A história do negócio sobre a compra do jato francês Rafale remete a outros processos de aquisição de defesa da Índia que também deram muito o que falar…

O Congresso indiano está acusando uma fraude do Governo central porque o ministro da Defesa, Nirmala Sitharaman, em resposta a uma pergunta do Parlamento, declarou que o governo não pode liberar o preço pago pelo Dassault Rafale. O problema é que, talvez sem ter lido a cláusula do acordo entre os governos da Índia e da França que não permite a divulgação de preços, Sitharaman, em novembro de 2017, disse que seu ministério revelaria os detalhes do preço.

A história do acordo do Rafale também é a história de vários problemas nos processos de aquisição de defesa do país. O governo anterior, liderado pelo Congresso, levou anos para negociar o preço, mesmo com a Força Aérea Indiana (Indian Air Force – IAF) exigindo a compra imediata. O atual governo não cumpriu o requisito da IAF para 126 aviões, adquirindo apenas 36 aeronaves e nunca explicou o raciocínio por trás desta compra, deixando no ar pistas de que o Rafale poderia se tornar uma plataforma de ataque nuclear. A Índia tem um longo caminho a percorrer para alcançar eficiência e transparência simultaneamente em aquisições de defesa.


FONTE: LiveMint

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. E tambem no uso e manutençao corretas de seus meios, além de estabelecerem uma estratégia de defesa coerente pois a atual parece um verdadeiro samba do crioulo doido.

  2. Junte o histórico de corrupção na Índia com os meios escusos dos franceses em vender armamentos tal como vimos com a "parceria estratégica" aqui no Brasil e suas mirabolantes promessas de "transferênfia di tequinúlugia" e vejam o que temos

    • A área militar é um paraíso para corruptos e corruptores. Soberania nacional, defesa da pátria, etc justificam muita imoralidade e garantem sigilo.

  3. E lá não é gasto um centavo com o social, nem água eles tratam, imaginam o quanto os milicos não roubam, até a quinta geração da família está garantida kkkk

    • Isso sem falar na sociedade de "castas" deles que favorece tudo isso que você escreveu e muito mais.

Comments are closed.