gavião Peixoto, após os pilotos declararem emergência, confirmado pelo Controle da Academia da Força Aérea em Pirassununga que recebeu o chamado.

A Embraer divulgou uma nota oficial que pode ser lida abaixo:

“Um protótipo do avião de transporte multimissão KC-390 realizou na manhã de quinta-feira, 12 de outubro, ensaios em voo para situação de estol, que resultam em perda de altitude da aeronave, devido à diminuição da força de sustentação, como parte da campanha de testes para certificação.

Em razão das manobras efetuadas e seguindo os protocolos estabelecidos, a tripulação solicitou retorno antecipado à base, pousando normalmente no aeródromo da companhia em Gavião Peixoto (SP) onde a campanha de ensaios é realizada.

A entrada em serviço do KC-390 está prevista para acontecer em 2018, conforme o cronograma do programa. Atualmente, dois protótipos do KC-390 somam mais de 1.300 horas de voo.

Nota do Editor: O site Cavok ficou sabendo do incidente no dia 12 a tarde, mas sem informações mais precisas, se absteve de divulgar, embora nas redes sociais e fóruns fossem divulgadas diversas informações. Aguardamos uma posição da Embraer, que até o momento veio na forma dessa nota oficial. Ressaltamos que apenas estamos informando dados recebidos de fontes ligadas ao programa e torcemos para um breve retorno dos voos de testes com o primeiro protótipo do maior avião já fabricado pela Embraer.

Anúncios

26 COMENTÁRIOS

  1. Levaram o KC-390 até o limite acredito eu… Esse limite foi superado e a aeronave voltou ao solo ainda que com danos, e assim o incidente não passou a ser acidente.
    Lembremos que, muitos aeronaves passaram por rigorosos testes antes de voarem e inclusive vieram a se acidentar, nem por isso deixaram de voar definitivamente. Também lembramos que o KC-390 possui muitos equipamentos modernos e inclusive Fly-By-Wire, e para fazer tal simulação muitos recursos tiveram que ser desativados.
    De fato, é para ser investigado e é justamente para isso que servem os voos de testes. Se for para algo dar errado que se dê nessa fase, assim saberemos os limites do KC.
    E será que danificou muito mesmo a ponto de ter que inutilizar a célula?

    • Vamos ver quantas semanas ou mêses vai ficar parado para saber da extensão dos danos, se é que houve slgum dano.
      O C-5, C-17, C-2 e A400M tiveram problemas no desenvolvimento e certificação, faz parte do jogo.

  2. É isto ai , tem que forçar mesmo esta bagaça , fazer correções se necessário e fungar no cangote do C-130 , acredito que deram o AZAR de pegar um "vácuo " no momento que testavam o estol , de BH pra sampa sempre se pega estas carniças , principalmente nesta epoca , onde ocorre frequentes inversões termicas ! urubuzada abram u oio com o palloffi , a verba tá secando !

  3. Pros – aeronave resistiu a este incidente salvando sua tripulação. Dados e materiais da aeronave serão objeto de análise e possiveis melhorias. Cons – saber o que levou ao stall excessivo e quase perad de controle. Como prever novos incodentes e evitá-los. A tripulação pode receber nova certidão de nascimento.

  4. Alguma fonte tem as fotos do avião para vermos os estragos ?

Comments are closed.